Domingo, 27 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

CADERNO DA CIDADANIA > IMPRENSA AMERICANA

Jornal publica nome de donos de armas e é criticado nos EUA

Por Luciana Coelho em 31/12/2012 na edição 727
Reproduzido da Folha de S.Paulo, 27/12/2012

Em meio ao embate entre o lobby pró-armas nos EUA e a pressão para se restringir a venda e o porte, um jornal do Estado de Nova York publicou [na última semana de dezembro] o nome e o endereço de 33.614 donos de armas que vivem em subúrbios afluentes da região e planeja publicar outros 11 mil.

A decisão do Journal News – diário do proeminente Grupo Garnnett de mídia sediado em Nova York e com circulação de 80 mil exemplares nos três condados vizinhos à cidade – atraiu uma avalanche de ligações e e-mails nos últimos dias.

“Centenas de pessoas telefonaram para reclamar que o banco de dados coloca sua segurança em risco ou viola sua privacidade”, diz um texto do “Journal News” de ontem. “Outros disseram que era ilegal, e alguns ameaçaram funcionários do jornal.”

No mesmo texto, a editora do diário, Janet Hasson, rebate a crítica: “Os moradores de Nova York têm direito de portar armas licenciadas e também têm direito de acessar informações públicas”.

Na reportagem, são citadas entrevistas com pessoas que afirmam não querer morar perto de donos de grandes quantidades de armas.

Com o título de “O dono de arma da casa ao lado: o que você não sabe sobre as armas na sua vizinhança”, a reportagem foi publicada no domingo à noite no site www.lohud.com, munida de um mapa interativo com informações sobre donos de armas nas redondezas.

Os dados foram obtidos pelo repórter Dwight R. Worley – que em nota da edição revela possuir uma pistola – com autoridades locais por meio da Lei da Liberdade de Informação dos EUA (Foia).

Limitam-se a nome e endereço de cada dono de porte de arma em Rockland (que reúne 24 cidades e vilas a noroeste de Nova York) e Westchester – que abarca 45 cidades ao norte da metrópole e vai até Connecticut, onde 26 pessoas foram mortas na escola de Sandy Hook, dia 14, por um atirador usando as armas da própria mãe, legais.

Desde então, o presidente Barack Obama promete propor em janeiro medidas para coibir a venda e o porte, garantidos a todo cidadão pela Segunda Emenda à Constituição, de 1791.

Disseminação

Os habitantes dos dois condados somam 1,2 milhão de pessoas segundo o Censo, o que dá uma licença de arma para cada 28 adultos.

O jornal aguarda a liberação dos dados para o condado de Putnam, ao norte de Westchester, cujas autoridades estimam haver 11 mil licenças para 99,27 mil habitantes (1 para cada 7 adultos).

Os registros de armas são públicos nos EUA, embora não haja um banco de dados que facilite a consulta.

No Estado de Nova York, porém, a lei garante acesso apenas ao nome e ao endereço do dono da licença, não ao tipo nem à quantidade de armas que estão em seu poder. Armas de caça, compradas livremente no Estado, estão fora do registro.

O Journal News argumenta que esses detalhes também eram públicos até 1994, quando a lei foi mudada para garantir acesso apenas a nome e endereço e pôs a revelação de dados secundários em uma zona cinza.

***

[Luciana Coelho, da Folha de S.Paulo em Washington]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem