As regras do novo acordo ortográfico | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

ARMAZéM LITERáRIO > LÍNGUA PORTUGUESA

As regras do novo acordo ortográfico

09/09/2008 na edição 502

[do release da editora]

Escrevendo Pela Nova Ortografia – Como Usar as Regras do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa inaugura uma importante parceria entre a Publifolha e o Instituto Antônio Houaiss, uma das mais importantes instituições ligada à língua portuguesa no Brasil.

O livro, coordenado por José Carlos Santos de Azeredo, doutor em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), traz informações essenciais para todas as pessoas – de estudantes a profissionais – que utilizam a língua portuguesa em qualquer forma de comunicação escrita. É fundamental para que todos conheçam as novas regras que vão reger a língua e para quem quer escrever corretamente.

Este livro apresenta tudo o que é preciso saber sobre a nova ortografia. Esclarece as principais dúvidas do leitor e trata das principais questões do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, como acentuação, trema, hífens, uso do ‘h’, grafia de nomes próprios estrangeiros, entre outras. Reproduz o texto do acordo na íntegra, com observações e explicações.

Sobre o autor e o coordenador

Firmado entre Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil, o novo Acordo Ortográfico passa a valer a partir de 2009 para documentos oficiais e para a mídia. No ensino público, começa a ser implementado em 2010 e até 2012 as novas regras serão adotadas para todas as séries.

Elaborado pelo Instituto Antônio Houaiss, a mais renomada instituição da filologia no Brasil, Escrevendo Pela Nova Ortografia é fundamental para todos que escrevem em língua portuguesa.

Antônio Houaiss (1915-1999) foi filólogo, diplomata, fez crítica textual e foi o principal negociador brasileiro do Acordo Ortográfico, firmado em 1990 pela comunidade de nações lusofônicas. Foi também ministro da Cultura e presidente da Academia Brasileira de Letras. Grande estudioso da língua portuguesa, foi editor-chefe de duas enciclopédias e é um dos autores do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Entre diversos outros livros, escreveu Sugestões Para Uma Política da Língua (Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1960) e Elementos de Bibliologia (Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1967). Traduziu para o português Ulisses, de James Joyce.

José Carlos Santos de Azeredo é doutor em letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde lecionou língua portuguesa de 1970 a 1996. Hoje, é professor adjunto do Instituto de Letras da UERJ. É autor de Iniciação à Sintaxe do Português (1990), Fundamentos de Gramática do Português (2000) e de Ensino de Português: Fundamentos, Percursos e Objetos (2007), todos publicados por J.Zahar Editor.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem