Quinta-feira, 24 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

CADERNO DA CIDADANIA > SEXTA-FEIRA, 26/12

Apesar da crise, teles investirão R$ 19 bilhões

Por Luiz Antonio Magalhães (seleção de textos) em 26/12/2008 na edição 517


Leia abaixo os textos de sexta-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 26 de dezembro de 2008


TELECOMUNICAÇÕES


Julio Wiziack


Na crise, teles vão investir R$ 19 bilhões


‘Os investimentos das operadoras móveis para o próximo ano deverão somar R$ 19 bilhões, 35,7% acima da quantia investida em 2008. A cifra pode chegar a R$ 22 bilhões caso repitam a expansão de 2008, incorporando outros 30 milhões de novos clientes às suas bases.


As companhias dizem que estão capitalizadas, mas pressionam o governo por linhas especiais de crédito, pelo adiamento no pagamento de tributos e pela redução de impostos para criar um ‘colchão’ que assegure os investimentos diante da crise financeira.


Boa parte dos recursos irá para melhorias da rede atual e ampliação da cobertura da telefonia 3G (terceira geração), plataforma que permite o acesso à internet rápida pelo celular.


Os números da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) indicam um longo caminho pela frente. Os acessos saltaram de 1,26 milhão, em outubro, para 1,34 milhão, em novembro, um crescimento de 6,3%. Segundo as operadoras, 80% desse tráfego se refere ao uso da banda larga móvel.


Esse mercado ainda engatinha, mas as teles não estão preocupadas. Pesquisas indicam que as receitas dos serviços 3G chegarão a US$ 9 bilhões nos próximos cinco anos.


Entre eles estão o acesso à internet móvel e a venda de pacotes de TV móvel, vídeos e games, por exemplo. Estima-se que, até lá, o Brasil terá 215 milhões de linhas celulares sendo 35% em 3G. Hoje elas são 1% de um total de 152 milhões.


Até os fabricantes de celulares estão de olho nesse público. A Nokia, por exemplo, não só ampliou o número de aparelhos 3G à venda no país -já são 15- como turbinou o portal da internet por onde vende músicas, vídeos e serviços como localização via GPS atrelada a ferramenta de buscas. ‘O Brasil é prioridade’, diz Gustavo Jaramillo, diretor de produtos e serviços da Nokia. ‘Apostamos no crescimento desse mercado.’


Redução de impostos


Para acelerar o ritmo de expansão dos negócios, e também a amortização dos investimentos, as teles pedem benefícios fiscais. Para elas, a banda larga móvel é fundamental para o desenvolvimento econômico do país. ‘Os estudos mostram que um brasileiro conectado à internet ganha, em média, 20% mais que os que não usufruem do serviço’, diz Hugo Janeba, vice-presidente de marketing e inovação da Vivo.


As operadoras acreditam que uma das formas de universalizar o acesso à internet seria a redução dos impostos cobrados sobre o modem, equipamento vendido pelas teles que faz a conexão dos notebooks à sua rede de internet móvel. ‘O preço do equipamento hoje é de cerca de R$ 400’, diz Renato Ciuchini, diretor de novos negócios da TIM. ‘Para pensar em massificação e universalização da banda larga móvel, ele deve custar R$ 150, no máximo.’


Representantes de outras operadoras concordam que devem ter o mesmo tratamento concedido aos fabricantes de informática. Há três anos, eles conseguiram a redução de PIS e Cofins que incide sobre computadores. Com a medida, o país se tornou um dos cinco maiores consumidores de PCs e notebooks do mundo, pondo praticamente fim ao mercado clandestino.


‘Nosso setor é fundamental para o desenvolvimento do país’, diz Mario Cesar de Araujo, presidente da TIM. ‘Precisamos conectar esses computadores para promover a universalização da banda larga.’


Levantamento da americana Cisco, maior fabricante de equipamentos que mantêm os computadores ligados à internet, indica que a popularização da internet rápida tende a ocorrer pela rede móvel. De acordo com a pesquisa, o ritmo de crescimento dos acessos à internet é duas vezes maior que o da rede fixa (feita pela tecnologia ADSL, via cabo ou satélite).


Expansão


De acordo com as regras do leilão das licenças de 3G, ocorrido em dezembro de 2007, as companhias têm metas de cobertura. Ao arrematarem as freqüências (de 1,9 GHz e 2,1 GHz, faixas da 3G), elas terão de levar o celular a 1.800 municípios hoje sem o serviço até 2010. Esse também será o prazo para a oferta de banda larga móvel 3G nas capitais, no Distrito Federal e em 80% da área urbana das cidades com mais de 500 mil habitantes.


Após quatro anos, todos os municípios com mais de 200 mil habitantes deverão estar cobertos. Passados cinco anos, 50% dos municípios com população entre 30 mil e 100 mil habitantes e a totalidade das cidades acima dessa faixa populacional. Após oito anos, pelo menos 60% dos municípios com 30 mil habitantes terão a tecnologia. Ao todo, cerca de 3.800 cidades serão atendidas com serviços de banda larga sem fio.’


 


 


 TV GLOBO


Caio Jobim


Televisão


‘A contagem regressiva para o Ano Novo começa cedo na Globo, na manhã do dia 31. Ana Maria Braga recebe Zeca Pagodinho no estúdio do ‘Mais Você’, amostra de uma virada predominantemente musical, pelo menos na televisão aberta.


À noite, Zeca Pagodinho -sim, ele de novo- será uma das 40 atrações do ‘Show da Virada’ comandado por André Marques. Os convidados não diferem muito dos de outros anos. Estão lá o Charlie Brown Jr. para os rebeldes sem causa; NX Zero para os emos; Zezé Di Camargo e Luciano para os sertanejos; Asa de Águia para quem curte micaretas etc.


Para evitar a sensação de déjà vu, neste ano alguns números serão divididos. Pode ser novidade no programa, mas Titãs e Paralamas já fizeram turnê juntos; Chitãozinho e Xororó e Fresno se apresentaram no último Video Music Brasil, na MTV; e a parceria de Wando e Cláudia Leitte já passou até pelo sofá de Hebe Camargo.


Aliás, é com o axé de Leitte que a Record promete embalar o Réveillon dos seus espectadores. O show é o mesmo lançado em DVD, gravado em Copacabana neste ano. Curiosamente, a primeira vez do dueto com Wando aconteceu nesta oportunidade. Eles atacaram de ‘Fogo e Paixão’, que agora a Globo vai recriar em sua festa.


Tão tradicional quanto a Corrida de São Silvestre em São Paulo, exibida pela Globo às 16h45, é a contagem regressiva, que interrompe o ‘Show da Virada’ pouco antes da meia-noite, seguida pelo espetáculo dos fogos em Copacabana.


No dia 1º, a Globo leva ao ar o especial ‘Uma Noite no Castelo’, com Renato Aragão e a sua filha Livian. Didi é o serviçal do fictício reino da Landinóvia, cujo castelo está ameaçado por um tirano que viveu há mil anos e, agora, volta a assombrar a família real. Ele se põe à disposição da princesa Lili (Livian) e do príncipe Guilherme (Alexandre Slaviero) para ajudá-los na luta contra o inimigo do passado. Didi e sua trupe descobrem um portal que os joga numa aventura medieval, com duelos, dragões, muitas cenas cômicas -e final feliz.’


 ************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 26 de dezembro de 2008


 TELEVISÃO


Thaís Pinheiro


Faturamento cresce 35%


‘Desde a contratação dos jornalistas Carlos Nascimento, em 2006, e Ana Paula Padrão, em 2007, o SBT vem investindo, mais uma vez, em seus noticiários. Segundo o diretor de Jornalismo da emissora, Paulo Nicolau, que conversou com o Estado por telefone, o departamento passa por reformulações há mais de três anos e fechou 2008 com faturamento 35% superior a 2007.


Apesar do fracasso da retomada do vespertino Aqui Agora, a rede investiu em dois telejornais locais em Brasília no fim deste ano, contabilizando 50 contratações.


A que se deve esse crescimento no faturamento do telejornalismo?


É um reconhecimento do mercado ao jornalismo que o SBT está apresentando. Este foi o ano que consolidou a volta do jornalismo do SBT, que começou há três anos, com a vinda de Carlos Nascimento e, depois, Ana Paula Padrão. Levamos uma boa equipe à Olimpíada de Pequim, tivemos a cobertura especial das eleições brasileiras e norte-americanas. Foi um investimento em que pudemos qualificar melhor a equipe, trazer pessoas novas. Temos um time bom, desde o estagiário até o apresentador.


Mas o SBT é conhecido pela instabilidade da grade. O Aqui Agora, por exemplo, ficou pouco mais de um mês no ar. Isso não pode afetar a credibilidade?


O Aqui Agora foi um produto que não deu certo. Mas acho que não existe mais instabilidade. Nosso Jornal do SBT está às 21h30 há dois anos. Manter a estabilidade dá credibilidade sim, e nós queremos ser referência para a família brasileira. O jornalismo do SBT mudou muito.


O que está previsto para 2009?


No ano que vem, pretendemos remodelar os telejornais de Porto Alegre, Rio e Belém, que já têm seus noticiários locais.


Entre-linhas


No especial Aline, que vai ao ar terça-feira, na Globo, Pedro Neschling e Bernardo Marinho vivem, respectivamente, Pedro e Otto, os namorados da protagonista moderninha. Mas, nos testes, Neschling fez o papel de Otto e Marinho, de Pedro.


‘Isso não teve o menor problema. Nos quadrinhos, os personagens são bem homogêneos, não há muita nuance entre eles’, disse Neschling ao Estado.


Nesse clima de retrospectiva, o Ação, da Globo, relembra amanhã, às 7h40, alguns dos mais de 150 projetos sociais apresentados durante o ano.’


 


 


PROTÓGENES CENSURADO


O Estado de S. Paulo


TV Brasil transmite ‘Roda Viva’


‘A TV Brasil vai exibir no domingo, às 16 horas, a entrevista do delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz ao ‘Roda Viva’, produzido pela TV Cultura e transmitido ao vivo na última segunda. A presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Tereza Cruvinel, disse que programou a exibição para corrigir a falha da equipe técnica por não ter transmitido o ‘Roda Viva’ na segunda. Ela informou que a equipe acreditou que o programa fosse uma reprise e não o levou ao ar. ‘Foi uma falha nossa, uma falha gerencial, a Cultura não tem nada com isso. O encarregado da programação não atualizou a grade, imaginando que haveria uma reprise.’ ‘


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem