Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ARMAZéM LITERáRIO > JORNALISMO FREELANCE

Da terceirização para uma empresa de negócios

19/02/2008 na edição 473

[do release da editora]

A terceirização é um fenômeno que vem atingindo cada vez mais jornalistas. Depois de enfrentar as mudanças tecnológicas com a informatização das redações no fim dos anos 1980, e a crise recente das empresas de mídia, os postos de trabalho em veículos de comunicação ficaram ainda mais escassos com a transformação de boa parte dos empregados em prestadores de serviços. Por isso, é necessário que o profissional encare sua atividade como negócio, tornando-se também um empreendedor.

Em Jornalismo freelance – Empreendedorismo na comunicação (128 pp., R$ 27,10), lançamento da Summus Editorial, João Marcos Rainho trata da fase de transição do modelo neoliberal, que está por trás da terceirização, para um novo sistema – que pode ser favorável ao jornalista talentoso e bem preparado. Na obra, o autor mostra as peculiaridades do trabalho freelance e os obstáculos que aguardam o profissional que se aventura em uma carreira independente.

A idéia do livro surgiu da constatação de que mesmo profissionais altamente qualificados que optam pelo trabalho freelance encontram problemas com a administração do negócio próprio. Além disso, a atividade é uma etapa quase obrigatória para o jornalista recém-formado, que, no entanto, não recebe orientação específica sobre o tema durante o curso de formação. Segundo Rainho, a obra preenche essa lacuna e pretende capacitar o freelance para gerir sua vida profissional, aprendendo a lidar com planejamento, prospecção de clientes e cobrança.

Idéias e dicas

‘Há inúmeras atividades que um jornalista pode realizar, tanto na área jornalística como na editorial, de eventos e outras. Essas oportunidades são percebidas por empreendedores, que acabam contratando jornalistas para concretizar o trabalho, mas retêm a maior parte do lucro. Minha intenção é que o jornalista passe a compreender a lógica do mercado, desenvolva a visão de negócio e seja o próprio empresário’, afirma Rainho.

O livro aborda os seguintes assuntos: os aspectos legais ligados à prestação de serviços; a necessidade (ou não) de ter um escritório; os desafios de trabalhar em casa; a importância do planejamento estratégico; a melhor maneira de vender o próprio trabalho; o gerenciamento como fator fundamental para o microempresário de comunicação; o marketing de serviços; o papel da ética na condução do trabalho.

Por fim, o autor fornece várias idéias e dicas para que o jornalista diversifique seus campos de atuação – sugestões indispensáveis para profissionais da área, jovens ou experientes, e também para estudantes de Jornalismo.

O autor

João Marcos Rainho tem 25 anos de profissão e trabalha como prestador de serviços desde 1992, quando criou a Agência Publisher de Notícias –, que está se transformando numa rede internacional de jornalistas freelance.

Foi um dos pioneiros na criação de boletins on-line segmentados na era pré-internet. Ex-diretor do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo (1997/2000), defende o reconhecimento do jornalista como profissional liberal, o cooperativismo e o associativismo empreendedor. Ministrou cursos de jornalismo freelance (presencial e à distância) para o portal Comunique-se. Além de ter colaborado com jornais e revistas em todo o Brasil, atua em consultoria para empresas, governos e ONGs, tendo criado metodologias exclusivas em comunicação para a qualidade e em projetos de gestão pública.

Atua, ainda, como facilitador em cursos de marketing, vendas e planejamento estratégico para o Sebrae-SP. É co-autor do livro Marketing educacional em ação (Artmed, 2005).

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem