Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

ATLAS DA NOTíCIA > Novos rumos para o jornalista em SC

Governança, produção e sustentabilidade para o jornalismo regional

Por Equipe do Observatório da Imprensa em 21/11/2017 na edição 967

A publicação recente no observatório da Imprensa do Atlas da Notícia — parceria entre o Projor e o Volt Data Lab — demonstrou que vivemos um deserto de notícias em grande parte do país. O levantamento quantitativo é uma etapa necessária para se entender a realidade, partindo do mapa ao território.

Logotipo do projeto GPS Jor.

Em Santa Catarina, um dos estados privilegiados na concentração de jornais por habitantes, surge uma iniciativa de discussão de soluções para o fortalecimento do jornalismo: O GPS Jor – novos rumos para o jornalismo. O projeto é apoiado pela Universidade Federal de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Sindicato dos jornalistas de Santa Catarina e Associação Educacional Luterana Bom Jesus.

Conheça as diretrizes do projeto conforme a apresentação do site:

O GPS Jor é um projeto de pesquisa-ação criado com o objetivo de pesquisar e propor soluções para as crises do jornalismo contemporâneo. Queremos contribuir para a construção de mídias jornalísticas locais independentes e de qualidade, que sejam autossustentáveis e tenham governança social. Acreditamos que o jornalismo pode ser produzido não só por empresas, mas também por outras organizações. Entendemos que o público pode e deve participar de muitas das decisões cotidianas desse jornalismo, e também pode financiá-lo, sem intermediários. É o que chamamos de governança social.

Trabalhamos na pesquisa e discussão em diferentes frentes, que pensam as dimensões presentes na sigla que dá nome ao projeto. “GPS Jor” significa “Governança, Produção e Sustentabilidade para um Jornalismo de novo tipo”. Assim dividimos nosso trabalho em quatro temáticas:

Produção

Discute os aspectos dos saberes profissionais dos jornalistas. Queremos pensar aqui o que compõe o jornalismo enquanto valores, normas, escolhas de pauta, formas de construção da narrativa, formatos de conteúdo – e então questionar o que disso permanece e o que muda com uma nova governança.
Colaboração

Atualmente, o alcance de qualquer conteúdo jornalístico está muito vinculado ao engajamento do público, por conta de uma das maiores fontes de informação do público ser cada vez mais a internet e redes sociais. Curtir, compartilhar e comentar são mais que envolvimentos casuais, e afetam diretamente o alcance e repercussão social da notícia ou reportagem. Discutiremos as possibilidades e dificuldades para uma relação de cooperação, troca e envolvimento entre o público e as mídias jornalísticas na distribuição e produção do conteúdo.

Gestão (estrutura organizacional)

Para além da distribuição, acreditamos que uma forma de organização dos jornalistas que inclua o público, e cuja finalidade não esteja voltada à lucratividade – ou seja, o jornalismo enquanto outra coisa que não uma mercadoria – tem potencialidades para um jornalismo mais próximo da sociedade. A fronteira dessa dimensão da governança é a discussão, com a sociedade, das formas organizacionais mais adequadas à existência do jornalismo – fundações, institutos, Oscips, ONGs, cooperativas, o que for, desde que sustentáveis e de longo prazo.

Sustentabilidade

Como sustentar a produção de jornalismo a longo prazo, em uma governança social? Os leitores estão dispostos a financiar a iniciativa? Os anúncios podem ajudar, mas como utilizá-los sem que isso afete a cobertura? Para pensar sobre essas e outras questões, queremos ouvir o que o público tem a dizer, e também pesquisar que formatos de financiamento são utilizados por iniciativas independentes ao redor do mundo.
Iniciamos nosso trabalho em outubro de 2015 e, entre 2016 e 2017, o projeto promoverá diálogos entre a sociedade e os jornalistas de Joinville, cidade de 562 mil habitantes na região Norte de Santa Catarina. A mobilização em Joinville servirá de projeto-piloto, e a ideia é que o processo possa ser replicado em outras cidades, de acordo com os contextos específicos de cada local.

Somos uma equipe de jornalistas profissionais, graduandos, mestrandos, doutorandos, mestres e doutores ligados aos programas de pós-graduação em Jornalismo e em Sociologia Política da Universidade Federal de Santa Catarina e ao Curso de Jornalismo do Bom Jesus/Ielusc, em Joinville.

Coordenação:

Angelo Augusto Ribeiro – MPSC (Assessor) / Iscom (Prof.) – Lattes
Carlos Castilho – POSJOR UFSC (Pós-doutorando) – Lattes
Frederico S. M. de Carvalho – Jor UFSC (Prof.) / POSJOR UFSC (Mestrando) – Lattes
Iohanna Roeder – POSJOR UFSC (Mestranda) – Lattes
Jacques Mick – PPGSP UFSC (Prof.) – Lattes
Luisa Tavares – Jornalista – Lattes
Marília Crispi de Moraes – Ielusc (Prof.) – Lattes
Rogério Christofoletti – POSJOR UFSC (Prof.) – Lattes
Samuel Lima – POSJOR UFSC (Prof.) – Lattes

**

Se você conhece alguma iniciativa de discussão e fortalecimento do jornalismo local ou regional e quiser divulgá-la, envie um e-mail para atlasdanotícia@gmail.com.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem