Terça-feira, 22 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº987
Menu

CADERNO DA CIDADANIA > IMPRENSA & PODER

A mídia ‘partidarizada’ de Dilma

Por Fernando de Barros e Silva em 12/11/2009 na edição 563

Dilma Rousseff voltou a reclamar da ‘crescente partidarização da mídia’. Disse também que, sem base social, a oposição é hoje quase apenas ‘midiática’. A candidata do PT à Presidência ecoa o que Lula já vinha dizendo. O que pensar desse mantra governista?


A ‘partidarização’ de fato existe. E não só na mídia. Os fundos de pensão das estatais estão hoje nas mãos do PT. As próprias estatais foram aparelhadas de maneira inédita. E há as ONGs, quase sempre de amigos do partido, alimentadas na veia por verbas estatais. O terceiro setor também está partidarizado.


Não é só. O PT de antigamente apostava na autonomia do sindicalismo e dos movimentos sociais em relação ao Estado. Não era o oxigênio da democracia? Hoje, o governo Lula cooptou – com dinheiro e cargos – os sindicatos e o que restou de movimentos social e estudantil.


Aos trancos


No Brasil lulista, com ‘tudo dominado’, é irônico que só os partidos não sejam partidarizados. À sombra do poder, vivem misturados, como beneficiários da avacalhação institucional patrocinada por um governo moralmente leniente, mas muito popular, o que inibe a atuação da oposição, que, de resto, não sabe mesmo o que falar.


Nesse ambiente imperial, por que a imprensa ficaria imune? Com publicidade oficial, Lula faz um arrastão nas chamadas mídias regional e popular, todas obedientes ao poder. Na internet, o lulismo multiplica seus funcionários voluntariosos. Há, por parte do Planalto, um esforço metódico para colocar a mídia a serviço do governo – para, numa palavra, partidarizá-la.


A profissionalização da imprensa no país, que vinha ocorrendo, aos trancos, desde a redemocratização, nos anos 70/80, vive hoje um retrocesso. O ambiente senhorial, de atrelamento ou submissão aos poderosos, era visto como algo a ser superado por um jornalismo comprometido com o público, não com o Estado ou gângsteres privados. O PT pôs isso em xeque. Quem não está conosco é inimigo – essa é a lógica subjacente à fala de Dilma. Parece bolchevismo com atraso.

******

Jornalista

Todos os comentários

  1. Comentou em 15/11/2009 Bel Portões

    O texto é hilário. Prova irrefutável de que Lula e Dilma estão certos. A discussão era sobre a imprensa, não?

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem