Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1055
Menu

ARMAZéM LITERáRIO >

Cibercafés na mira do governo comunista

02/06/2009 na edição 540

O governo da China anunciou que irá lançar, durante os próximos quatro meses, uma operação para conter a atuação de cibercafés não autorizados, assinalando uma alta vigilância às vésperas de duas datas políticas consideradas sensíveis – 4/6 (aniversário dos protestos na Praça da Paz Celestial, em 1989) e 1/10 (60º aniversário da fundação da República Popular da China). O objetivo oficial, no entanto, é evitar que, de junho a setembro, jovens obtenham acesso a conteúdo obsceno e violento na rede.

Autoridades chinesas têm, nos últimos anos, tentado ‘manter a paz’ com a explosão do uso da internet e muitos sítios considerados politicamente inaceitáveis ou ofensivos já foram bloqueados. As sanções, em geral, têm o propósito de ‘proteger’ a juventude chinesa de conteúdo prejudicial, mas também têm relação com assuntos considerados delicados por Pequim.

Em abril, por exemplo, a China emitiu novas restrições para postar vídeos políticos ou religiosos que poderiam ser prejudiciais, duas semanas depois de circular na rede uma filmagem de chineses agredindo monges tibetanos. Informações da AFP [28/5/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem