Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

CADERNO DA CIDADANIA > LEITURAS DO GLOBO

Lições de cavalheirismo

Por Norma Couri em 04/03/2008 na edição 475

Na capa do caderno ‘Ela’, de O Globo de sábado (1/3), Picasso de bermudas e descalço sobre a areia da praia ilustrava a reportagem sobre ‘cavalheirismo’ protegendo do sol, com uma barraca, a sua mulher e pintora Françoise Gilot. A representação perfeita desmoronou em delírio quando as entrevistadas vasculharam na memória um ato de cavalheirismo de seus companheiros.


Traduzidos em euros, já que Gisele Bündchen varreu o dólar como atrativo número um dos brasileiros, um ato de cavalheirismo deve custar milhões e brilhar muito debaixo do travesseiro ou do embrulho em jornal. Carmem Mayrink Veiga recorda um momento de glória quando, depois de dar à luz sua filha, há 42 anos, o marido Toni pediu que ela esticasse a mão e enfiou no seu dedo um anel de safira. Noutro momento de cavalheirismo, em que ela quase caiu desmaiada outra vez, recebeu um colar Bulgari embrulhado em papel de jornal.


A jornalista Mariza de Macedo Soares se achava privilegiada com o marido cavalheiro que enfiava debaixo do seu travesseiro caixinhas com jóias. Debaixo do travesseiro dela a estilista Mary Zaide recebeu o cavalheirismo de uma pulseira de ouro com brilhantes. Outra estilista, Mara MacDowell, recebeu uma jóia linda de matar dentro do embrulho de uma garrafa de champanhe.


Uma, achou cavalheirismo o marido parar de fumar; outra, o pretendente achá-la mais bonita que a Carolina Feraz; uma terceira viu cavalheirismo na venda de uma fazenda para abrir uma boutique com ela.


Sempre bibelôs?


Definição de cavalheirismo no AurélioHouaiss e Michaelis: ato nobre, gentil, delicado, distinto.


Agora alguém diga o que nobreza tem a ver com Carolina Ferraz, safiras, diamantes, abertura de boutique ou câncer provocado por fumaça de cigarro. A artista Rogéria quase acertou quando recordou a frase que ouviu de um milionário árabe que a convidou para o Royal Ballet de Londres. Paramentada num Dior emprestado, coberta por um casaco de pantera, não recebeu notas nem metais mas ouviu como ato de cavalheirismo: ‘Nossa, você parece da família real’. Teria a família real tanta nobreza?


Picasso fez papel de palhaço no ‘Ela’? A revolução feminista aconteceu, virou a mesa e já viu e reviu os excessos iniciados com um sutiã rasgado? Ou seremos, todas ‘elas’, condenadas a ler, ser e perpetuar, cinco décadas depois, a imagem de bonequinhas de luxo?

******

Jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem