Sábado, 26 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

CADERNO DO LEITOR > IMPRENSA REGIONAL

Fortal sem diversão

03/08/2004 na edição 288

Gostaria de fazer referência a um site extremamente interessante que encontrei na internet e que demonstra bem a parcialidade da imprensa cearense. O site é (www.geocities.com/emoffbr/imprensace.htm). Nele, vemos claramente o desenrolar das ações contra e a favor do Fortal e a negligência do canal Verdes Mares, bem como de outros meios de comunicação, quanto a tais notícias de interesse geral dos fortalezenses. Como cidadã acho um absurdo que uma festa como o Fortal seja realizada dentro de Fortaleza.

Não creio que a discussão deva girar em torno do Fortal e dos benefícios por ele gerados. O que se deveria pôr em pauta são os prejuízos que ele traz, por acontecer em lugares públicos, seja a Beira Mar, seja nas proximidades do Dragão do Mar. Não sou contra o Fortal, sou terminantemente contra o local e a forma como ele ocorre. Os locais próximos a ele se transformam em verdadeiros mictórios ao ar livre, o índice de criminalidade aumenta durante os festejados quatro dias, bem como aumenta imensamente o uso de substâncias ilícitas, tais como maconha, loló e lança-perfume, além do uso de substâncias lícitas por menores de 18 anos. É comum vermos adolescentes curtindo uma ‘viagem’ ou caindo ao chão devido às ‘bebedeiras’, enquanto o bloco passa…

Mas o prejuízo social e moral da sociedade está eternamente em detrimento dos lucros exorbitantes da minoria que controla o Fortal. A estes fatos e argumentos junto os meus ‘sinceros’ parabéns aos organizadores de tão ‘bela’ festa que traz tantos ‘lucros’ a ‘toda’ a sociedade fortalezense. E a eles só desejo uma coisa: que os blocos passem em frente a suas residências e que seus filhos e parentes o aproveitem intensamente.

Janielle Severo, estudante, Fortaleza



Praia em Brasília Teimosa

Aproveitando o domingo fui conhecer a nova praia que a Prefeitura do Recife construiu no bairro de Brasília Teimosa, mais especificamente no local onde antes existiam as palafitas. Fiquei positivamente surpreendido com o que vi. Naquela área, que antes era uma ferida aberta no seio da nossa cidade, surgiu, como que por encanto, uma belíssima avenida beira-mar, que nada fica a dever ao que hoje existe nas praias do Pina e Boa Viagem. Todo recifense deveria experimentar a imensa satisfação de ver ‘nascer’ uma nova praia em nossa cidade.

É incompreensível o silêncio da mídia pernambucana diante da magnífica alteração geográfica que está sendo implementada no Recife, com a radical transformação da face urbana de Brasília Teimosa. Será verdadeira a tese de que a impressa não se interessa em pautar boas notícias?

Júlio Ferreira, Recife

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem