Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CADERNO DA CIDADANIA > DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

Conferência está sendo gestada pela sociedade

Por FNDC em 10/07/2007 na edição 441

Com agenda formalizada e ações definidas, começa uma nova etapa de trabalhos na Comissão de Mobilização pró-Conferência Nacional de Comunicação Social, formada a partir das 19 entidades nacionais que estiveram presentes no Encontro Nacional de Comunicação – organizado pelas comissões de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Direitos Humanos da Câmara; e de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado, no final de junho.

A Comissão pró-Conferência, reunida na sexta-feira (6/7), na Câmara Federal, organiza suas ações estratégicas na construção da Conferência Nacional de Comunicação a partir de um calendário formalizado entre as entidades que já participam do grupo formado a partir do Encontro Nacional de Comunicação e com abertura para receber novas entidades que chegam para ampliar o movimento. É o caso da Ordem dos Advogados do Brasil, por exemplo, que passa a participar dessa construção.

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Conselho Federal de Psicologia (CFP), Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Intervozes, Federação Interestadual de Trabalhadores em Radiodifusão e Televisão (Fitert), Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço), Laboratório de Políticas em Comunicação da Universidade de Brasília (LaPCom/UnB), Ministério Público Federal, Associação Mundial de Rádios Comunitárias (Amarc Brasil) e Movimento Nacional dos Direitos Humanos já indicaram representantes à comissão.

‘Vamos nos reunir formalmente a cada 15 dias, em Brasília, para reuniões que durarão quatro horas, com caráter deliberativo’, relata o psicólogo Marcos Ferreira, membro do CFP e do FNDC, entidade representa na Comissão. Ele explica que poderão acontecer reuniões intermediárias, mas serão para operação das políticas definidas. Todas as entidades que se aproximem saberão que há um momento de deliberação e todas as entidades deverão participar das decisões tomadas pela comissão.

Esclarecer e mobilizar

No horizonte bem próximo, há o congresso que está sendo chamado pelo Ministério da Comunicação, que também será pré-Conferência. O ministro Hélio Costa quer promover o evento em agosto. ‘Estamos muito contentes com a decisão do ministro, da Câmara e do Senado, com este Congresso preparatório para a Conferência (15 e 16 de agosto)’, afirma Ferreira. A comissão pró-conferência convida todas as entidades que compõem a base do coletivo a participar desses dois dias (uma programação mais técnica no primeiro dia e uma mais política no segundo dia) em Brasília.

Ferreira afirma que o esforço principal, hoje, é o de abarcar e receber todas as forças e contribuições na comissão, que está no âmbito da sociedade civil e serve para mobilizar para a Conferência. Para isto, foram designadas três funções básicas para a comissão: interlocução com órgãos do governo e representativos dos setores empresariais; mobilização da sociedade civil; articulação. Nesse sentido, além de outras ações, haverá produção e distribuição de material – cartazes e cartilhas – para esclarecer e mobilizar a população. ‘Vamos fazer um esforço para que o assunto transcenda as direções dos movimentos e seja apropriado pelos profissionais e cidadãos representados’, declara Ferreira.

******

Da Redação FNDC

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem