Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

CADERNO DA CIDADANIA > VENEZUELA

Por falta de papel, diário crítico vira semanal

Por Samy Adghirni em 03/03/2015 na edição 840
Reproduzido da Folha de S.Paulo, 27/2/2015; título original: “Por falta de papel, jornal crítico ao governo circulará semanalmente”

Um dos maiores símbolos do pensamento opositor na Venezuela, o jornal Tal Cual, deixará de circular diariamente por falta de papel. Nesta quinta [26/2] chegou às bancas a última edição diária, que será substituída por uma versão semanal, aos sábados. Boa parte da produção será divulgada no site do jornal.

Em comunicado, o jornal, criado em 2000 pelo ex-guerrilheiro Teodoro Petkoff, disse que o objetivo continuará o de sempre: “Falar ao país de forma clara e direta.” O jornal se queixou do “incessante assédio judicial, político e econômico [por parte do presidente] Nicolás Maduro”.

O Tal Cual acusa o governo de bloquear acesso aos dólares necessários para adquirir bobinas de papel e outros equipamentos importados usado na impressão. Na centralizada economia local, o Estado regula com mão de ferro a disponibilidade de divisas para empresas que precisam importar. A importação de papel se soma a outros motivos de atrito entre a imprensa opositora e Maduro.

Funcionários do jornal El Universal, comprado em 2014 por investidores próximos do chavismo, foram demitidos por publicar críticas ao governo.

Dois outros importantes veículos opositores, a TV Globovisión e o jornal Ultimas Noticias, também abandonaram a linha crítica ao governo.

******

Samy Adghirni, da Folha de S.Paulo, em Caracas

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem