Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº974

ARMAZéM LITERáRIO > VULTOS DA REPÚBLICA

piauí reúne em livro a nata de seus perfis políticos

Por Morris Kachani em 03/08/2010 na edição 601

‘Lilibeth, this wine is very bad!’ (‘Lilibeth, este vinho é muito ruim!’). Estamos em um jantar na embaixada do Brasil em Londres. De um lado, a ex-premiê Margareth Thatcher. De outro, a queen Elizabeth.

‘E não é que ela tinha razão? O vinho havia passado do ponto. Ela (Thatcher) é divertida. Durante a recepção, apontava a rainha Elizabeth e repetia: `The queen wants dry martini´ (a rainha quer dry martini). E a rainha respondia, cada vez mais vermelhinha, bravíssima: `I do not want a dry martini´ (eu não quero um dry martini).’

Quem nos conta essa pitoresca história é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em reportagem da revista piauí, em 2007. O texto foi produzido por João Moreira Salles, que se bateu a acompanhá-lo full time em um périplo de 11 dias por sete aeroportos e dois continentes. Para quem se delicia com esse tipo de informação de bastidor e tem curiosidade de conhecer as engrenagens do poder, Vultos da República – Os Melhores Perfis Políticos de piauí, que chega às livrarias pela Companhia das Letras, vale ouro.

FHC, José Dirceu, o caseiro Francenildo dos Santos Costa, Dilma Rousseff, José Serra, Márcio Thomaz Bastos, Marina Silva e o presidente do fundo de pensões Previ, Sergio Rosa, são perfilados.

Pesquisa aprofundada

O diferencial é o afinco com que eles são investigados, em pesquisas que podem durar meses e resultam em textos longos, com nível de detalhe impressionante.

‘Nosso luxo é o tempo’, explicou o cineasta João Moreira Salles, fundador e publisher da piauí. Um modus operandi raro e quase improvável na paisagem atual da imprensa brasileira. Para compor o perfil de Dilma, o repórter Luiz Maklouf Carvalho entrevistou mais de 70 pessoas. Com o caseiro Francenildo, Moreira Salles conversou 20 vezes, além de ter lido cerca de 2.000 páginas de relatórios policiais e assistido à íntegra todas as sessões da CPI dos Bingos nas quais algum envolvido aparecia. O resultado é uma reportagem que mostra com clareza como se movem as esferas do poder – Executivo, Judiciário, Legislativo, governo, oposição, Receita Federal, Polícia Federal, Caixa Econômica, imprensa. ‘Todas essas instâncias ajudaram a moer o Francenildo’, disse Moreira Salles.

Os perfis projetam um foco humano e, por que não, muitas vezes até banal sobre personagens públicos a quem pouco conhecemos na intimidade. Também trazem um levantamento de sua história política e pessoal.

Intimidade política

É quando descobrimos que Serra era um galã bem-sucedido que cantava Nat King Cole aos ouvidos das mulheres, ou como Dilma desmanchou o namoro. O processo de alfabetização de Marina Silva, aos 16 anos, no Acre, antes de se tornar empregada doméstica, com direito a entrevista da patroa.

Outro ponto alto são os comentários reveladores. FHC dizendo que Dirceu é o Putin que fracassou. Um ex-professor de Dilma na Unicamp falando que ela e Serra têm a mesma visão de mundo. Vultos da República traz uma contribuição valiosa para se contar a história recente do país. E ainda pode ajudar na escolha do voto em outubro, pois os perfis dos candidatos feitos por piauí dizem muito mais a respeito deles do que programas de governo mal redigidos, não?

******

Jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem