Terça-feira, 25 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1043
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Jornalista sentenciado a três anos de prisão

Por Comitê para a Proteção dos Jornalistas em 19/05/2009 na edição 538

Um jornalista independente cubano acusado de desacato foi sentenciado a três anos de prisão em um julgamento sumário na terça-feira (12/5), disseram jornalistas em Havana ao Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).


Segundo o site de notícias cubano sediado no exterior Cubamatinal, Santiago Du Bouchet Hernández, diretor da agência de notícias independente Habana Press, sediada em Havana, foi também acusado de distribuir propaganda inimiga, mas o CPJ não pôde confirmar esta acusação nem se ele também foi condenado por ela. Elizardo Sánches Santa Cruz, presidente da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional em Havana, disse ao CPJ que o jornalista não teve permissão para consultar um advogado, mas já apelou de sua sentença. O recurso está pendente.


Policiais prenderam Du Bouchet Hernández na tarde de 18 de abril quando ele visitava familiares em Artemisa, a 60 quilômetros de Havana, segundo entrevistas do CPJ e sites cubanos de notícias sediados no exterior. A polícia alega que Du Bouchet Hernández estava gritando slogans antigovernamentais na rua, disse Sánchez Santa Cruz ao CPJ. Sua família não teve permissão para visitá-lo desde que foi detido, informou o Cubamatinal.


Condições desumanas


Miriam Herrera, uma jornalista independente radicada em Havana que falou com Du Bouchet Hernández depois de sua detenção, disse acreditar que o jornalista foi encarcerado em represália por seu trabalho. Herrera disse ao CPJ que Du Bouchet Hernández havia publicado matérias sobre questões sociais recentemente. Segundo Sánchez Santa Cruz, as circunstâncias que envolvem a prisão permanecem confusas.


‘Alberto Santiago Du Bouchet Hernández foi processado e condenado sob acusações que não se tornaram públicas e sem representação legal’, assinalou o Coordenador Sênior do programa das Américas do CPJ, Carlos Lauría. ‘Instamos as autoridades cubanas a seguirem o devido processo e permitirem que Du Bouchet tenha acesso a um advogado. O jornalista se soma a outros 21 repórteres independentes que estão encarcerados sob acusações artificiais em represália por seu trabalho informativo.’


Du Bouchet Hernández havia sido previamente encarcerado por desacato. Foi detido em agosto de 2005 quando estava na cidade de Artemisa em uma viagem de trabalho. Foi julgado sumariamente e sentenciado a um ano de prisão; não teve acesso a um advogado antes ou durante o julgamento. O jornalista havia provocado a ira das autoridades meses antes, quando cobriu a Assembléia para Promover a Sociedade Civil. O encontro de dois dias, sem precedentes em Cuba, reuniu mais de 200 ativistas da oposição e convidados, em maio de 2005, para discutir formas de promover a democracia em Cuba. Du Bouchet Hernández foi libertado em agosto de 2006, após cumprir sua pena.


Vinte e um repórteres e editores estão presos atualmente em Cuba, que é o segundo país com maior número de jornalistas encarcerados no mundo. Vinte deles permanecem presos em condições desumanas desde a maciça investida contra a dissidência e a imprensa independente em março de 2003. O CPJ ranqueou Cuba como o quarto pior país para ser blogueiro em um informe publicado recentemente.

******

CPJ é uma organização independente e sem fins lucrativos, sediada em Nova York, que se dedica a defender a liberdade de imprensa no mundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem