Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

ARMAZéM LITERáRIO > ESTANTE

Escândalos marcaram o início dos anos 1990

06/08/2013 na edição 758
Quando a mídia vira escândalo político: a cobertura dos casos Alceni Guerra e Ibsen Pinheiro (1991-1993), de Edgar Leite, 258 pp., ed. Multifoco, R$ 48,00

[do release da editora]

Quando a mídia vira escândalo político é o livro do jornalista Edgar Leite, que será lançado no próximo dia 25 de agosto, às 15 horas, na Nobel Mega Store do Suzano Shopping. A publicação é da Editora Multifoco. O livro é sobre “jornalismo e política”. Resultado de três anos de pesquisa, sendo os últimos dois como trabalho de mestrado em Ciências Sociais na PUC de São Paulo. “A intenção dessa obra é trazer uma discussão sobre o papel da imprensa na cobertura dos fatos políticos”, disse o jornalista.

A obra vai retratar dois grandes escândalos políticos que marcaram o início dos anos de 1990. Em 1991, em pleno governo de Fernando Collor, o então ministro da Saúde, Alceni Guerra, foi acusado de superfaturar a compra de bicicletas que seriam utilizadas para ajudar no combate à dengue. O ministro respondeu por corrupção, mas comprovou-se que a imprensa cometeu equívoco ao acusá-lo sem provas. O erro foi reconhecido por parte dos jornais que pediram desculpas “muitos anos após os acontecimentos”.

O outro caso refere-se ao então presidente da Câmara dos Deputados, Ibsen Pinheiro, em 1993. Acusado de fazer parte da “máfia dos anões do orçamento”, o parlamentar teve sua reputação arranhada pela cobertura da imprensa.

“Artimanhas do poder”

O livro vai mostrar o papel dos grandes jornais nas duas coberturas e o que pode ser sugerido para que se evitem equívocos. Quando a mídia vira escândalo político busca trazer reflexão sobre o papel da imprensa e como ela deve ser responsabilizada em casos de abusos, sem restringir, evidentemente, a função democrática da imprensa. “O livro tem como preocupação compreender a deflagração, o desenrolar e o desfecho dos escândalos envolvendo políticos que exerceram cargos importantes durante os anos 90”, afirma a socióloga Vera Chaia, professora do Departamento de Política e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, pesquisadora do Neamp (Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política) da PUC-SP e do CNPq.

Segundo ela, o livro revela as “artimanhas do poder” e a cobertura enviesada de alguns meios de comunicação, como também destaca que a consequência imediata do escândalo para o político é o prejuízo à reputação dos indivíduos envolvidos. “É um trabalho inédito e com relevância social e merece ser conhecido, pois suscita reflexões sobre o papel dos meios de comunicação, especificamente sobre a imprensa escrita que é dirigida por seus proprietários, que não são controlados e, muitas vezes, nem questionados”, acrescenta Vera.

Biografia do autor: Edgar Ednadygarra Leite Elegância, ou simplesmente Edgar Leite, nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde os quatro anos. Atualmente, mora em Poá (a 5ª menor cidade do país), no estado de São Paulo. É jornalista, formado pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) desde 1996. Tem pós-graduação (lato sensu) em Jornalismo Político pela PUC-SP. Fez curso de Extensão em Jornalismo e Políticas Públicas Sociais pela ECA-USP e mestrado em Ciências Sociais Políticas pela PUC-SP. Trabalha em redação de jornal desde 1994. É editor-chefe do jornal Diário de Suzano

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem