Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Civilidade no mundo online

Por Luiz Domingos de Luna em 19/05/2009 na edição 538

Enquanto nós, do mundo online, não tivermos a consciência plena de que a sociedade virtual é, foi e sempre será um conglomerado humano heterogêneo e que devemos respeitar toda existência humana, seja minoria ou maioria, compreender as opções individuais, orientações sexuais, as manifestações de opiniões, a liberdade de opções; enquanto não pararmos com o uso de adjetivos desqualificativos de escolha, grupos étnicos, religiosos e outros, jamais teremos uma mente aberta para o convívio pleno da paz social, da harmonia e do bem-estar coletivo e, por extensão, no mundo online como um todo.

O tempo usado para depreciar a própria espécie humana, seja fenótipo ou ideológica, no mundo virtual, deveria ser substituído por um tempo útil, ou seja, por uma política universal do bem-estar da humanidade, pois um choque de civilização, de cultura, de ideologia, é um mal que vai prejudicar a todos, em um só tempo, em todo tempo, pois é uma semente de fogo abrasador que coloca o homem contra o próprio homem e em nada colabora para o convívio dos seres humano na esfera maior – o planeta Terra.

Responsabilidade e respeito

Assim, urge a necessidade de nós, que estamos começando a humanizar o mundo pelos olhos atentos e sedentos do mundo online, várias visões integradas, coesas, uniformes, vivas, atuantes e no mergulhar de uma linguagem universal que sirva de crescimento intelectual para todos indistintamente. Precisamos aprender a conviver com posições contrastantes, sem perder a nossa linha lógica existencial através de artigos, comentários firmes, inclusive contraditórios, se for o caso, porém, sem perder o respeito à forma de ver o mundo do outro, pela ótica peculiar a cada componente da espécie humana; e assim, quebrar toda corrente cultural ideológica negativa para a construção de uma nova humanidade, sem fronteiras, sem barreiras e, principalmente, sem o ranço da magia que cega à sociedade atual o preconceito.

Que todos nós, que fazemos esta nova era da internet, saibamos com responsabilidade respeitar às inúmeras vertentes do pensamento humano, sem o manto ignorante do ódio ideológico que suja e diminui a importância da epistemologia genética da humanidade no livro da existência humana.

******

Professor, Aurora, CE

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem