Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1054
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Bahia vai indenizar família de jornalista morto

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 23/09/2009 na edição 556


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas. 
 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 23 de setembro de 2009 


 


BAHIA


Folha de S. Paulo


Família de jornalista morto será indenizada


‘O governo da Bahia decidiu indenizar em R$ 100 mil a família do jornalista Manoel Leal, assassinado em 1998, em Itabuna (437 km de Salvador). O pagamento deve ser enviado à Assembleia Legislativa nos próximos dias.


A indenização foi uma recomendação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, da OEA (Organização dos Estados Americanos), que responsabiliza o Estado por omissão na garantia de segurança e na investigação. O crime ocorreu na gestão Paulo Souto (DEM).


Leal era dono do jornal ‘A Região’, que fazia oposição ao então prefeito Fernando Gomes (PTB).


O governo disse vai pedir a reabertura do caso. Dos três acusados pelo crime, apenas um está preso.’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Sob cerco golpista


‘Foi manchete ao longo de manhã e tarde nos sites brasileiros, cedeu lugar ao grau de investimento, mas retornou à noite, telejornais inclusive. Nos enunciados, ‘Embaixada tem serviços básicos cortados’, ‘Amorim diz que não tolerará ação contra embaixada’, ‘Lula pede que Zelaya não dê razão para ataque’, ‘Governo aciona Conselho de Segurança da ONU’. E alternativas como ‘Zelaya diz ter buscado embaixada por lição de democracia’.


O ‘New York Times’ destacou a repressão policial e a rejeição por Lula, em Nova York, de ‘mais golpes militares’. No ‘Wall Street Journal’, atenção ao risco de ‘violência renovada’.


Ambos avaliam que ‘a volta surpresa põe Brasil em posição desconfortável, longe do papel de estadista frio que preza’. Na americana AP, Lula cobrou que Zelaya não dê pretexto para ataque. Na chinesa Xinhua, o governo ‘de facto’ prometeu não atacar.


No topo das buscas de Brasil no fim do dia, Reuters e AFP destacavam que o Departamento de Estado dos EUA pediu ‘respeito à inviolabilidade da embaixada’, um ‘princípio de relações internacionais que é aceito universalmente’, até por ditadura militar.


TV BRASIL ANTES


A rede estatal ouviu Zelaya anteontem. ‘Queria agradecer ao presidente Lula, ao chanceler Amorim e ao [assessor] Marco Aurélio Garcia, que abriram as portas para iniciar o diálogo. Que a luta pela democracia sirva para a América Latina’.


GLOBO & RECORD


Ontem foram as redes privadas, também por telefone. No destaque do ‘Jornal Nacional’ e antes do portal G1, Zelaya afirmou ter pedido ‘proteção’ e não ‘asilo’ ao Brasil. No ‘Jornal da Record’, disse que ‘avisou’ as autoridades brasileiras.


‘ESPETACULAR’


O ‘Christian Science Monitor’ destacou de Honduras que ‘Zelaya esnobou Hugo Chávez pelo Brasil’, que de sua parte ‘agarrou o papel de líder’.


A ‘Newsweek’, em edição já programada, deu a longa reportagem ‘O político mais popular do mundo’, dizendo que ‘por sete anos ele fez um trabalho espetacular como presidente do Brasil. Mas Lula pode resistir às tentações para jogar isso fora?’ (abaixo, na home).


A revista postou separadamente a íntegra da entrevista com o ‘carismático Lula’, ‘homem do momento’. E fez até uma relação com os ‘transformadores’ ou ‘líderes que refizeram radicalmente os seus países’ encabeçada por Lula, mais Margaret Thatcher, Deng Xiaping, Nelson Mandela, Kim Dae-jung etc.


‘DURACELSO’


A nova viagem de Lula estimulou também análises com títulos como ‘Brasil alvoroça a ordem mundial’, no espanhol ‘El País’, e ‘Como Lula posicionou o Brasil no mundo’, no argentino ‘La Nación’. O primeiro diz que ele vai falar na ONU ‘com a autoridade de quem chega com os deveres de casa muito bem feitos’. O segundo elogia a ação de Celso Amorim pelo mundo e sublinha seu ‘apelido no Itamaraty’, Duracelso, referência à pilha.


BRASIL & ÍNDIA


Dos muitos encontros do Brasil em Nova York, na ONU, resultou reportagem no indiano ‘Business Standard’, com repercussão no ‘WSJ’, anunciando que ‘Brasil e Índia vão se opor à União Europeia na Organização Mundial do Comércio’, sobre propriedade intelectual.


Por outro lado, em agências indianas como PTI, o fórum Ibsa (Índia, Brasil e África do Sul) se reuniu para articular pressão por cadeira no Conselho de Segurança.


NOTA ALTA


Na escalada, os telejornais tentaram explicar grau de investimento como ‘atestado de bom pagador’, na Globo, ou crédito ‘recomendado’, na Band.


Na manchete da Reuters Brasil, a partir do fim do dia, ‘Moody’s vê Brasil ‘vencedor’ e dá grau de investimento’.


Quer dizer, a agência de classificação de risco vê o país ‘como vencedor da crise global’. No portal Exame, com ironia, ‘A Moody’s demorou’.


IBOPE ALTO


Em meio à atenção com Honduras, saiu enfim o Ibope. Reuters Brasil, Valor Online, Agência Brasil e outros ressaltam que o otimismo com juros e empregos permitiram até ‘ligeira alta’ para o governo.


Por Folha Online e outros, ‘Ciro Gomes cresce e empata com Dilma Rousseff’. No portal iG, Ciro comentou a queda da petista e chegou a ser manchete, ‘Dilma sofre agressão’.


Diz ele que ‘há contra ela um fenômeno que já aconteceu comigo, que é uma desequilibrada agressão, um processo de difamação permanente’. Ainda no iG, críticas à ausência de cenários alternativos, na pesquisa, só com Ciro ou Dilma.’


 


 


DEOCLECIANO TORRIERI GUIMARÃES (1933-2009)


Talita Bedinelli


O jornalista que escreveu obras-primas para a mulher


‘Lygia apaixonou-se por Deocleciano no momento em que leu as palavras que ele havia anotado no álbum de recordações dela: ‘Estava escrito que tu serias minha’. Terminou o noivado com outro rapaz e casou-se com ele em seguida. ‘Foi assim que ele me conquistou’, afirma ela.


Ele tinha jeito com as palavras. Desde o antigo ginásio (atual ensino fundamental) já escrevia no jornalzinho que criou na escola, em Catanduva (interior de São Paulo).


Mudou-se para a capital, onde cursou direito, e começou a trabalhar na Folha da Tarde e na Folha.


Foi crítico de literatura e escrevia uma coluna chamada ‘Bilhete’. Também foi o autor de contos publicados durante o Natal e o Carnaval.


Escreveu cerca de vinte livros, entre romances e biografias. E, em 1973, foi o ganhador de um prêmio Jabuti.


Autores como Franz Kafka, Diderot e Maquiavel foram traduzidos por ele.


Mas, para a família, as obras mais memoráveis são as deixadas para Lygia, com quem ele foi casado por 55 anos. Em um aniversário dela, ele comprou bombons e escreveu na caixa o poema ‘Doce Amargo’, que criou enquanto estava no bonde.


‘Mas o poeta esquivou-se/ Nesta tão poética lida/ Para te dizer: A sua amarga vida/ Só você a torna doce.’


Há oito anos, Deocleciano lutava contra um câncer, que o matou na quinta, aos 76.


Deixou três filhos e seis netos.


A missa de sétimo dia será amanhã, às 20h, na Igreja São Judas Tadeu, em São Paulo.’


 


 


TELEVISÃO


Daniel Bergamasco


Globo prepara releitura da ‘TV Pirata’ com jovens atores


‘Uma versão modernizada da ‘TV Pirata’ está no forno da TV Globo, que pode lançar a atração no ano que vem.


O programa não terá o mesmo nome do humorístico célebre dos anos 80, mas é chamado de ‘a nova TV Pirata’ nos bastidores por ter o mesmo conceito: reunir jovens talentos da atuação e do texto de humor em um programa semanal com toque ‘experimental’ e ‘inteligente’.


O capitão do projeto é o mesmo Guel Arraes da ‘TV Pirata’ original, que tinha no elenco atores como Ney Latorraca, Deborah Bloch e Regina Casé.


O novo time não está fechado, mas Arraes tem se reunido com nomes como Bruno Mazzeo, protagonista e criador do ‘Cilada’, do Multishow e do ‘Fantástico’, e Fábio Porchat, roteirista do ‘Zorra Total’, que deverão escrever e atuar.


Com o projeto, a Globo tenta novamente seduzir Marcelo Adnet, apresentador do ‘15 Minutos’, da MTV. Terá de entrar no páreo com a Record, hoje sua maior rival, que também intensifica o assédio sobre humoristas que fazem sucesso em emissoras menores, em especial participantes dos programas ‘CQC’, da Band, e ‘Pânico’, da Rede TV.


Também na Record, a ideia é criar uma faixa de humor mais jovem e sofisticado nas noites de sábado. Para isso, já contrataram Marcos Mion, que ainda dá expediente na MTV.


Sobre a nova ‘TV Pirata’, a Central Globo de Comunicação informa apenas que ‘Guel está desenvolvendo um programa com essência no humor e que terá a participação de novos humoristas no projeto’.


METALINGUAGEM


Outro projeto dirigido por Guel Arraes já é certeza na Globo, ao menos na grade de especiais de final de ano (que terá também Chico Anysio e um infantil dirigido por Denise Saraceni). Com roteiro de Claudio Paiva, será uma atração de humor sobre os bastidores da televisão. O título ainda está sendo definido.


CELEIRO


O capítulo de sábado da novela ‘Viver a Vida’ terminou com depoimento de Roberto Rios, que já participou do ‘reality show’ ‘Troca de Família’, da Record. Antes, a Globo já havia contratado para a série ‘Ger@l’ dois adolescentes que participaram do ‘reality’.


DESAFIO


A atriz Gabriela Duarte será uma garota ‘mimada e voluntariosa’ em ‘Passione’, novela que Silvio de Abreu prepara para substituir ‘Viver a Vida’ na faixa das 21h.


CASPITA


Na mesma novela, o ator Daniel de Oliveira viverá um camponês de Florença que ambiciona morar na cidade grande. Será filho de Tony Ramos, que se lança no sotaque italiano depois de ter sido grego em ‘Belíssima’ e indiano em ‘Caminho das Índias’.


SBT NA MTV


Os apresentadores Eliana e João Gordo subirão juntos ao palco do VMB, no dia 1º, para entregar troféu de show do ano.’


 


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 23 de setembro de 2009 


 


LIBERDADE DE IMPRENSA


Tiago Décimo


Justiça derruba censura ao jornal ‘A Tarde’ da Bahia


‘A desembargadora Rosita Falcão de Almeida Maia, do Tribunal de Justiça da Bahia, suspendeu liminar que impedia o jornal A Tarde de publicar reportagens sobre o desembargador Rubem Peregrino Cunha. Ele é investigado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por suspeita de venda de sentenças.


Desde julho, o jornal estava impedido de publicar material sobre o magistrado, por decisão do juiz Márcio Braga, da 31ª Vara Cível de Salvador. Braga havia concedido liminar em favor do desembargador com base no artigo 54 da Lei Orgânica da Magistratura Nacional, que estabelece sigilo sobre sindicâncias contra magistrados.


Rosita, porém, considerou o artigo 220 da Constituição, pelo qual ‘nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística’. Segundo a desembargadora, a falta de condenação em processos judiciais não impede a veiculação de informações sobre nenhum cidadão, ‘principalmente os que exercem cargos públicos’.


A suspeita de venda de sentenças surgiu em setembro de 2008, quando um filho do desembargador Cunha, Nizan, foi flagrado, em gravação telefônica, negociando por R$ 400 mil uma sentença de seu pai favorável ao ex-prefeito Antônio Batista, de São Francisco do Conde, no Recôncavo Baiano. Procurado, o desembargador não atendeu à reportagem.’


 


 


Fausto Macedo


OAB volta a criticar lentidão do TJ


‘O presidente da Comissão de Assuntos Institucionais da Ordem dos Advogados de São Paulo (OAB-SP), Jarbas Machioni, avalia que a lentidão do processo de censura ao Estado ‘só serve a certos setores liberticidas da sociedade’.


A ordem de silêncio, há 54 dias em vigor, foi baixada pelo desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF). Ele acolheu recurso do empresário Fernando Sarney, citado na Operação Boi Barrica, da Polícia Federal.


Fernando é filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), com quem o magistrado mantém convívio social. Na semana passada, o TJ-DF reconheceu suspeição de Vieira, mas não invalidou a mordaça por ele aplicada.


‘É uma monstruosidade jurídica’, afirma Machioni, há 29 anos na carreira, conselheiro da OAB e professor da Escola Superior de Advocacia’, diz o advogado. ‘O Estadão não pode publicar detalhes da investigação da Polícia Federal, mas é no mínimo curioso o fato de que todos os outros veículos de comunicação não estão impedidos de fazê-lo, ou seja, podem noticiar à vontade.’


‘Não faz nenhum sentido reconhecer o juiz como suspeito e, ao mesmo tempo, manter sua decisão’, assevera Machioni. ‘Arrisco a dizer que o Estadão tem até o direito de ignorar a decisão e voltar a publicar tudo sobre a investigação. É o que chamo de direito natural, o direito da resistência justificada contra a decisão injusta que é manter proibição quando o juiz que a decretou é declarado suspeito. Na minha longa carreira nunca vi um caso assim, todas as decisões de censura foram rapidamente cassadas. Esta lei do silêncio contra o Estadão é a mais longa que eu já vi.’


‘A história da democracia brasileira registra pequenos lapsos em que se registra muito mais tolerância para com o poder e com o Estado do que com efetivos direitos garantidos pela Constituição’, analisa o advogado. ‘São lampejos de períodos autoritários na briga entre forças liberticidas e a democracia. A imprensa acaba sofrendo esse tipo de atentado, é sempre a primeira vítima.’


Mapeamento da Associação Nacional de Jornais (ANJ) revela que nos últimos dois anos pelo menos 12 ordens de censura foram impostas a veículos de comunicação em todo o País. Machioni faz um alerta. ‘Essas forças descobriram alguns setores do Judiciário como aliados. Trata-se de absurdo sem precedentes, imaginávamos que só a ditadura poderia agir assim.’’


 


 


YOANI


Flávia Tavares


Blogueira cubana lança livro no País


‘‘Os cidadãos cubanos são como crianças. Precisam de autorização do ‘papá’ para ir e vir’, diz, ao telefone, Yoani Sánchez. ‘Comportei-me mal porque conto como vivemos em Havana.’ Para tentar tirar a autora do blog Generación Y do ‘castigo’, senadores brasileiros mobilizam-se para pressionar o governo de Cuba a liberar o visto de Yoani e permitir que ela venha ao Brasil em outubro, quando a Editora Contexto lançará seu livro De Cuba com Carinho.


O movimento começou a partir de conversas do historiador e editor Jaime Pinsky com a Embaixada de Cuba no Brasil para formalizar o convite à autora para o lançamento. Mas a blogueira já foi convidada a visitar outros países e as autoridades cubanas nunca a liberaram. O editor procurou, então, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), ‘que é do governo brasileiro e amigo do cubano’, para que ele intercedesse.


Em discurso no plenário na segunda-feira, Suplicy tratou do caso, usando o encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com Barack Obama na Assembleia-Geral da ONU como deixa. Confiante de que Lula pressionará o líder americano a rever o bloqueio econômico a Cuba, Suplicy acrescentou que um passo positivo nessa direção seria a liberação de vistos para os cidadãos entrarem e saírem do país. Cuba assinou, em 2008, o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, que garante o direito de livre circulação, até mesmo para o exterior. Mas Yoani já teve o visto negado três vezes só este ano. A permissão para a visita ao Brasil seria um sinal de que Cuba está disposta a praticar o que assina.


Sérgio Guerra (PSDB-PE) protocolou um pedido na embaixada de Cuba e Demóstenes Torres (DEM-GO) tenta aprovar hoje um convite formal do Senado brasileiro a Yoani, como forma de pressionar Havana. Até o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teria manifestado sua intenção de intervir na diplomacia cubana. ‘Não tenho esperanças de viajar. Viajo virtualmente no blog’, resigna-se Yoani. ‘Mas é a primeira vez que políticos tentam me levar a um país e fico feliz que seja o Brasil.’’


 


 


INTERNET


O Estado de S. Paulo


Twitter descarta ter anúncios este ano


‘O site de microblogs Twitter não tem planos para veicular anúncios este ano, garantiu o cofundador Biz Stone, durante conferência em Los Angeles. Stone, que disse que o Twitter ‘está bem por enquanto’ em termos de financiamento, afirmou que o foco da empresa está em aperfeiçoar funções do site, como a ferramenta de pesquisa, e trabalhar perfis comerciais pagos. ‘Qualquer medida para incluir publicidade deve demorar ainda’, disse.’


 


 


MEMÓRIA


O Estado de S. Paulo


Leilão do acervo de fotos da Bloch fracassa


‘Não houve proposta para a compra do acervo fotográfico e do arquivo jornalístico da Bloch Editores. O material foi levado a leilão ontem pela 5ª Vara Empresarial do Rio. Os cerca de 8,5 milhões de fotos, negativos e cromos, somados a coleções completas das revistas Manchete e Fatos e Fotos estão avaliados em R$ 1.967.438,42.’


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Doutor Ray vem aí


‘O cirurgião dr. Robert Rey, conhecido como Dr. Hollywood, do reality show Dr. 90210, terá um programa sobre cirurgias plásticas realizado no Brasil.


O médico, que chegará ao País no dia 28, já tem uma série de reuniões agendadas com Band e RedeTV!, emissoras interessadas no projeto.


A Rede TV!, que já exibe a série estrelada por ele, Dr. Hollywood – toda gravada em Beverly Hills – tem prioridade nas negociações. Empresários ligados ao cirurgião das estrelas tiveram ontem reunião na emissora. Mesmo com contrato para a exibição de Dr. Hollywood até 2011, a RedeTV! não tem direitos sobre a imagem do médico/artista, que pode ter outro programa em qualquer outro canal.


A nova atração, toda gravada no Brasil, também será sobre cirurgia plástica, mostrando tendências, acompanhando o caso de alguns pacientes, e, claro, com imagens de dr. Roberto Rey em ação por aqui, inclusive em trabalhos sociais.


O médico virá ao Brasil também para lançar uma linha de lingerie com sua marca – dessas ‘engana desavisados – que esconde gordurinhas e que promete ser uma alternativa ao bisturi.’


 


 


Roberta Pennafort


Morre no Rio, aos 75, a atriz Dirce Migliaccio


‘A atriz Dirce Migliaccio, de 75 anos, morreu ontem de manhã, no Rio. Ela estava internada desde o início do mês com quadro de pneumonia e infecção urinária, e apresentava sequelas de dois derrames cerebrais sofridos nos últimos dez meses.


Dirce, que morava desde o ano passado no Retiro dos Artistas, instituição onde vivem artistas idosos em dificuldades financeiras, passou por três hospitais públicos. Antes disso, por conta do AVC, só se locomovia de cadeira de rodas e tinha falhas de memória.


Ela tinha 50 anos de carreira. Quem foi criança no fim da década de 70 tem forte lembrança dela como a boneca Emília da primeira versão da TV Globo para o Sítio do Pica-Pau Amarelo (1977), de Monteiro Lobato, a mesma com Zilka Salaberry como Dona Benta e André Valli como o Visconde de Sabugosa.


Dirce também ficou marcada como uma das irmãs Cajazeiras de O Bem Amado (1973, a novela, e 1980, a minissérie). Entre as três solteironas aliadas do prefeito Odorico Paraguaçu, ela era Judicéia, a mais baixa e nervosinha. Ainda nos anos 70, foi Pluft, o fantasminha, personagem da peça de Maria Clara Machado adaptada para TV.


Irmã do ator Flávio Migliaccio (que recentemente saiu do ar em Caminho das Índias, novela em que vivia Cha Cha), a atriz nasceu em São Paulo e faria 76 anos no próximo dia 30. Ela começou a carreira nos palcos, em 1958, em Eles Não Usam Black-Tie. Em 1967, integrou o elenco de O Rei da Vela, marco do teatro brasileiro, com direção de Zé Celso Martinez Corrêa, no Teatro Oficina. Também atuou no TBC.


No cinema, participou de 12 filmes. Em 2006, aos 73 anos, viajou por cidades brasileiras com o irmão com a peça Astro Por Um Dia. Eles tinham um relacionamento próximo e, desde sua mudança para o Retiro dos Artistas, Flávio a visitava. Os dois sonhavam voltar a encenar juntos a peça Os Ratos do Ano 2030, que já haviam montado no ano de 1999.


Um de seus últimos papeis, de uma senhora bondosa que ajuda a personagem central a realizar o sonho de virar estrela de TV, foi no filme Xuxa em Sonhos de Menina (2007). No mesmo ano, fez Sem Controle, com Eduardo Moscovis como protagonista. A atriz também atuou num episódio de Casos e Acasos, seriado da Globo, no ano passado.’


 


 


O Estado de S. Paulo


TV também perde a jovem autora Andrea Maltarolli


‘Integrante do time de autores da Globo, a jornalista e roteirista de TV Andrea Maltarolli, de 46 anos, morreu ontem de câncer, no Rio. Beleza Pura, novela das 7 que foi ao ar de fevereiro a setembro do ano passado, foi sua primeira novela e última obra para a emissora. Andrea faria aniversário segunda-feira.


Nascida no Rio, a autora morou no Amapá e no Pará, durante a infância e a adolescência. Em 1994, decidiu largar o emprego de jornalista na editora Bloch para fazer a oficina de autores da Globo, de onde saiu vitoriosa. A paixão pelos roteiros e a chance de figurar entre os que tentavam uma vaga na Globo aconteceu de maneira inusitada. De acordo com Andrea, uma amiga dela era vizinha do ator Antônio Grassi, que jogava no lixo os roteiros da novela em que atuava. ‘Precisava saber como as novelas eram escritas, então, ela pegava da lixeira dele e me dava. Foi assim que aprendi’, contou em entrevista ao Estado, em junho do ano passado.


Seu primeiro trabalho na emissora foi a primeira fase de Malhação, em 1995, onde permaneceu na equipe de roteiristas até 2002. Andrea também escreveu para o Zorra Total, Turma do Didi e Escolinha do Professor Raimundo.


Atriz de Beleza Pura, Carolina Ferraz se disse chocada. ‘Andrea será eternamente linda e talentosa’, disse. O mocinho da trama, Edson Celulari, acrescentou: ‘Perdemos um talento promissor.’ Bruno Mazzeo, que viveu personagem cômico no folhetim: ‘Já nos conheciamos há mais de 10 anos e a Andrea era uma pessoa muito carinhosa e generosa.’ Chico Anísio relembra que ela foi roteirista da Escolinha do Prof. Raimundo: ‘Sabia escrever diálogos muito bem.’’


 


 


 


 


************


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem