Segunda-feira, 27 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Complô para assassinar apresentador de rádio

Por Comitê para a Proteção dos Jornalistas em 20/10/2009 na edição 560

O proeminente apresentador de rádio Herbin Hoyos Medina deixou a Colômbia na segunda-feira [12/10], depois que as autoridades descobriram uma suposta conspiração para assassiná-lo, segundo informações da imprensa local. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) está preocupado com as ameaças contra Hoyos e exorta as autoridades a continuarem proporcionando-lhe proteção e a garantirem que o jornalista possa regressar à Colômbia e trabalhar sem temor de represálias.

Hoyos, diretor e apresentador do programa de rádio Voces del Secustro na rádio Caracol, disse a jornalistas locais que se viu obrigado a deixar um evento público em Bogotá, na quinta-feira, depois de receber uma advertência das autoridades colombianas de que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) haviam planejado assassiná-lo. Segundo reportagens da imprensa local e internacional, a picape que transportava os guarda-costas do jornalista foi atingida por um caminhão não identificado quando deixava o evento. As autoridades indicaram que o acidente fazia parte de um complô para matá-lo. Hoyos, que fugiu em uma motocicleta, saiu ileso.

Hoyos deixou o país rumo a um destino não revelado na Europa, de acordo com a imprensa, e a rádio Caracol informou que o jornalista continuará apresentando o Voces del Secuestro do exterior.

No sábado [10/10], o presidente Alvaro Uribe Vélez condenou as ameaças contra Hoyos e instou todos os colombianos a apoiarem o trabalho do jornalista. Os investigadores indicaram que o líder das Farc, José Benito Cabrera Cuevas, conhecido como ‘Fabián Ramírez’, havia ordenado o ataque, informou o jornal El Tiempo.

Mais ameaças

‘As autoridades colombianas devem investigar imediatamente as ameaças contra Herbin Hoyos Medina’, declarou Carlos Lauría, coordenador sênior do Programa das Américas do CPJ. ‘A Colômbia deve proporcionar a Hoyos as garantias necessárias para que possa regressar ao país e continuar trabalhando sem temor. O trabalho de Hoyos tem sido um consolo para milhares de vítimas de sequestro na Colômbia.’

Voces del Secuestro foca-se nas vítimas de sequestro na Colômbia e permite que familiares das vítimas enviem mensagens a seus entes queridos. Hoyos, que foi sequestrado no início da década de noventa, conduz o programa há 18 anos. A imprensa local informou que o jornalista, que recebeu ameaças de morte anteriormente, disse já ter fugido da Colômbia seis vezes. A polícia tem proporcionado seguranças permanentemente desde 2002.

Em outro incidente, em 11 de maio, Carlos Serrano, diretor e apresentador da Radio Diversia em Bogotá, abandonou a Colômbia depois de receber ameaças de morte contra ele e outros repórteres da emissora por parte de um grupo que se identificou como ‘A Organização’. Este grupo foi vinculado a ameaças contra grupos que trabalham com temas relacionados à HIV/AIDS, à comunidade de gays, lésbicas e bissexuais e às profissionais do sexo, de acordo com matérias veiculadas pela imprensa e entrevistas realizadas pelo CPJ. Em 2008, quatro jornalistas do interior foram obrigados a fugir de seus lares depois de receberem ameaças, segundo as investigações do CPJ.

******

CPJ é uma organização independente, sem fins lucrativos, sediada em Nova York, que se dedica a defender a liberdade de imprensa no mundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem