Domingo, 16 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1041
Menu

ARMAZéM LITERáRIO >

Assembléia da SIP chega ao fim com 22 resoluções

10/11/2010 na edição 615

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, sigla em espanhol) encerrou na terça-feira [9/11] sua 66ª assembléia geral, realizada na cidade de Mérida, no México. Em cinco dias de reuniões, com a participação de mais de 500 membros da organização, foram debatidos temas relacionados à liberdade de imprensa em todos os países das Américas. Ao fim do encontro, o guatemalteco Gonzalo Marroquín, diretor do jornal Prensa Libre, assumiu o cargo de presidente da SIP. Já em seu primeiro discurso, Marroquín comparou o efeito nocivo da interferência do narcotráfico e dos governos de esquerda da América Latina na atividade jornalística com as ditaduras militares nas décadas de 60 e 70.


Foram aprovadas 22 resoluções durante os cinco dias de assembléia. Estes documentos, que tratam de questões sobre a liberdade de imprensa em países como o Brasil, Cuba, Equador, Costa Rica e Colômbia, entre outros, serão enviados a autoridades governamentais e a organizações interamericanas. Pelo menos seis resoluções abordam o assassinato de jornalistas. Outra estabelece 2011 como o Ano pela Liberdade de Expressão.


Premiação


Durante a assembléia, foram entregues os Prêmios da SIP pela Excelência no Jornalismo. O presidente da emissora venezuelana Globovisión, Guillermo Zuloaga, foi homenageado com o Grande Prêmio pela Liberdade de Imprensa. Zuloaga não pôde comparecer ao evento porque está exilado nos EUA depois que recebeu ordem de prisão na Venezuela. Ele foi representado pelo filho, Carlos Zuloaga, que afirmou que recebia o prêmio também em nome dos 400 funcionários do canal.


Os jornalistas Marco Aurelio Reis, Elcio Braga e Aline Salgado, do jornal brasileiro O Dia, receberam o prêmio na categoria Crônica por uma série de reportagens sobre os sobreviventes brasileiros da Segunda Guerra Mundial. Ary Moraes e Clarissa Monteagudo, do Extra, ganharam o prêmio de Infografia pelo trabalho intitulado ‘Candomblé’. Glauco Costa Lara, do Estado de S. Paulo, recebeu menção honrosa nesta categoria.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem