Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

ARMAZéM LITERáRIO > TERCEIRA FLIP

Imprensa alternativa, compromisso intelectual

Por Maria Luiza Franco em 12/07/2005 na edição 337

A intelectual argentina Beatriz Sarlo, uma das mais importantes críticas literárias da atualidade, disse que a mídia alternativa é fundamental para a circulação de opiniões independentes. Falando sobre o compromisso do intelectual, hoje, com a política e o segmento popular, a professora da Universidade de Buenos Aires disse que o fundamental é submeter à crítica todo e qualquer artefato teórico para evitar diagnósticos equivocados que, no passado, levaram muitos à morte.

De acordo com Beatriz, a atual estética discursiva da mídia não tem colaborado para o esclarecimento de questões de interesse da sociedade e por isso a importância da imprensa alternativa como propagadora de outras perspectivas. ‘Historicamente, os intelectuais sempre fizeram publicações que configuraram um espaço próprio; só a imprensa alternativa tem tarefa intelectual’, afirmou.

A especialista em Jorge Luis Borges participou, com Roberto Schwarz, o mais importante crítico brasileiro da obra de Machado de Assis, do debate Um lugar para as idéias, realizado na 3ª FLIP, Festa Literária Internacional de Parati, cidade do litoral do Rio de Janeiro. Os dois intelectuais de formação marxista protagonizaram um encontro que tocou a audiência quando foram unânimes em afirmar a necessidade do diálogo entre as condições nacionais e as influências de fora, um conflito sem solução e, por isso mesmo, de fundamental importância para ser relegado a um plano de análise secundário.

Resultado decepcionante

Schwarz falou sobre o modelo corrente de engajamento do intelectual na história brasileira, citando como exemplo Joaquim Nabuco, que colocou a cultura de elite a serviço do fim da escravidão. Lembrou, entretanto, que o próprio Nabuco declarava que, se assim fazia, não era por bom-mocismo, mas para assegurar a própria sobrevivência como cidadão.

Na esteira dessa reflexão, Schwarz aproveitou para falar do esvaziamento político da pressão originária dos operários de ABC paulista que resultou na liderança de Luiz Inácio Lula da Silva e sua projeção no cenário político até sua eleição à presidência da República. O crítico foi aplaudido quando ressaltou o ‘momento decepcionante’ que o país está vivendo e observou que a social-democracia é uma ‘idéia fora do lugar’ no Brasil, porque não conseguiu realizar as transformações sociais prometidas, tanto no governo do PSDB quanto no do PT. ‘O Brasil teve a oportunidade de ser governado por homens preparados como FHC e Lula, e o resultado foi decepcionante’, considerou o intelectual.

A 3ª FLIP, que começou na quarta-feira, com show de Paulinho da Viola e homenagem à escritora Clarice Lispector, terminou no domingo, dia 10.

******

Jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem