Terça-feira, 23 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Conselheiro toma partido na OAB-SP

Por Leandro Pinto em 25/07/2006 na edição 391

Sou advogado e este ano presido uma chapa de oposição à atual gestão da OAB-SP. Ocorreu um fato num site jurídico que me deixou, no mínimo, intrigado: um de seus conselheiros editoriais, o Sr. Raul Haidar, ao tecer comentário declarou abertamente apoio e preferência ao atual presidente de nossa ordem. O caso me intriga, bem como me leva ao desapontamento, pelo fato de que, ao declarar apoio a um candidato, o Sr. Haidar o fez em veículo de imprensa de certa forma conduzido por ele.

É de se esperar que uma pessoa dotada de tamanha influência no site Consultor Jurídico tenha a ética profissional de ser imparcial em seus artigos ou mesmo comentários, ao menos no âmbito do site. Estou convicto de que detém o Sr. Haidar total liberdade para expor seus pensamentos e idéias, porém, quando empossado em seu cargo de editor do citado órgão, a imparcialidade lhe deveria tomar a alma, e não conduzir-lhe a prepotência!

Costumeiramente o Sr. Haidar tem sido extremamente tendencioso em seus comentários, trazendo grande parcialidade e desprestigio ao citado site. Para que não reste dúvidas, segue o comentário:

Raul Haidar (Tributária) 20/7/2006 – 21:51

Dr. Leandro: muito obrigado pela sua mensagem. Enfim todos vemos as suas propostas, o que é um ótimo sinal. O sr. sabe que respeito todos os colegas. Mas sinto-me no dever de repudiar críticas infundadas ao meu atual candidato, o dr. D Urso, por simples questão de Justiça. O sr. apresenta algumas propostas interessantes, dígnas de serem estudadas. Algumas parecem-me fora da realidade. Todavia, a atual gestão da OABSP fez e faz um excelente trabalho, que precisa continuar. Em lugar de propostas que não sabemos se são exequiveis, a atual gestão nos apresenta fatos reais: o saneamento financeiro da entidade é um deles,além de muitos outros que qualquer advogado razoavelmente informado conhece (descentralização administrativa, adequadação da ESA aos interesses da Advocacia, intimações ‘on line’, atos de cidadania, o maior número de eventos culturais da história, etc.etc.etc.). Nada tenho contra o fato do sr. ser jovem de idade. Essa é uma questão que o tempo resolve. A idade das pessoas não importa, mas suas idéias sim. Ainda não vi idéias novas no sr.- O sr. menciona alguns apoiadores, o que não tem a relevância que o sr. imagina. Tenho grande afeto pelo dr. Placucci, por exemplo, mas não me parece que ele possa dedicar à OABSP o tempo necessário, sendo, como é, dono de uma Universidade. Os demais, que o sr. menciona, não conheço e não tenho notícia de que tenham trabalho relevante em benefício da Advocacia. O sr. deve estar com problema no seu ‘site’, pois ao abri-o hoje, várias vezes, vi apenas alguns desenhos interessantes, mas não a plataforma a que o sr. se refere. Nada tenho contra a sua candidatura, como nada tenho contra a de ninguém. Tenho apenas uma posição A FAVOR da candidatura do dr. D Urso que, até agora, parece-me a melhor. As chapas ainda não estão formadas. Como já disse ao dr D Urso, ele não poderá apresentar a mesma chapa de 2003, pois deve afastar alguns que lá ingressaram e que não trabalham. Isso, em vez de desmerecer, valoriza o dr. D Urso como candidato, pois sua gestão é muito boa, APESAR de alguns conselheiros que não trabalham. Imagine se todos trabalhassem! Se o sr. ou o dr. Clodoaldo em algum momento se ofenderam, paciência! Não foi essa a minha intenção. Mas vocês também ofenderam a minha inteligência e a de todos os colegas paulistas, quando afirmaram que a OABSP esteve omissa na questão da violência. E ofendeu mais ainda a inteligencia de todos quando elogiou a ‘atuação’ do atual governo estadual e do secretário de segurança, que faz um trabalho inadequado na questão da segurança pública. Ao que parece o sr. e o dr. Clodoaldo não acompanham as notícias sobre a realidade do Estado. Como eu já disse, não sou dono da verdade. Um de nós está errado. Ficarei muito grato se vocês provarem que sou eu, pois desejo evoluir sempre. Mas até agora não estou convencido de qualquer erro. Continuem a luta, meus caros. Mas, por favor, não façam críticas vazias, infundadas, inverídicas, pois elas não ficarão sem resposta. Fraterno abraço a todos.

***



Consultor Jurídico responde

Márcio Chaer (*)

Acho saudável e pertinente a reclamação do leitor. O sr. Raul Haidar efetivamente integra o conselho editorial do site Consultor Jurídico e realmente manifestou sua simpatia pela candidatura situacionista. É fato, portanto, o registro exposto pelo sr. Leandro Pinto, exceto quando nomeia o conselheiro como ‘editor’. Orgulhamo-nos de ter conosco como conselheiro e consultor o dr. Raul Haidar, que além de escritor, jornalista, tributarista emérito e pensador já foi presidente do Tribunal de Ética da OAB-SP e conselheiro da entidade em diferentes gestões.

Sem questionar a boa-fé do leitor, chamo a atenção, inicialmente, para o fato de o comentário por ele transcrito em sua queixa foi lançado no espaço livre dos leitores. Nesse local, qualquer pessoa tem o direito de se manifestar. O sr. Leandro e o sr. Raul Haidar, por exemplo. Bem que tentamos, mas não conseguimos proibir o sr. Raul Haidar de ter opiniões próprias. Ele é mesmo um incorrigível.

Quanto ao mérito da questão, o sr. Leandro Pinto equivoca-se em dois pontos mais. O primeiro, é a idéia de que a preferência pessoal de nosso conselheiro implique ou signifique a preferência da equipe que realmente edita o site. Isso não ocorre. Nem em termos de política, nem de culinária e em mais aspectos provavelmente.

O segundo equívoco é o entendimento e a noção de imparcialidade pregada pelo leitor. Produzimos um noticiário correto e honesto. Zelamos pela manutenção de um espaço livre e democrático. Mas deixamos de ser imparciais sempre que nos vemos diante de atos de má-fé, intentos antidemocráticos e artifícios que camuflem racismo, discriminação, abuso de poder e outras pobrezas da alma humana com as quais não compactuamos. Esforçamo-nos sempre para nos posicionar em favor das teses que nos parecem as corretas. Mas não somos imparciais.

Abaixo do artigo em que o nosso articulista e conselheiro manifestou-se, sobriamente, sobre as eleições da OAB-SP a 1º de julho último (ver aqui), há uma especial nota, talvez até desnecessária para quem conhece a revista eletrônica Consultor Jurídico:

Além do espaço abaixo, reservado a comentários, eventuais discordâncias em relação à manifestação pessoal do articulista podem ser remetidas na forma de artigo para o e-mail conjur@conjur.com.br‘.

O sr. Leandro, como se vê, foi convidado a manifestar-se em favor de sua candidatura. Nos nove anos de existência de nosso espaço na internet, acostumamo-nos a conviver, às vésperas das eleições da OAB, com todo tipo de destempero, descontrole, falsas candidaturas de desconhecidos lançadas para favorecer aliados ocultos, truques e lances rasteiros que, normalmente, deságuam no Judiciário ou em delegacias de polícia. Este pleito, ao que se percebe, não será diferente. (*) Diretor de Redação do Consultor Jurídico

******

Advogado, candidato à direção da OAB-SP, São Paulo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem