Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1050
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Expressões e verdades: quem se lixa para quem?

Por Emanuelle Najjar em 19/05/2009 na edição 538

‘Quem fala o que quer, ouve o que não quer.’ Esse é um dos ditados populares mais conhecidos e mais verdadeiros também.

Reflete bem até alguns valores-chave da democracia, como a liberdade de expressão. Podemos dizer o que quisermos, como livre exercício da opinião… e como a oposição é permitida, corremos o sério risco de entrar em um debate cujos argumentos não são aqueles que nos dão a razão. Com isso, para exercício efetivo dessa liberdade, dependemos essencialmente de bom senso. Bom senso que falta a muitas criaturas.

Recentemente acompanhamos a polêmica declaração de um deputado, que disse:

‘Estou me lixando para a opinião pública. Até porque parte da opinião pública não acredita no que vocês escrevem. Vocês batem, mas a gente se reelege.’

Sabe, não seria grande surpresa ouvir isso de algum deles. O choque ficou por conta de saber quem proferiu tal pérola: o relator do processo contra o deputado Edmar Moreira (sem partido-MG), deputado Sérgio Moraes (PTB-RS).

Pra quem não lembra do caso Edmar Moreira, ele é conhecido como o deputado do Castelo. Ele foi acusado de ter ocultado o bem de sua declaração de bens entregue à justiça nas últimas eleições. O imóvel tem valor estimado entre R$ 20 e R$ 25 milhões. Edmar também é investigado no Conselho de Ética por uso irregular de verba indenizatória.

Curso de uma vida normal

Em uma tentativa de se fazer justiça, é aberto um processo por quebra de decoro parlamentar e justamente o relator desse processo faz uma declaração como essa, adiantando seu voto pelo arquivamento em face da consistência da defesa entregue pelo réu.

Mais tarde, ele ainda tentou se explicar (para ver a justificativa clique aqui), mas não adiantou muito. Em repercussão a tal pérola, o relator foi afastado da função de relator do processo.

O que resta dessa história agora? Certamente, não uma sensação de justiça feita. Sérgio Moraes pagou por um comentário mal pensado, por assim dizer, mas não podemos negar um mérito: o choque pela verdade. No fundo é isso que quase todos os ‘nossos’ políticos pensam. E no fundo há alguma razão. Afinal, realmente reelegem-se aqueles que estão envolvidos em golpes, crimes e fraudes. Exemplos não faltam.

Longe de defender o deputado Sérgio Moraes, mas o que ele fez foi dar voz e veracidade ao sentimento coletivo. Não é o único que pensa assim, mas é aquele que passaremos a olhar com outros olhos pela revelação do óbvio. Agora está pagando o preço. Falou o que quis, e agora ouviu de tudo. Faltou o bom senso, o feeling, ou simplesmente o instinto de sobrevivência. Cada ato gera uma conseqüência. Cada palavra, idem.

Trata-se apenas do exercício da liberdade de expressão em uma sociedade dita democrática. Curso de uma vida normal.

Agora vamos ver o que acontece. O tempo vai dizer quem vai levar a melhor ou quem vai estar se lixando pra quem.

******

Jornalista, São José do Barreiro, SP

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem