Setor de impressão sofre com crise jornalística | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Terça-feira, 14 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº999
Menu

CADERNO DA CIDADANIA > NOVOS TEMPOS

Setor de impressão sofre com crise jornalística

15/04/2008 na edição 481

Enquanto os jornais impressos se adaptam às mudanças dos novos tempos, fortalecendo sua atuação na internet, um outro grupo se preocupa com a atual crise na indústria jornalística. São os produtores de equipamentos para impressão, que temem, com a adequação tecnológica, serem deixados para trás.

Para conversar com representantes do setor, quatro executivos de grandes companhias de jornais participaram de um painel, no fim de semana, na convenção anual de fornecedores de equipamentos para impressão, chamada Nexpo, em Washington. Participaram da conversa George Irish, presidente da divisão de jornais da Hearst Corporation, Dean Singleton, do grupo Media News, Gary Pruitt, da McClatchy, e Michael Reed, da GateHouse Media.

O moderador do debate, Dennis Nierman, deixou claro que os produtores destas máquinas também têm sofrido com a crise financeira no jornalismo tradicional. Nierman é presidente da AlfaQuest Technologies, empresa que fabrica um produto que permite que as chapas de impressão sejam feitas a partir de arquivos digitais.

Todos os executivos de mídia ressaltaram que, ainda que os esforços online estejam em alta, suas companhias continuam a investir em impressão. Apesar de muitos analistas depositarem suas fichas na internet, a publicidade online ainda não conseguiu compensar as perdas no meio impresso. Descobrir como equilibrar esta diferença é, no momento, a principal preocupação da indústria. No ano passado, a publicidade em jornais caiu, em geral, 7,9% nos EUA, com queda de 9,4% em anúncios impressos e aumento de 18,8% em anúncios online. Os dados são da Associação de Jornais da América.

Caminho online

Pela conversa, entretanto, os produtores de equipamentos para impressão viram que têm, sim, motivos para se preocupar. Gary Pruitt, executivo-chefe da McClatchy, terceira maior companhia em circulação no país, explicou que o ‘encantamento’ das empresas jornalísticas com o universo online vem da possibilidade de se eliminar gastos com a distribuição dos jornais, como combustível para caminhões, por exemplo.

As quatro companhias jornalísticas representadas no painel participam de um consórcio de publicidade online em parceria com o Yahoo Inc. O projeto deve ter início nos próximos meses, e tem como objetivo aperfeiçoar o sistema de distribuição dos anúncios na internet. Hoje, é difícil para os jornais atingir de maneira eficiente determinados públicos-alvo na rede. Informações de Seth Sutel [AP, 13/4/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem