Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CADERNO DA CIDADANIA > MÍDIA & CRISE AÉREA

Açodamento é mais nocivo que a desatenção

Por Alberto Dines em 30/07/2007 na edição 443

Embora Veja proclamasse neste fim de semana que teve acesso às primeiras informações da caixa-preta do Airbus da TAM, a verdade é que a hipótese de erro dos pilotos (ao acionar os manetes) já havia sido mencionada duas vezes na semana passada pelo brigadeiro Jorge Kersul Filho, diretor do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e merecido uma grande e minuciosa reportagem no Estado de S.Paulo.


Nossa mídia anda muito afoita, assim também a militância antimídia. Uma eventual falha humana não exclui causas complementares – climáticas, no avião, na pista ou na torre de controle.


A caça aos culpados não vai ressuscitar os mortos. Assim como a cruzada contra o ‘sensacionalismo’ da mídia não resolverá o colapso do transporte aéreo constatado inclusive pelo próprio governo.


Uma mídia açodada, incapaz de investigar com cuidado é, geralmente, mais nociva do que uma mídia desatenta. A mesma conclusão pode-se tirar do noticiário de domingo (29/7) à noite, depois da festa de encerramento dos Jogos Pan-Americanos, quando os portais de notícias da internet anunciaram que o Rio de Janeiro havia passado no teste de segurança.


Conviria esperar mais alguns dias porque bandidos também assistem à TV e lêem jornais.

Todos os comentários

  1. Comentou em 31/07/2007 roelf cruz

    Sobre a minha citação a “insigne profª Marilena Chaui”, esqueci dar o endereço eletrônico onde trata do assunto: CONTRADIÇÕES OU AMBIGUIDADES??
    CONFIRA DOIS DISCURSOS DA PROFª MARILENA CHAUÍ
    http://www.adunicamp.org.br/index_not.html?central=index.html
    (Site do sindicato, nada de mídia golpista). Cada um tire suas conclusões.

  2. Comentou em 30/07/2007 Cid elias

    Por favor, não nos açodemos. Por favor, fiquemos desatentos. Esta desatenta notícia sem açodamento é uma homenagem ao choque de ética e seus fiéis viseirentos estagiários da ética dasluziana. Também gostaria de dizer que acho uma injustiça o que estão fazendo com os tucanos, vemos dioturnamente a imprensa toda, incluindo o Dines, a perseguí-los impiedosamente, sem tréguas. Coitados, para piorar estão sendo responsabilizados por mazelas do governo Lula:
    ‘TRE por 5×1 decide pela cassação do governador Cássio C. Lima e do vice José Lacerda Da Redação Com essa decisão, assume de imediato o segundo colocado na última eleição, José Maranhão, Senador (PMDB). Os advogados do Governador falam em apelar para o TSE, mas como o placar foi muito elastecido, diminuem as esperanças deles, para que o TSE dê guarida a apelação.’

  3. Comentou em 30/07/2007 Fernando Pinto

    Para desespero do Sr. Dines.’“Ou seja, coisa que muita gente esperava que o acidente trouxesse uma queda na popularidade na avaliação do Governo não aconteceu… A Vox fez apenas pesquisas específicas em cidades de alguns estados e também em outras capitais, fora São Paulo. E em todas elas a tendência é parecida. Pode ter uma oscilação numa para mais ou em outra para menos, o saldo parece ser perto de zero”, disse Coimbra.

    Para Marcos Coimbra a explicação é que “o acidente, por mais triste e lamentável que tenha sido, está nítido para quase todo mundo que a responsabilidade direta do Governo é praticamente nenhuma

  4. Comentou em 30/07/2007 Ruy Acquaviva

    Não posso acreditar que um jornalista da categoria do Sr. Dines não tenha intimidade com as palavras. Portanto só posso atribuir seu uso indevido do termo ‘colapso’ à má-fé, no intuito de mistificar a crise da aviação civil para atingir o governo. Isso é mau jornalismo. Colaps significaria que ninguém conseguiria viajar de avião, que as viagens aéreas estariam suspensas. Nã é isso que ocorre. Com todos os probemas, mesmo superlativados de todas as formas possíveis pela grande imprensa e pela oposição, não existe a menor base para se falar em colapso,. Crise sim, colapso não, são coisas completamente diferentes. Não dá para contemporizer com um jornalista que escolhe as palavras não para esclarecer o leitor, mas para enganá-lo. Trata-se sim de mal jornalismo. Um exemplo do que não deve ser feito. Uma vergonha para a profissão.

  5. Comentou em 30/07/2007 Marco Antônio da Costa

    Convém dizer, é extremamente prematuro culpar esta ou aquela causa, principalmente aquele que já não se encontra entre nós, caso do falecido Comandante da aeronave sinistrada. O capitalismo, através de seus tentáculos carniceiros, caso especifico da mídia brega e mercenária, procura pêlo em bumbum de criança, sem critérios nenhum vai pondo a culpa neste ou naquele problema. Existem uma série de causas envolvidas que provocaram tamanha tragédia, vai da pista sem ranhuras, pista com pouca extensão, água da chuva, local de risco em função da existência de um emaranhado de prédios, falha humana(comandante e seu auxiliar), peças do avião com defeitos e, a mais grave desse pacote tragico, falta de infra-estrutura necessária para o bom andamento dos trabalhos numa área que não permite erros. Quanto ao governo Federal, tenho a lamentar seu desinteresse com às necessidades em geral de toda a população pobre e média. Porém, para o capitalista tubarão tem feito um excelente governo.

  6. Comentou em 30/07/2007 Marcelo Thompson

    Uma eventual falha humana pode sim excluir causas complementares. Tudo depende de qual foi a causa raiz (ao contrário do que dizem por aí, não existem multiplas causas para um acidente, como é comprovado pela Engenharia de Segurança).
    Dimes, me diga uma coisa: o que pensar de um ‘Fantástico’ que faz uma enorme reportagem sobre as construções irregulares no entorno de Congonhas mas não cobra nada da prefeitura de São Paulo sobre o assunto? É culpa da Infraero também? Sim, a Infraero é a interessada, mas a responsabilidade é da prefeitura… porém isso não é questionado em NENHUM meio de comunicação. Os repórteres são idiotas? Eu sinceramente acho que não. Parece haver algo mais por trás e não adianta rotular quem percebe isso de ‘militância anti-mídia’. A mídia livre é de suma importância para a democracia, mas parece haver uma irresponsabilidade generalizada, especialmente porque essa mídia que assistimos está longe de ser livre.

  7. Comentou em 30/07/2007 Vital Ferreira

    Dines, a cruzada contra o ‘sensacionalismo’ da mídia não tem o objetivo de resolver o dito colapso aéreo, mas sim o de denunciar o mau jornalismo que temos observado. Afinal, não é esse o propósito deste observatório?

  8. Comentou em 09/05/2007 JOÃO FONSECA

    BOA NOITE.

    MEU NOME É JOÃO FONSECA, SOU ESTUDANTE DE JORNALISMO, 2 SEMESTRE, DA FACULDADE DE BELO HORIZONTE. GOSTARIA DE SABER, CASO POSSÍVEL, INFORMAÇÕES SOBRE: EDITORIAL, CRÔNICA E COMENTÁRIO. FIZ ALGUMAS PESQUISAS, NO ENTENTO, GOSTARIA DE SABER TUDO SOBRE ESSES TRÊS GÊNEROS OPINATIVOS, DO HISTÓRICO ATÉ A CONTEMPORANEIDADE.

    OBRIGADO PELA ATENÇÃO.

  9. Comentou em 22/02/2007 Marcio Flizikowski

    Caro editor

    No artigo ‘As tendências do jornalismo impresso’, em http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?msg=ok&cod=421IMQ003&#c, no inter-título ‘Imitar a Internet’ existe um equívoco. O Congresso da WAN realizado em novembro de 2.006, está datado como novembro de 2.007, no futuro. Solicito a correção.

    Agradeço pela atenção.

  10. Comentou em 26/11/2004 Samuel Machado Filho

    É com tristeza que envio este email para o Observatório da Imprensa a fim de denunciar o Sistema Brasileiro de Televisão, de propriedade do sr. Sílvio Santos, que desde 1998, alegando razões financeiras e de audiência, não vem exibindo serviço noticioso em sua garde de programação, o que contraria as leis em vigor, que determina a obrigatoriedade de exibição de um mínimo de 5% para as atrações jornalísticas. Muita coisa importante não foi noticiada pelo SBT de 6 anos para cá. em razão da total e ilegal ausência de jornalismo na programação dessa empresa. Onde estão o Ministério Público, a Fenaj, a CUT e o Ministério das Comunicações que não vêem esse tamanho absurdo e não tomam nehuma providência contra a falta de programas noticiosos no SBT? Será que a impunidade chegou até à TV aberta? Onde vamos parar com tanta desinformação e impunidade? É por isso que escrevo ao OI para denunciar a não-exibção de noticiosos por parte do SBT e pedir das entidades supramencionadas providências contra esse absurda falta de informação e consequente contravenção. NÃO É DESINFORMANDO E BURLANDO A LEI QUE SE CONSEGUE AUDIÊNCIA! NÃO À DESINFORMAÇÃO E À IMPUNIDADE! ABAIXO O SBT!!!

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem