Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CADERNO DA CIDADANIA > LEITURAS DE VEJA

As armas da intimidação

Por Luís Nassif em 19/02/2008 na edição 473

Na semana passada a Editora Abril entrou com quatro, cinco ou seis processos contra mim. Vou saber direito esta semana, quando chegarem as intimações.


A razão dos processos é uma série que estou escrevendo e publicando na internet sobre o jornalismo da revista Veja. A série pode ser lida aqui ou aqui.


Quando comecei a escrever a série tinha consciência dos riscos envolvidos, não apenas o de ser alvo de campanhas difamatórias para intimidar (como Veja de fato tentou fazer, através de seus blogs) ou de ações judiciais em bloco para me sufocar financeiramente e consumir meu tempo na preparação da defesa.


Faz parte do jogo.


Resolvi correr o risco porque, nos últimos tempos, Veja passou a praticar o jornalismo mais escabroso que conheci em muitas décadas de profissão de jornalista. Não se fale das campanhas contra o governo. Quem tem poder de Estado – como políticos, presidentes, governadores – que se defendam. A questão é que, escudada no poder conferido por essa campanha, a revista passou a invadir outras áreas, a espalhar infâmias contra toda sorte de pessoas – jornalistas, artistas, intelectuais –, até mergulhar de forma suspeita em grandes disputas comerciais.


Difamação e intolerância


A série procura analisar e informar sobre essas transformações que ocorreram no jornalismo da Veja. Desde ataques a cursos apostilados de editoras concorrentes da Abril, até ações visando beneficiar publicitários e banqueiros de negócios envolvidos em disputas empresariais.


Por que resolvi me meter em assunto tão espinhoso, dispondo apenas da internet para enfrentar uma empresa do poderio da Abril e uma publicação com o alcance da revista Veja? Porque alguém tinha que começar.


O jornalismo é um dos poderes fundamentais da República. É o poder que permite o controle sobre abusos dos demais poderes. Para cumprir seu papel exige clareza, discernimento, responsabilidade social, respeito aos direitos individuais. É um trabalho tão importante quanto o do educador. Se uma grande publicação se pauta pelos ataques difamatórios, pela intolerância, pela manipulação de informações, além de comprometer o discernimento da opinião pública, acaba contaminando o país.


Causa relevante


E aí se entra na questão da democracia. Uma mídia independente e crítica é fundamental para estabelecer limites às ações dos governantes. Mas quando começa a enveredar pelo caminho das disputas empresariais, dos assassinatos de reputação, torna-se uma ameaça. E quem nos protege dessa ameaça?


Nos últimos anos, Veja sofreu inúmeras condenações por crimes de injúria e difamação. Mas os valores eram irrisórios perto do faturamento da revista. Acabou passando à sua direção a sensação de poder absoluto para atacar quem quisesse.


Com o advento da internet, esse poder absoluto pode ser questionado.


Agora, a Abril abre uma boa quantidade de ações contra mim. A intenção óbvia é tentar me sufocar financeiramente, já que não tenho a estrutura do departamento jurídico da Abril.


Não importa, A causa é relevante. Convido-os a ler a série para entender as razões que me levaram a esse enfrentamento.


Leia também  


Estilo neocon, política e negócios — L.N.


Os primeiros ataques a Daniel Dantas — L.N.


O dossiê falso — L.N.


 

******

Jornalista

Todos os comentários

  1. Comentou em 25/02/2008 Geovan S silva

    A ‘poderosa’ Abril que também é um dos veículos de comunicação a gritar a favor da tal ‘liberdade de imprensa’ ( só quando fere os seus interesses ), agora está tentando impedir a liberdade de imprensa de um jornalista de respeito e grande nome neste Brasil. Luis Nassif é um desses caras que merecem um busto no Maracanã, pois tem que ter muita coragem para bater de frente com essa gente da Abril.
    A Abril está demonstrando que a tal ‘liberdade de imprensa’ tem validade quando se trata apenas de atacar reputações, destruir instituições e fazer jogo político a favor dos seus apadrinhados ou preferidos, como seja.
    Essa é a Abril e sus filhote Veja.
    Agora eu quero perguntar onde está a ‘poderosa’ e ‘extraordinária’ defensora da liberdade de imprensa e dos jornalistas deste país. A nossa amada e (até agora), inquestionável A B I.
    A ABI vai gritar e espernear a favor do nosso Luis Nassif?
    Ou vai ficar caladinha com medo das reações dos donos da Abril?
    VEREMOS NOS PROXÍMOS CAPÍTULOS!

  2. Comentou em 25/02/2008 José Roberto Magalhães

    Sid Ellias, garoto de ouro na defesa da coligação ética PMDB/PT/PTB, humildade em voce não cabe. Petistas quando estão no poder são todos muito arrogantes. Você vai ver mesmo é o que vai acontecer no Governo do teu companheiro petista da Bahia. Quem viver verá. Agora, quanto ao nível para debater, não se preocupe, eu vou ao seu. Os petistas gostam mesmo é de comparações. Um abraço e boa semana.

  3. Comentou em 23/02/2008 Cid Elias

    Robertão 7,5 Bilhão, terás que arrumar alguém do teu nível pra debater. Como sabes bem o que significa ‘caldo de bila e miolo de pote'(*Sr. Egypto, usa-se para expressar algo sem conteúdo, conversa mole, inconsistência), então procure cabras deste mesmo padrão que apresentas, nitidamente superior ao meu, basta vermos as cifras que teu partido desvia. Segue a última besterinha, em tua ‘memória’: ‘…Os repasses do governor de São Paulo, José Serra para entidades do terceiro setor, como ONGs e Oscips, estão passando por um pente-fino do Tribunal de Contas do Estado. No ano passado, 1.891 processos foram abertos para investigar as transferências de recursos do governo estadual José Serra (PSDB) e das prefeituras para entidades sem fins lucrativos.O motivo é o elevado número de denúncias de irregularidades na execução. As suspeitas sobre as relações entre o dinheiro público e tais organizações tomaram corpo após a abertura da CPI das ONGs, em 2007. Os 1.891 processos contra algumas centenas de ongs ligadas aos tucanos, compõem o primeiro lote de auditorias do TCE, que impõem critérios mais rígidos de análise. As principais mudanças nas fiscalizações são a exigência de visitas às entidades e a responsabilização dos órgãos concedentes dos recursos (Estado e prefeituras).Com isso, o TCE espera frear uma onda de entidades criadas exclusivamente para explorar os cofres públicos.'(APL)

  4. Comentou em 23/02/2008 Cid Elias

    Robertão 7,5 Bilhão, terás que arrumar alguém do teu nível pra debater. Como sabes bem o que significa ‘caldo de bila e miolo de pote'(*Sr. Egypto, usa-se para expressar algo sem conteúdo, conversa mole, inconsistência), então procure cabras deste mesmo padrão que apresentas, nitidamente superior ao meu, basta vermos as cifras que teu partido desvia. Segue a última besterinha, em tua ‘memória’: ‘…Os repasses do governor de São Paulo, José Serra para entidades do terceiro setor, como ONGs e Oscips, estão passando por um pente-fino do Tribunal de Contas do Estado. No ano passado, 1.891 processos foram abertos para investigar as transferências de recursos do governo estadual José Serra (PSDB) e das prefeituras para entidades sem fins lucrativos.O motivo é o elevado número de denúncias de irregularidades na execução. As suspeitas sobre as relações entre o dinheiro público e tais organizações tomaram corpo após a abertura da CPI das ONGs, em 2007. Os 1.891 processos contra algumas centenas de ongs ligadas aos tucanos, compõem o primeiro lote de auditorias do TCE, que impõem critérios mais rígidos de análise. As principais mudanças nas fiscalizações são a exigência de visitas às entidades e a responsabilização dos órgãos concedentes dos recursos (Estado e prefeituras).Com isso, o TCE espera frear uma onda de entidades criadas exclusivamente para explorar os cofres públicos.'(APL)

  5. Comentou em 22/02/2008 Carla Coimbra

    Quero cumprimentar o jornalista Luis Nassif por sua iniciativa ao denunciar a revista Veja. Quanto as ações que a revista move contra sua pessoa espero que não tenha êxito.
    Porém desejo que esta revista venha a responder por todas as calúnias e injúrias que tem lançado sobre as pessoas.Que a história julgue sua qualidade e intenções.

  6. Comentou em 22/02/2008 José Roberto Magalhães

    No meu comentario anterior, foi substituida uma frase por um colchete. Talvez por desconhecer o idioma cearense, quem fez a moderação entendeu como ofensa, mas era um elogio. Eu jamais ofenderia o meu amigo sid ellias. Feita a retificação. Viva FHC, fora lulla.

  7. Comentou em 22/02/2008 liliam santos

    Luis Ariosto Pereira Silva
    Esta doeu na alma: ‘ carne mau passada’. Como errar assim?
    E depois falam do Lula. Ele pelo menos não é artista…….

  8. Comentou em 21/02/2008 Thomaz Magalhães

    Mate minha curiosidade, Cid Elias, você hoteleiro que sabe o valor de caixas de uísque. Sabe também que a medida delas é seis garrafas, por caixa. Você fretaria um avião a jato decolando de Belo Horizonte, pegando-as em Brasília e entregando-as em São Paulo, acompanhadas por um operador graúdo, mais um carro blindado com chofer para buscá-la em Viracopos para São Paulo? Ou despacharia por uma transportadora?

  9. Comentou em 19/02/2008 Max Suel

    Acompanho o Jornalista Luis Nassif há muitos anos, desde a década de 80, quando seguia seus conselhos e fazia as opções para minorar as prestações da sofrida casa própria, e me proteger da inflação. Acompanho o Jornalista Reinaldo Azevedo desde 2005, desde sua revista e site Primeira Leitura, e agora no seu blog desde o início em Junho de 2006. Tenho simpatia pelo Jornalista Luis Nassif, e sigo diariamente o blog do Jornalista Reinaldo Azevedo. A situação toda confesso, me deixa numa grande dúvida, sem saber para que lado pender, e quem tem afinal a razão. O que resulta deste impasse é um sentimento de profunda tristeza, pois, como disse, acompanho os dois lados. Acho profundamente lamentável toda esta situação, e espero que tudo fique claro logo.

  10. Comentou em 19/02/2008 Max Suel

    Acompanho o Jornalista Luis Nassif há muitos anos, desde a década de 80, quando seguia seus conselhos e fazia as opções para minorar as prestações da sofrida casa própria, e me proteger da inflação. Acompanho o Jornalista Reinaldo Azevedo desde 2005, desde sua revista e site Primeira Leitura, e agora no seu blog desde o início em Junho de 2006. Tenho simpatia pelo Jornalista Luis Nassif, e sigo diariamente o blog do Jornalista Reinaldo Azevedo. A situação toda confesso, me deixa numa grande dúvida, sem saber para que lado pender, e quem tem afinal a razão. O que resulta deste impasse é um sentimento de profunda tristeza, pois, como disse, acompanho os dois lados. Acho profundamente lamentável toda esta situação, e espero que tudo fique claro logo.

  11. Comentou em 19/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Nos últimos anos, Veja sofreu inúmeras condenações por crimes de injúria e difamação. Mas os valores eram irrisórios perto do faturamento da revista’: em outras palavras, o crime compensa no Brasil porque toda santa vez que se depende do judiciario ele falha. Vide Brasilia.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem