Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

ARMAZéM LITERáRIO > ESTANTE

Tal pai, tal filho

14/11/2006 na edição 407

[do release da editora]

Uma pesquisa detalhada da vida e carreira de dois grandes nomes da música brasileira, o leitor encontrará no livro de Regina Echeverria, Gonzaguinha e Gonzagão, que chega às livrarias com o selo da Ediouro na última semana de novembro. ‘A história de amor que uniu pai e filho faz vibrar o imaginário popular. No sonho de um, no desejo de outro, esses dois artistas de vozes e intenções distintas uniram seu nome e destino pela força da própria vontade. E selam entre si seu trágico final feliz’, escreve a autora.

Jornalista há três décadas, Regina Echeverria especializou-se na produção de longos perfis de personalidades da música e da cultura para as principais revistas e jornais do país. Estreou como escritora em 1985 com Furacão Elis (sucesso editorial da cantora e amiga Elis Regina). É também co-autora com Lucinha Araújo de Cazuza – Só as mães são felizes, publicado em 1997.

Da pequena cidade de Exu, esquecida no alto sertão pernambucano em 1912, ano do nascimento de Luiz Gonzaga, à rodovia no sul do Paraná, em 1991, quando Luiz Gonzaga Júnior morreu num trágico acidente de automóvel, uma história se desmembra em duas outras histórias – Luiz Gonzaga do Nascimento, o pai e Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, o filho. Nos 79 anos que separam as duas datas, a trajetória desses personagens é também o retrato do país, de espantosa transformação em menos de um século, na música, na política, nos costumes.

Para escrever Gonzaguinha e Gonzagão, a autora teve acesso a um vasto material inédito, cedido pelas famílias dos dois artistas. A edição tem prefácio de Fausto Nilo.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem