Segunda-feira, 19 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

ARMAZéM LITERáRIO >

Capa da New Yorker revolta equipe de Obama

16/07/2008 na edição 494

A capa da revista New Yorker com um desenho de Barack Obama usando um
turbante muçulmano e sua esposa Michelle portando um rifle desagradou à campanha
do candidato democrata, noticia a AFP [15/7/08]. O cartum, de autoria de Barry
Blitt, mostra ainda a bandeira americana queimando em uma lareira no Salão Oval
da Casa Branca e um retrato de Osama bin Laden na parede. O cumprimento do casal
reproduzido na caricatura chegou a ser classificado por um jornalista da Fox
News, que posteriormente se desculpou pelo comentário, como um ‘gesto
terrorista’.


A revista defendeu sua escolha editorial, alegando que se trata de uma
crítica às acusações infundadas que tentaram rotular Obama – que é cristão –
como um muçulmano radical ‘disfarçado’. ‘A sátira é parte do que fazemos e tem a
intenção de denunciar o preconceito, o ódio e o absurdo. Este foi o espírito da
nossa capa, que reúne uma série de imagens fantasiosas sobre Obama’, explicou o
editor David Remnick. Ele ainda observou que a edição publicou dois artigos
‘sérios’ sobre Obama.


Ofensa


Ainda assim, a justificativa não colou para a campanha democrata. ‘A New
Yorker
pode pensar, como nos explicou um membro de sua equipe, que a capa é
satírica à caricatura que os críticos de extrema direita tentaram criar de
Obama’, opinou Bill Burton, porta-voz da campanha, ‘mas a maior parte dos
leitores pode ver isto como algo de mau gosto e ofensivo. E nós
concordamos’.


Até o rival republicano John McCain desaprovou a edição da revista.
‘Concordamos completamente com os membros da campanha de Obama, que a
consideraram ofensiva e de mau gosto’, afirmou o porta-voz Tucker Bounds.


Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem