Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

CADERNO DA CIDADANIA > MÉXICO

Três repórteres morrem cobrindo explosão

Por Comitê para a Proteção dos Jornalistas em 18/09/2007 na edição 451

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) lamenta a morte de três repórteres mexicanos na noite de domingo, quando cobriam o choque entre um caminhão carregado de dinamite e um veículo no estado de Coahuila, no norte do país. Pelo menos 34 pessoas morreram e 150 ficaram feridas em resultado da explosão, informou a Associated Press.

Os repórteres sediados em Monclova David Herrera, do jornal Zócalo, Carlos Antonio Ballesteros, do diário El Tiempo, e Andrés Ramírez, do jornal La Prensa, morreram durante uma explosão em uma estrada, cerca de 30 quilômetros ao sul de Monclova, informou ao CPJ o editor do Zócalo, Sergio Cisneros.

A explosão ocorreu minutos depois da chegada dos repórteres ao local para cobrir o choque entre um caminhão que carregava 20 toneladas de material explosivo para as minas e um veículo menor, informou a imprensa mexicana. Segundo Cisneros, os jornalistas não sabiam que o trailer carregava tantos explosivos. Em Coahuila, um centro mineiro, surgiu uma controvérsia devido à quantidade de explosivos que estavam sendo transportados pelo caminhão para uso nas minas locais.

‘Estamos entristecidos pelas mortes de David Herrera, Carlos Antonio Ballesteros y Andrés Ramírez’, assinalou Joel Simon, diretor-executivo do CPJ. ‘Enviamos nossas mais sinceras condolências a suas famílias, amigos e colegas’. [Nova York, 10 de setembro de 2007]

******

O CPJ é uma organização independente, sem fins lucrativos, sediada em Nova York, que se dedica a defender a liberdade de imprensa em todo o mundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem