Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Diretor de jornal preso por ‘insultar’ presidente

04/07/2008 na edição 492

O judiciário do Irã ordenou esta semana a prisão de Mohammad Javad Haghshenas, diretor do jornal reformista Etemad Melli, pela publicação de um artigo que ‘insultava’ o presidente Mahmoud Ahmadinejad. O jornalista ainda será investigado pela acusação de disseminar informações falsas.


Segundo o porta-voz da justiça iraniana, o artigo foi escrito pelo clérigo Rasoul Montajab-Nia, que listou diversas declarações atribuídas a Ahmadinejad sobre o ‘imã escondido’ Mahdi, 12º sucessor do profeta Maomé, que os xiitas acreditam que tenha desaparecido há milhares de anos e que retornará para estabelecer paz e justiça no mundo. ‘O presidente e seus conselheiros costumam dizer que este governo é administrado pelo imã’, escreveu Montajab-Nia, membro do partido Etemad Melli – que dá nome à publicação. ‘Tais rumores enfraquecem as crenças das pessoas e ridicularizam os inimigos do Islã’. No começo do ano, o secretário do Conselho Nacional de Segurança do Irã, Hassan Rowhani, reclamou que a superstição estava crescendo no país e que os iranianos estavam até mesmo preparando comida para Mahdi caso ele retornasse.


Aurora mística


Ahmadinejad já foi devoto de Mahdi e não é a primeira vez que é criticado por clérigos por conta de seus comentários um tanto bizarros. O presidente já gerou espanto ao dizer que sentiu que uma ‘aurora mística’ o cercava em seu primeiro discurso para a Assembléia Geral da ONU, em Nova York, em 2005.


O partido Etemad Melli é chefiado pelo clérigo reformista Mehdi Karroubi, porta-voz do parlamento iraniano de 2000 a 2004 e rival de Ahmadinejad na disputa presidencial de 2005. Informações de Hiedeh Farmani [AFP, 1/7/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem