Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

ARMAZéM LITERáRIO >

Os signos da verdade

Por Gita K. Guinsburg em 21/04/2015 na edição 847

Carlos Vogt, pensador da cultura e poeta, é professor de semiótica e, portanto, busca nos signos a verdade dos significantes e significados. Ele reúne neste volume um conjunto de trabalhos que intitula A Utilidade do Conhecimento. O próprio título o filia ao pragmatismo e o seu ensaio de abertura pergunta “A Quem Pertence o Conhecimento?” Sua resposta é incisiva: ao homem! Ela não provém apenas de uma reflexão asséptica e objetiva da Sociedade do Conhecimento e dos impactos da evolução das TIC(s). Sua visada é humanista e seu pragmatismo, ético por excelência, decorre, sem dúvida, de seus anos de formação que podemos acompanhar no “Álbum de Retalhos” e na “Memória e Linguagem” – um verdadeiro Bildungsroman –, inseridos na interface entre a primeira e a última parte, a que compõe seus artigos acadêmicos. Para Vogt, a “utilidade do conhecimento o torna ético” e a riqueza gerada por seus produtos deve retornar a quem o produz, para seu bem-estar e sua felicidade, dando-lhe sentido à vida pela via do conhecimento.

Em linguagem poética quase sempre, contundente e pertinente sempre, os escritos deste volume envolvem o leitor numa espiral de desafios éticos, tecnológicos e ecológicos que se eleva em uma atmosfera de cultura centrada no homem, esse ser singular dotado de gesto e linguagem, capaz de inovar, indagar, questionar, criando conhecimentos, cuja dinâmica tem como pressuposto a liberdade, a tolerância, a democracia, que, por sua vez, induzem ao respeito às diferenças e ao planeta e o tornam não só cidadão do mundo globalizado, mas também um brasileiro e cidadão.

***

Gita K. Guinsburg é diretora superintendente da Editora Perspectiva

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem