Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

CIêNCIA > CÉLULAS-TRONCO

Mídia cerca fraudador, mas poupa Science

Por Maurício Tuffani em 16/01/2006 na edição 364

Dois pesos e duas medidas: enquanto a mídia internacional aponta os holofotes da vergonha no sul-coreano Hwang Woo-suk – coordenador da falsa primeira clonagem de células-tronco embrionárias humanas – seguindo o prudente exemplo dos ratos ao tentar abandonar o barco em chamas e atribuir a responsabilidade a seus colegas da Universidade Nacional de Seul, a revista científica norte-americana Science passa incólume na penumbra no mesmo momento em que faz uma pífia retratação pública por sua participação nessa patacoada. [‘Science regrets the time that the peer reviewers and others spent evaluating these papers as well as the time and resources that the scientific community may have spent trying to replicate these results.’]

Assinada por Donald Kennedy, editor-chefe da Science, a nota (‘Editorial retraction‘, de 12/1/2006) faz uma breve síntese do relatório da auditoria da universidade, comunica que os resultados devem ser considerados inválidos e pede desculpas pelo tempo que os revisores científicos ‘e outros’ perderam avaliando os dois papers [HWANG et al., ‘Evidence of A Pluripotent Human Embryonic Stem Cell Line Derived From a Cloned Blastocyst’, Science 303, 1669 (2004); e HWANG et al., ‘Patient-Specific Embryonic Stem Cells Derived from Human SCNT Blastocysts’, Science 308, 1777 (2005)], assim como pelo tempo e pelos recursos que a comunidade científica possa ter gasto tentando reproduzir os resultados divulgados pela revista.

Nenhum pedido de desculpas ao governo da Coréia do Sul, que investiu US$ 65 milhões no laboratório do pesquisador e reservou outros US$ 15 milhões do Ministério da Saúde e do Bem-Estar Social para a criação do Centro Mundial de Célula-Tronco. Nenhum comentário sobre críticas da imprensa, como a do jornalista Nicholas Wade, do jornal The New York Times, na reportagem ‘Clone Scientist Relied on Peers and Korean Pride‘, de 25/12/2005.

Resta aguardar pelos resultados das medidas a serem tomadas para evitar futuros engodos, conforme disse dois dias o mesmo Kennedy em uma declaração pública (‘Editorial statement‘, de 10/1/2006). Mas nem mesmo essa promessa foi para as páginas da respeitada publicação.

Para os que quiserem ver a retratação e outros documentos, a revista disponibilizou na quinta-feira (12/1) vários documentos em seqüência cronológica na Special Online Collection: Hwang et al. and Stem Cell Issues.

******

Jornalista, editor do blog Laudas Críticas

Todos os comentários

  1. Comentou em 22/01/2006 vegner utuni

    Casos como a de Science não são isolados, e mais frequentes do que o noticiado. Em revistas cientificas mais especializadas ocorrem varias vezes por ano. O triste caminho buscado pelo pesquisador Hwang Woo-suk, acredito ser o efeito colateral de algo maior. De um lado, temos revistas de divulgação cientifica preocupadas em aumentar o seu prestigio e influência. Do outro lado pesquisadores, preocupados em terem reconhecimento e remuneração semelhantes a pop stars.

    Tudo isso a que preço? Como é escolhido o que será enfocado em cada pesquisa. Como é escolhido um nova pesquisa? Como é escolhido o s temas de interesse para publicação nas redações da revistas especializadas? Quem terá acesso ao novo conhecimento gerado? E como será o acesso a esta informação?

    Acho que devemos fazer estas peguntas e muitas outras, pois, no mundo todo é o dinheiro do contribuinte que paga tudo isso; nos EUA, Europa, Asia e claro no Brasil. A algo errado nos laboratórios e a algo errado na formação dos cientistas pelo mundo a fora. O caso Science/Hwang Woo-suk não foi o primeiro e não será o ultimo, é apenas o da moda. Como a moda hoje é células tronco um escândalo com este tema até que veio a calhar.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem