Terça-feira, 19 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

CADERNO DA CIDADANIA > CINGAPURA

Revista banida por retratar casamento gay em HQ

Por ‘OG’ em 22/07/2014 na edição 808
Reproduzido do Globo.com, 17/7/2014; título original “Cingapura bane revista em quadrinhos por retratar casamento gay”, intertítulo do OI

A venda da revista em quadrinhos Archie foi proibida por censores de mídia em Cingapura por sua apresentação do casamento gay, um assunto que permanece como um tabu socialmente e juridicamente proibido no país mais desenvolvido do sudeste da Ásia.

A história em quadrinhos foi publicada pela primeira vez em janeiro de 2012 e teve sua venda vetada pela Autoridade de Desenvolvimento de Mídia de Cingapura (MDA) no início deste ano. No entanto, somente agora o assunto veio à tona, uma semana depois de outra agência estatal remover das prateleiras da biblioteca nacional três livros infantis que promovem tolerância de relações do mesmo sexo.

O terceiro episódio da Archie, “A Vida de Casado”, uma das várias séries no universo da Archie, apresenta o casamento de Kevin Keller, um personagem gay cuja criação em 2010 rendeu ao escritor Dan Parent um GLAAD Media Award no ano passado. No último volume, Archie morre levando um tiro por Kevin, agora um senador dos EUA.

Posição inglória

De acordo com o que Alyssa Rosenberg destacou no The Washington Post, a franquia de história de quadrinhas de 75 anos nos últimos anos optou por adotar uma mensagem política abordando questões de relevância: Kevin, um soldado gay, foi apresentado quando a administração Obama estava deliberando o final de “Don’t Ask, Don’t Tell” (política de restrição do exército americano para descobrir ou revelar membros ou candidatos gays ou bissexuais). O casamento interracial de Archie foi inclusive capa em 2012.

Em um comunicado para a revista Times, um porta-voz da MDA afirmou que o conteúdo violava as diretrizes por causa de sua representação do casamento do mesmo sexo de dois personagens de história em quadrinhos. “Nós, portanto, informamos a distribuidora local para não importar ou distribuir os quadrinhos em lojas de varejo”, complementou.

Já para as publicações importadas, o MDA proíbe quadrinhos e outros materiais ilustrados que retratam ou discutem “estilos de vida alternativos ou práticas sexuais desviantes”, listando homossexualidade como um exemplo de tal (ao lado de “sexo grupal e sadomasoquismo”).

Cingapura ocupa o lugar 149 dos 179 países listados no Índice de Liberdade de Imprensa 2013, conhecido por ter a imprensa menos livre de qualquer economia desenvolvida do mundo.

O MDA se posicionou garantindo que suas decisões de censura acontecem pelo “feedback do público” ou por “reclamações”. Assim, só voltou sua atenção para os quadrinhos Archie depois de receber uma série de queixas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem