Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº959

CADERNO DA CIDADANIA > COLÔMBIA

Jornalista morre apunhalado em Cartago

Por Comitê para a Proteção dos Jornalistas em 11/09/2007 na edição 450

O jornalista colombiano Javier Darío Arroyave morreu apunhalado na manhã do dia 5 de setembro em Cartago, cidade do departamento de Valle del Cauca, no oeste do país. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) está investigando possíveis vínculos entre o assassinato e o trabalho jornalístico de Arroyave.

Arroyave, diretor de notícias da estação de rádio Ondas Del Valle de Cartago e apresentador do programa noticioso ¿Cómo les parece?, foi encontrado na manhã de quarta-feira em sua casa na cidade de Cartago, segundo informações da imprensa local. O jornalista, de 41 anos, havia sido apunhalado na madrugada, disse ao CPJ o coronel Armando Burbano, da polícia de Cartago. Embora seu laptop tenha desaparecido, não havia sinais indicando que a entrada tivesse sido forçada, informou a repórteres locais o coronel Ricardo Restrepo, comandante da polícia do Valle del Cauca.

‘Estamos entristecidos pela morte de Javier Darío Arroyave e apresentamos nossas condolências à sua família e amigos’, disse Joel Simon, diretor-executivo do CPJ. ‘Instamos as autoridades a investigar sua morte e a levar todos os responsáveis à justiça.’

Seus colegas da Onda del Valle, afiliada à emissora nacional Caracol Radio, disseram que Arroyave apresentava notícias gerais, políticas e sociais que não eram particularmente críticas ao governo. Arroyave também trabalhava para a agência governamental Corporação Autônoma Regional do Valle del Cauca, de acordo com seus colegas. Havia trabalhado como correspondente do jornal El Tiempo até 2005 e atualmente colaborava como free-lance para o diário, explicou uma fonte de El Tiempo.

Tráfico de drogas

Em maio de 2005, Arroyave suspendeu temporariamente seu programa de notícias por pressão constante do então prefeito de Cartago, Luis Alberto Castro, a quem o jornalista havia acusado de corrupção, informou Carlos Cortés, diretor-executivo da Fundação para a Liberdade de Imprensa. Arroyave não havia mencionado ameaças nos últimos meses, disseram seus colegas da Onda del Valle ao CPJ.

Burbano declarou ao CPJ que, segundo as autoridades, o motivo do crime seria passional, mas colegas de Arroyave não descartam seu trabalho jornalístico como possível motivo.

Cartago é uma pequena cidade 200 quilômetros a oeste de Bogotá. Nas últimas semanas, membros das forças especiais anti-guerrilha do exército colombiano foram detidos em Cartago por vínculos com cartéis locais de tráfico de drogas, informou o jornal mexicano Milenio. [Nova York, 5 de setembro de 2007]

******

O CPJ é uma organização independente, sem fins lucrativos, sediada em Nova York, que se dedica a defender a liberdade de imprensa em todo o mundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem