Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CADERNO DA CIDADANIA > TIM RUSSERT

Morre principal jornalista político da NBC

Por Leticia Nunes (edição), com Larriza Thurler em 17/06/2008 na edição 490

Morreu na sexta-feira (13/6), vítima de enfarte, o jornalista americano Tim Russert, que há 17 anos apresentava o programa Meet the Press, na rede televisiva NBC. Russert, de 58 anos, passou mal enquanto gravava, na sucursal de Washington da NBC News, locuções para o programa de domingo. A morte foi anunciada pelo jornalista veterano Tom Brokaw, ex-âncora da emissora. Segundo o médico de Russert, a autópsia revelou que ele tinha o coração aumentado e problemas significativos nas artérias coronárias.

Além de apresentador, Russert era também chefe da sucursal de Washington e vice-presidente sênior da NBC News. Ele havia acabado de retornar de uma viagem de férias com a família; esteve na Itália para comemorar a formatura do filho, Luke.

O jornalista, conhecido por sua objetividade e pela dureza com que tratava os entrevistados, prestou importante papel para a cobertura política americana. ‘Ele era o melhor jornalista político dos EUA, não apenas o melhor jornalista de TV dos EUA’, resume Al Hunt, editor-executivo da Bloomberg News e ex-chefe da sucursal de Washington do Wall Street Journal.

Experiência

Na França para um encontro com o presidente Nicolas Sarkozy, o presidente americano, George W. Bush, lamentou a morte de Russert. ‘Os EUA perderam um cidadão admirável. Eu tive o privilégio de ser entrevistado por Tim Russert, a quem considerava um homem esforçado e honrado. E Tim Russert amava seu país, amava sua família, e amava muito seu trabalho’, declarou. O casal Bill e Hillary Clinton também divulgou declaração afirmando que ‘Tim amava o serviço público. Sua dedicação ao jornalismo lhe rendeu, merecidamente, respeito e admiração não apenas de seus colegas, mas também dos que tiveram o privilégio de ser entrevistados por ele’.

A experiência de Russert com questões políticas vinha de anos de prática no meio. Formado em direito, ele trabalhou, na década de 80, na administração do governador de Nova York Mario Cuomo e para o senador Daniel Patrick Moynihan, também de Nova York. Russert deixou a política para entrar na carreira jornalística a pedido de Lawrence Grossman, então presidente da NBC News.

Vazamento

No ano passado, Russert acabou envolvido no escândalo do vazamento da identidade da agente da CIA Valerie Plame. No julgamento de Lewis Libby, ex-chefe de gabinete do vice-presidente Dick Cheney, por falso testemunho, o jornalista teve de assumir o papel de entrevistado ao sentar no banco das testemunhas. Na ocasião, Libby havia afirmado que soube da identidade de Valerie em uma conversa com Russert, em julho de 2003 – alegação refutada pelo apresentador.

Desafio

O Meet the Press, no ar há 60 anos, era comandado por Russert desde 1991. O apresentador fazia o papel de moderador em entrevistas com grandes nomes do jornalismo e da política dos EUA. O programa dominical tem audiência de quatro milhões de telespectadores, de acordo com dados do Nielsen Media Research.

Com a morte de Russert, a NBC enfrentará o desafio de substituir seu principal analista político a menos de cinco meses da eleição presidencial. ‘Vai ser preciso umas quatro ou cinco pessoas para substituir Tim’, diz Bob Schieffer, rival de Russert por duas décadas com o programa Face the Nation, da CBS. ‘Eles terão que encontrar um moderador para o Meet the Press, terão que achar alguém para administrar a sucursal, e deverão encontrar alguém que entenda tanto de política como Tim entendia – e não há muita gente assim’, enumera, lembrando que a pessoa deverá contar ainda com muita disposição. Com informações de Jacques Steinberg e Bill Carter [New York Times, 14 e 16/6/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem