Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1021
Menu

ALMANAQUE >

Cineminha

Por Carlos Castilho em 25/11/2015 na edição 878

Ruim a partir do nome. Aedes em latim significa coisa desagradável. O sobrenome egyptii indica a procedência: o Egito mas antes foi chamado aedes palästinum, palestino, identificado há quase 260 anos como transmissor da mortífera febre amarela.

A proposta do sanitarista Oswaldo Cruz para erradicar o mosquito no Rio de Janeiro em 1904 através da vacinação obrigatória enfrentou uma violenta resistência popular que entrou para a história como a “revolta da vacina”. Oswaldo Cruz e a sua legião de mata-mosquitos fardados ganhou a parada: a febre amarela foi controlada.

Cento e onze anos depois o mosquito-vilão volta a atacar com virulência redobrada: além de comprovado transmissor da dengue e da chicungunha, o aedes egyptii também é considerado o responsável pela disseminação do zika virus, provavel causador dos trezentos casos de bebês microcéfalos — com crânios pequenos — registrados no norte-nordeste do país nos últimos meses.

Está na hora de lembrar a façanha de Oswaldo Cruz e tentar repeti-la antes que o coisa ruim faça mais estragos.

***

A iniciativa é inédita mas ansiosamente esperada há pelo menos 20 anos: a PGR, Procuradoria Geral da República, autorizou o Ministério Público Federal a iniciar ações contra 32 deputados e oito senadores para cancelar as concessões de rádio e tv , obtidas de forma ilicita: na qualidade de parlamentares não podem disputar concessões públicas, isso configura grave conflito de interesses e ostensiva agressão à carta magna. A Folha de São Paulo deu o furo na edição de domingo, mas o Observatório da Imprensa vem denunciando a infração desde a sua criação há quase 18 anos com sucessivas edições, entrevistas e reportagens.

***

Para colocar a mídia eletrônica nos eixos faz-se necessária apenas uma providência básica: cumprir a constituição. Para isso, indispensável o engajamento da grande imprensa – mas quem disse que a grande imprensa prefere respeitar a constituição em questões onde seus interesses vão na direção contrária ?

***

Textos produzidos pela equipe do Observatório da Imprensa

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem