Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

CADERNO DA CIDADANIA > ARGENTINA

Pedida a reabertura de parque gráfico

Por Comitê para a Proteção dos Jornalistas em 14/08/2007 na edição 446

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas enviou hoje, 09 de agosto de 2007, uma carta à prefeita de San Lorenzo, Mónica de la Quintana, instando-a a reabrir a oficina de impressão do jornal El Observador:

Nova York, 7 de agosto de 2007

Intendente Mónica de la Quintana

Bv. Urquiza 517

San Lorenzo, Santa Fe

Argentina

Prezada prefeita Mónica de la Quintana,

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) escreve para expressar sua profunda preocupação ante o fechamento do parque gráfico do diário El Observador, de San Lorenzo. Tal medida, ordenada por seu governo no final de julho, viola a liberdade de expressão tal como está consagrada na Constituição argentina e na Constituição provincial de Santa Fe.

Às três da manhã de 25 de julho, funcionários e policiais de San Lorenzo fecharam e selaram o galpão utilizado como local de impressão pelo El Observador. V. Ex.ª alegou que a decisão surgiu de uma solicitação do conselho deliberante de San Lorenzo que pediu que fosse investigado se a oficina de impressão possuía autorização para uso comercial, segundo a imprensa argentina.

O dono e diretor do jornal, Andrés Sharretta, disse ao CPJ que a oficina funciona há mais de cinco anos. Sharretta informou que havia solicitado uma nova permissão ao governo local depois de haver comprado novos equipamentos, no final de 2006. Enquanto a solicitação está sendo processada, o parque gráfico está operando com uma permissão provisória outorgada pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos.

Sharretta afirmou que nunca foi notificado pelo governo sobre o fechamento. Não houve inspeções preliminares nem procedimentos administrativos, explicou o advogado do jornal, Alfredo Oliveira. El Observador interpôs um recurso de amparo que continua pendente ante o Tribunal de Recursos de San Lorenzo.

Ainda que V.Ex.ª tenha se referido a esta ação como um ato administrativo, Sharretta e defensores argentinos da liberdade de imprensa argumentam que se trata de uma tentativa de calar um meio de comunicação abertamente crítico ao governo municipal.

El Observador é o único diário de San Lorenzo, uma cidade de 45.000 habitantes na província de Santa Fe. O jornal começou como semanário, em 1999, e está sendo publicado de segunda-feira a sábado desde 2002. Sharretta, candidato à prefeitura em 2001, descreve a linha editorial do jornal como de oposição ao governo local. A publicação tem informado sobre casos de corrupção em reiteradas ocasiões.

O fechamento de El Observador viola o direito à livre expressão garantido na Constituição argentina. O artigo 14 da Constituição estabelece que todos os cidadãos gozam do direito ‘de publicar suas idéias pela imprensa sem censura prévia’. Também contradiz o artigo 11 da Constituição provincial de Santa Fe, segundo o qual: ‘… a imprensa não pode ser submetida a autorizações ou censuras, nem a medidas indiretas restritivas de sua liberdade… Não se podem fechar oficinas de impressão, nem seqüestrar seus equipamentos, como instrumentos de delito, enquanto dure o processo’.

A decisão de V.Ex.ª viola, também, o espírito do artigo 13 da Convenção Americana de Direitos Humanos, ratificada pela Argentina, onde está estipulado que ‘não se pode restringir o direito de expressão por vias ou meios indiretos, tais como o abuso de controles oficiais ou particulares sobre jornais’.

Esta medida tomada por seu governo priva os cidadãos de San Lorenzo de seu direito constitucional de buscar e receber informações. Os funcionários públicos de San Lorenzo devem demonstrar tolerância frente a pontos de vista que diferem dos de sua administração. Nós a instamos a revogar sua decisão de imediato e a permitir que El Observador volte a ser publicado.

Agradecemos sua atenção a este assunto e esperamos sua pronta resposta.

Sinceramente, Joel Simon – diretor-executivo

Com cópia para: Jorge Alberto Obeid, governador de Santa Fe; Roberto Falistocco, presidente da Corte Suprema de Justiça de Santa Fe; Carlos Bermúdez, procurador de Santa Fe; Ignacio Alvarez, relator especial para a Liberdade de Expressão da OEA; American Society of Newspaper Editors; Amnesty International; Article 19 (Reino Unido); Canadian Journalists for Free Expression; Freedom Forum; Freedom House; Human Rights Watch; Index on Censorship; International Center for Journalists; International Federation of Journalists; International PEN; International Press Institute; Louise Arbour, U.N. High Commissioner for Human Rights; The Newspaper Guild; The North American Broadcasters Association; Overseas Press Club; Reporters Sans Frontières; The Society of Professional Journalists; World Association of Newspapers; World Press Freedom Committee.

******

O CPJ é uma organização independente, sem fins lucrativos, sediada em Nova York, que se dedica a defender a liberdade de imprensa em todo o mundo.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem