Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Visto negado para dois repórteres cubanos

Por Comitê para a Proteção dos Jornalistas em 07/10/2008 na edição 506

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) instou hoje o governo dos Estados Unidos a explicar sua decisão de não renovar o visto de dois correspondentes cubanos credenciados para cobrir as Nações Unidas, em Nova York.

Os dois jornalistas, Ilsa Rodríguez Santana e Tomas Anael Granados Jiménez, trabalham para a agência de notícias cubana Prensa Latina, que informou que ambos têm feito a cobertura das Nações Unidas em Nova York, com autorização, desde 2005.

Os jornalistas, que são casados, acumulam juntos, segundo a Prensa Latina, quatro décadas de experiência em Cuba e em países como Índia, Zimbábue, China e Estados Unidos. A agência também informou que eles estavam de férias em Cuba quando souberam que seus vistos não seriam renovados.

Funcionários do Departamento de Estado em Washington confirmaram ao CPJ que os vistos foram negados aos dois jornalistas cubanos, mas se recusaram a fazer comentários adicionais.

Interesses prejudicados

‘Estamos preocupados com a decisão das autoridades norte-americanas de negar a renovação dos vistos a jornalistas da Prensa Latina credenciados para cobrir as Nações Unidas’, assinalou Carlos Lauría, coordenador sênior do Programa das Américas. ‘Instamos as autoridades norte-americanas a explicarem as razões de sua ação.’

Uma porta-voz da Prensa Latina em Havana disse ao CPJ que, de acordo com uma carta recente das autoridades dos Estados Unidos, os dois jornalistas tiveram o visto negado por uma cláusula do Ato de Imigração e Nacionalidade que pode rechaçar o ingresso de qualquer pessoa ou grupo considerado prejudicial aos interesses dos Estados Unidos.

Em fevereiro de 2007, Cuba se recusou a renovar os vistos de três correspondentes estrangeiros radicados em Havana – Gary Marx, do Chicago Tribune, Stephen Gibbs, da BBC, e César González Calero, do jornal mexicano El Universal. O governo tomou tal decisão por considerar negativo o trabalho informativo dos correspondentes sobre Cuba, conforme revelou ao CPJ. [Nova York, 30 de setembro de 2008]

******

O CPJ é uma organização independente, sem fins lucrativos, sediada em Nova York, que se dedica a defender a liberdade de imprensa em todo o mundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem