Segunda-feira, 18 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

CIRCO DA NOTíCIA > CÉLULAS-TRONCO

A imprensa no embate entre humanismo e religião

Por Alberto Dines em 11/03/2008 na edição 476

Um debate de idéias como há muito não se via no país. A polêmica sobre a pesquisa científica com embriões humanos poderá estabelecer novos paradigmas de discussão numa sociedade que, ultimamente, entregou-se ao ressentimento e à intolerância.


O diferencial está sendo oferecido involuntariamente pela imprensa que, sem esconder sua preferência pelo racionalismo e pelo secularismo, mostra uma inequívoca deferência (ou complacência) pela outra parte: a Igreja Católica. As objeções que em outras circunstâncias e em outros países seriam transformadas num ataque frontal contra o obscurantismo, aqui estão sendo atenuadas pela reverência à religião que durante 508 anos, apesar dos disfarces jurídicos, é a religião oficial.


A ação de inconstitucionalidade impetrada pela Procuradoria Geral da República em 2005 contra a Lei de Biossegurança, apesar do malabarismo do seu autor – Cláudio Fonteles – em sustentá-la com argumentação jurídica, é uma peça teológica. Respeitável, mas teológica.


História do conhecimento


Dividida entre o seu incontornável compromisso com a razão e sua histórica submissão à Igreja, a mídia – sobretudo a mídia impressa – não tem outro caminho senão jogar o debate para as alturas. O que é muito bom em matéria de urbanidade e péssimo no tocante à isenção e ao esclarecimento.


A matéria publicada com grande destaque pela Folha de S.Paulo no domingo (9/3, ‘Embrião congelado por oito anos produz bebê’) é tendenciosa. Foi contestada de forma irrefutável no dia seguinte por Ênio Candotti, ex-presidente da SBPC, mas a carta do respeitado cientista (Painel do Leitor, pág. A-3) foi visivelmente encurtada e colocada logo em seguida à desbragada louvação de um leitor seduzido pelo ‘pluralismo’ do jornal. A entrevista do cientista Oliver Smithies (segunda-feira, 10/3, pág. A-19) que contesta a matéria do dia anterior não mereceu chamada na primeira página (‘Embrião usado para terapias não vai morrer, diz Nobel’).


Esta derrapagem clerical da Folha talvez se explique pelas suas relações com Ives Gandra Martins (advogado da CNBB na ação que transita no STF) e não como opção religiosa. Qualquer que seja a motivação foi um artifício tendencioso.


O Globo e o Estado de S. Paulo, embora ligados a setores católicos fundamentalistas, até agora não fizeram grandes concessões. A surpresa é oferecida por Veja, que não esconde sua preferência conservadora em matéria política, mas na questão das células-embrionárias assumiu uma visível posição progressista através das duas últimas entrevistas das ‘Páginas Amarelas’ – com a bióloga Mayana Zatz (edição 2050) e com a presidente do STF, Ellen Gracie (edição 2051).


Impossível desconhecer que a oposição às pesquisas com células embrionárias é comandada por motivações religiosas. Isso precisa ser explicitado. O debate não tem nada de científico, resume-se ao confronto entre o sectarismo (embelezado por pinceladas espiritualistas) e a liberdade do espírito humano. Impossível desconhecer também que na história do conhecimento e na busca da razão os dogmas religiosos sempre favoreceram os retrocessos.


Confronto milenar


O Brasil demorou tanto para ser beneficiado pela tipografia desenvolvida por Gutenberg simplesmente porque foi impedido pela Igreja por meio do seu grupo mais radical, os dominicanos que controlavam o Santo Ofício da Inquisição.


Estamos nos preparando para festejar os 200 anos da nossa imprensa sem levar em conta que os primeiros jornais do continente foram publicados um século antes dos nossos. Este atraso deixou marcas profundas em nossa cultura e em nosso comportamento.


Passamos ao largo do racionalismo e do iluminismo porque a Santa Madre Igreja, desde 1536, estabeleceu nos dois lados do Atlântico um rigoroso sistema de censura de livros e idéias.


Como escreveu Ênio Candotti na minimizada carta publicada pela Folha, a ciência ajuda a vida a ser vivida. O confronto conhecimento versus vida é falso, enganoso. Ou, como afirma Oliver Smithies, ‘é errado discutir a perspectiva do uso terapêutico [de uma célula-tronco] como algo que requer a morte de embriões. A célula-tronco humana em tratamentos é o modo de preservar a vida embrionária’.


Com punhos de renda e civilidade, é verdade, sem a brutalidade das fogueiras que atormentaram Galileu no século 17, repete-se agora no Brasil o milenar confronto entre humanismo e religião, entre a busca da verdade e os antolhos da ignorância.


 


Leia também


A complexidade da ciência e as limitações do tribunal — Ulisses Capozzoli


Divisor de águas — Fábio de Castro

Todos os comentários

  1. Comentou em 02/04/2008 valdir timóteo leite

    prezada Dra. Zulma Peixinho muda o copia e cola da senhora que as respostas já estão aqui… abraços..
    quanto a barreira imunológica intransponível,a senhora pode até ter razão…

    Mas o objetivo das pesquisas com células-tronco embrionárias segundo a maioria dos pesquisadores é entender o como cada uma delas se desenvolvem e se diferenciam para descobrirem os caminhos para manipular as células tronco ou seja conhecer os princípios,abrir a primeira pagina do livro e seguir a leitura para entender os primeiros capítulos,segundo eles fica muito difícil começar uma pesquisa do meio para o fim.

    Qual seria, então, a utilidade de eventuais pesquisas com células-tronco embrionárias humanas?

    RE:(estudos de diferenciação celular)

    Vamos ser lógicos e apoiar pesquisas com células-tronco ADULTAS! depois de entender o como elas se diferenciam e mapear o funcionamento delas,depois das pesquisas com células-tronco embrionárias.

    prezada Dra. Zulma Peixinho o que que a senhora tem contra o principio dos estudos e contra a base que dará estrutura a um seguimento lógico das pesquisas,vamos todos para a universidade sem fazer o primeiro e o segundo grau,imagine se isso daria certo ?

    É necessário as pesquisas com células-tronco embrionárias SIM .

  2. Comentou em 19/03/2008 Ivo A. Auerbach

    Não quero ser impertinente, mas como observador e participante deste conceituado blog, deixo aqui uma sugestão que, (na minha modesta opinião) se acatada pelo editor-mediador, deixarão as páginas mais “enxutas” e livres daqueles chatos de plantão (nem todos), que pensam que isso aqui é uma sala de bate-papo. Que tal estabelecer uma cota máxima de cinco intervenções por participante? Quando um assunto for muito polêmico, isso eliminará as quase infindáveis réplicas, tréplicas (e às vezes ironias) de muitos participantes, que às vezes se perdem num cipoal de idéias estranhas ao assunto inicial. O que importa (penso eu) não é a quantidade, e sim a qualidade dos comentários postados.

  3. Comentou em 18/03/2008 Márcio Barbosa

    Sr. João, ninguém está afirmando que as pesquisas com células-tronco embrionárias são uma panacéia. Não se esconda por trás de subterfúgios: a sua oposição é meramente religiosa. O fato é que proibir o uso dos embriões por critérios religiosos – quer neguem ou não – é sim o que move os opositores das pesquisas e o Sr. Claudio Fonteles, autor da ação de inconstitucionalidade. Como já foi escrito nos comentários, nenhum cientista inicia uma pesquisa sabendo se ela dará certo ou não. O próprio nome diz ‘pesquisa’. Felizmente pessoas como você são minoria e não detêm nenhum poder de decisão acerca dessa questão, porque apesar de renitente, os obscurantistas (gostem ou não são isso que representam) há muito foram derrotados.

  4. Comentou em 18/03/2008 valdir timóteo leite

    prezado Jose Armando Guarita , Sao paulo-SP – eng. civil
    vossa senhoria é muito qualificado para este debate,todos nós estamos fazendo o referido cursinho que infelizmente o senhor fugiu e não concluiu por já ter os ensinamentos da igreja estaqueados ou fincados nesta cabeça admirável que a ciência deveria estuda-la.
    Como deixar a igreja de fora se é ela quem tenta impedir as pesquisas ?
    A ninguém é permitido matar des-de que esta vida esteja expressamente protegida dentro da nossa constituição.
    quantas mulheres foram condenadas por assassinato até hoje por terem feito aborto ?
    quantos embriões registrados em cartório vossa senhoria pode nos apresentar e cite o nome por favor?
    quais são os deveres e direitos constitucionais destes embriões?
    onde esta estabelecido no código penal a pena estabelecida por manipulação de células-tronco embrionárias por quem quer que seja ?
    quantos orfanatos a igreja e o governo construíram para acolher esses embriões ?

    prezado Jose Armando Guarita , Sao paulo-SP – eng. civil o senhor não deveria construir um prédio sem existir uma base que o sustente !!!

    respeite as pessoas que estão debatendo para chegarem a um entendimento,pois ninguém aqui teve tanta sorte como vossa senhoria de nascer super dotado de inteligência.ABRAÇOS

  5. Comentou em 18/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro Sr Jose Armando Guarita , Sao Paulo-SP – eng. Civil, não foram usados cadáveres enquanto o Catolicismo mandou! Eles certamente não matavam embriões, apenas hereges, protestantes, judeus, bruxas! Nada que fosse preocupante! Embriões não existem graças a igreja católica, mas graças aos conselhos de ética que permitiram e não os estão condenando! A única instituição que deseja impor novamente o seu domínio dentro da sociedade que não lhe é fiel e descarta as suas posições, é a Igreja! Conselhos de Ética e profissionais não podem privilegiar uma religião, mas o todo da sociedade! Se matar fosse impedimento religioso não teriam existido a inquisição e as guerras religiosas e as religiosas atuais! O conflito em Darfur, na Irlanda do Norte, no Iraque não está ocorrendo por motivos científicos, médicos, em defesa da vida ou embrionários, mas por dogmas de fé! Bush se orienta com Deus com quem conversa, não com ateus, que não se elegem! Sunitas explodem Xiitas por divergências de fé!

  6. Comentou em 17/03/2008 Marcos Nascimento

    A Igreja não é contrária à ciência; mas ela afirma que os procedimentos científicos, enquanto atividades humanas, também devem ser orientados por critérios e normas éticas; uma delas, claramente, é o respeito à vida e à dignidade do ser humano. A prática da ciência não está acima da ética; tanto isso é verdade e reconhecido, que existe um Comitê Nacional de Ética em Pesquisa, justamente para vigiar sobre a qualidade ética dos procedimentos científicos. E não se trata de um organismo de religião, mas de Estado.

    “Defesa da vida: Uma questão de religião?” – Dom Odilo P. Scherer, Arcebispo de São Paulo

  7. Comentou em 17/03/2008 Fábio Carvalho

    Prezado João Silva, o senhor tem todo direito de preferir publicar textos em seu próprio blog, do mesmo modo que a Dra Alice Ferreira pode preferir publicar seus protestos contra a SBPC no Veritatis Splendor (ressalve-se que ela mesma afirma, em entrevista, a necessidade de se utilizar todos os meios necessários para levar informação ao povo). Ao reconhecer o direito do senhor em escolher a publicação de sua preferência, aponto incoerência na crítica segundo a qual ‘veja quem é a Dra. Alice Ferreira, ela é PhD, o texto poderia estar em qualquer lugar, só que é difícil estar na mídia ‘neutra’ como o observatório da imprensa’. Reconheço que muitos, não só católicos, reclamam de falta de espaço na imprensa. Em incontáveis oportunidades, essa crítica, na minha opinião, procede. Estou seguro, até prova em contrário, de que a Dra. Alice Ferreira ou o senhor encontrariam espaço no OI para criticar a imprensa por não dar espaço às opiniões católicas ou por ridicularizar a opinião de religiosos que são contra a pesquisa com células-tronco embrionárias. Se o senhor prefere não disponibilizar sua opinião aqui, para além dos comentários já inseridos, a crítica é injusta. No mais, com relação à finalidade do Veritatis Splendor ou do Cleófas, estamos de pleno acordo.

  8. Comentou em 17/03/2008 valdir timóteo leite

    Prezado João Silva Universitário talvez vc não saiba,mas o alcance e o poder da igreja em divulgar as suas idéias é muito maior do que você possa imaginar,no lançamento da campanha da fraternidade os dirigentes da igreja estiveram em quase todas as Câmaras Municipais e Assembléias legislativas do Brasil se utilizando do espaço público com o total monopólio da palavra ( falando contra as pesquisas com células tronco-embrionárias ) Não estou vendo você reclamar disto aqui .
    E as pessoas principais interessadas para que essas pesquisas aconteçam estão em cima de uma cama ou em uma cadeira de rodas ( sem direito e condições de se defender dos ataques da igreja contra suas vidas e suas esperanças) onde esta a bondade e a compreensão da igreja com essas pessoas?
    Você ataca a imprensa dizendo ela ser injusta nos debates,mas na verdade os representantes da igreja estão se escondendo dos debates porque viram a grande rejeição da população com as idéias da igreja contra as pesquisas,e eles sabem que perderão mais credibilidade se eles se aprofundarem muito neste erro,na verdade a imprensa esta sendo muito boa com a igreja.

  9. Comentou em 16/03/2008 Felipe Faria

    Não desconverse, quero o link da bomba

  10. Comentou em 15/03/2008 Marcelo Ramos

    Sr. Bandarra, algumas correções ao seu último post. A ciência não mata ninguém, assim como a medicina também não, nem a religião, nem a arquitetura. Mas cientistas podem matar, assim como médicos, ou padres, assim também arquitetos. Ciência, religião, medicina, etc. são ideologias (a ciência é uma ideologia), não podem ser responsabilizadas, assim como o diabo não pode ser responsabilizado pelos males do mundo. Em última instância, quem senão o ser humano pode ser responsabilizado? Deus não tem nada com isso, por isso existe o livre-arbítrio. Todas as pessoas que postam comentários aqui, se orgulham de ter livre-vontade, de tomar suas próprias decisões. E quando fazem algo errado ou reprovável, porque botar a culpa em outra entidade? Cada ser humano precisa assumir a responsabilidade, tanto de seus atos certos quanto dos errados. Isso se chama hombridade.

  11. Comentou em 15/03/2008 Marco Antônio Leite

    Escrever intelecto duvidoso não quer dizer que todos são assim, porém alguns sim. Nem tudo que parece ser errado para vocês, para muitos é certo. Abaixo a censura?

  12. Comentou em 14/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro Funcionário Público Carlos Eduardo Rocha , o amigo se equivocou! Eu nunca defendi que religiosos sejam proibidos para nada! Quem quer sempre proibir os outros são os religiosos! E justamente disse que os religiosos NÃO SÃO OBRIGADOS a ter que usar remédios e tratamentos que achem que ofende a sua religião! Crenças religiosas são para os crentes e não para os crentes exigirem cumprimento dos outros! Não existe paralelo em um tratamento ou pesquisas com o uso das drogas ilícitas! Visto que as listas eu não uso mesmo! Religiosos opinaram e perderam a discussão para a maioria. Agora tentam num fórum antidemocrático reaver a proibição! Se fosse feita a votação perderiam, como talvez perderiam para o aborto com o voto dos católicos! Motivo que não se arriscam! Não existe vida numa lixeira. Apenas das bactérias putrefazendo cadáveres e embriões humanos não implantados. Nada dignificante! Proibir as coisas também é imoral e anti-ético! Deve só ser feito em extremos e por motivos justificáveis! Ao estudante que disse que não são os doentes que devem decidir a ética, lembro que foi o mesmo pensamento na Alemanha nazista (até mesmo que não mereciam viver) e que a Igreja sempre defendeu isto para doentes e a existência de escravos! Leia Sto Agostinho e Sto Thomas de Aquino!

  13. Comentou em 14/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro Carlos Eduardo Rocha, a questão é entre o estado laico e a ciência, e não a religião alguma! As decisões não obrigam a nenhum religiosos a usar células tronco para tratamento ou fazer transfusão de sangue! As diversas religiões devem decidir para os seus seguidores o que fazer, não para os seguidores das outras ou não seguidores de nenhuma! Quem acha que deve comer peixe na sexta-feira santa pois é ético, que o faça, mas não pode a religião colocar na lei do estado que todos devem fazer isto! Mesma coisa com as células germinativas das pessoas, que não pertencem a nenhuma religião! Abraços

  14. Comentou em 14/03/2008 João Silva

    1) Caro Biólogo Alexandre Carlos Aguiar , Florianópolis – perdão se interpretou mal, não quis ofender nenhum pesquisador, e sim, questionar os AGENTES FINANCIADORES, existem vários pesquisadores em várias áreas, existem pesquisadores matemáticos, físicos, engenheiros, tecnólogos, biólogos, genicistas, psicologos, juristas, etc… São pessoas com boas intenções e todos de igual importância, e fazem estudos para melhorar a vida de todos nos.

    2) Caro Médico Paulo Bandarra, Porto Alegre-RS, novamente não falei em pecado, muito menos MERCADO ECONÔMICO como pecado, quando falamos em ÉTICA MORAL baseado em laicismo estamos falando no que o ESTADO aceita como ser ÉTICO, um exemplo no Brasil, por enquanto, roupar não é ÉTICO, isto não é a Igreja que diz e sim o estado LAICO, assim acontece com matar que para o estado LAICO não é ÉTICO, as discussões são nesta linha de raciocinio, e é isso que o STF esta julgando. Sobre outros assuntos que você citou, homossexualismo, sexo e outros assuntos da Igreja Católica, penso que não esta em discussão e não sou Teólogo ou religioso para debater com você.

    3) O que estou percebendo é que é mais fácil usar a Igreja Católica (pois aparentemente a Igreja sempre tem idéias velhas e obscuras que ninguém aguenta mais), do que discutir os BASTIDORES e alguns pontos de MOTIVAÇÃO das pesquisas. – sem palavrão. E outra coisa Laico não é estado Ateu.

  15. Comentou em 14/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro amigo Marco Antônio Leite , como uma pessoa pode ter certeza científica de que o diabo não existe, frente a tanto mal no mundo, mas tem certeza que só existe um Deus bondoso, frente a tanta falta de bondade, que nos criou a recompensa do Céu após uma vida casta e a reencarnação ao mesmo tempo, ou o inferno e o umbral ao mesmo tempo? São estas verdades que nós, simples mortais, não conseguimos acreditar! Só os iluminados que estudam os mistérios da energia quântica que explica tudo!

  16. Comentou em 14/03/2008 Paulo Bandarra

    “Argumento falacioso, pois a hipótese não existe no momento em que o questionado tem que responder” Felipe Faria , Rio-RJ – estudante. Você não acha a sua resposta irracional no momento que os seus argumentos contra as pesquisas são com pessoas que nunca vão existir de forma alguma, ao contrário da possibilidade de resultados científicos, independente de cura? Mas a hipótese de ofender a Deus (outra fantástica hipotese de querer saber o que ofende a Ele) por procedimentos pecaminosos de lucro ou ofender o conjunto divino de células você responde como se realmente fosse uma realidade e não uma suposição fantástica! Até uma tara de destruir o que será mesmo se não for usado para fins úteis, jamais em implantação, você usa como argumento como se ela existisse! Abraços

  17. Comentou em 14/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro Estudante Marcelo Dias , BH-MG – veja que as experiências com telômeros que independem da pesquisa com células tronco embrionárias já existem. Independem desta discussão, e quando chegarem a via prática, não será obrigado nenhuma pessoa a usar se achar que é anti-ético! Apenas as pessoas que assim desejem poderão usar. Ninguém é obrigado a sobreviver a um câncer fazendo quimioterapia que gera lucros para as empresas e médicos! Podem lutar contra as forças capitalistas livremente! Mas duvido que alguém que prolongue a sua vida tratando um câncer, tuberculose, lepra considerem antiéticas as pesquisas que dela derivaram, ou lamentaram o lucro que ela gerou ao passar a existirem! Isto que ninguém está impedido de morrer de forma natural para lutar contra o lucro pecaminoso e degradante! Quanto ao seu juízo de valor a respeito das células adultas como preferência não são verdadeiras, mas centradas em ideologia! Não se provou nada até hoje, nem se vão ser obtidos resultados. Se elas são proibidas de pesquisar como podem dar resultados danosos se nem sabemos aonde elas podem ir ser realizar as experiências? As células que estão dando mal resultados são justamente as de tecidos adultas! Mas mesmo que as embrionárias tivessem dando errado, não existe nenhum dilema moral em usar células tiradas das lixeiras! É apenas resistência irracional por um pensamento mágico!

  18. Comentou em 14/03/2008 Rogério Ferraz Alencar

    ‘Embriões só se tornarão alguma coisa se estiverem implantados no útero de uma fêmea humana’. É isso mesmo, Paulo Bandarra? E como fica aquela história de um ancestral comum para homens e mulheres e macacos e macacas? Que espécie de útero era esse?/////’falsas alegações! Cadáveres, órgãos e sangue humano para terapia não são vendidos.’ Tem certeza, Paulo Bandarra? Quanto um médico cobra, aí em Porto Alegre, por uma bolsa de sangue, quando alguém faz uma transfusão?

  19. Comentou em 13/03/2008 Marcelo Dias

    Alexandre Carlos Aguiar,
    obrigado pelo seu comentário! Considerei bem mais respeitoso e argumentado que o do Dr Paulo Bandarra.
    Sobre a ‘data de validade’ nossa, pode procurar por esses estudos pq eles existem! Eu não inventaria uma coisa dessa da minha cabeça. Está ligado à capacidade dos telômeros de se multiplicarem. Uma célula normal se replica um número determinado de vezes. Se ela ganha a capacidade de se multiplicar eternamente, ela simplesmente vira um tumor, o que provavelmente é ‘menos’ vida do que um embrião.
    Sobre o argumento de pacientes tetraplégicos ou oncológicos, deixe-me fazer mais claro. Não sou contra o avanço da ciência, muito menos contra o prolongamento SAUDÁVEL da vida humana!! Tanto é que sou estudante de medicina!! Sou apenas contra ações ANTI-ÉTICAS, impensadas e potencialmente nocivas como essa do uso de embriões. Ou seja, apenas discordo de Maquivel quando ele disse que os fins justificam os meios (quaisquer meios!!), entende?!
    E volto a frisar ainda as palavras do Dr Marcelo Cardoso: já foram feitos experimentos que PROVARAM que embriões (de animais) não são melhores para pesquisas do que céls. tronco adultas!! Aliás, além de não serem melhores, são potencialmente perigosas, pelos tumores que acabam produzindo!! Isso é um argumento científico muito forte que justifica não arriscarmos nossa ética, concorda?? Um abraço!

  20. Comentou em 13/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro Publicitario Marcelo Ramos , não é capaz de resistir um minuto a minha presença sem meter os pés pelas mãos! Poderia ter outros usos a Internet, mas a inveja o consome por dentro a ponto de nem mesmo ler o que está escrito! Se mostrar onde que os dois pacifistas se envolveram em defesa da ciência, do conhecimento científico nas suas lutar políticas, faria sentido a sua preocupação com a minha pessoa! A libertação da Índia e a luta pelos direitos civis não foram assuntos científicos, mas políticos! A sua sugestão de que a vacina seria indicada para a liberação da índia mostra bem como funciona a sua mente! Desconexa com o assunto que se trata. Coisa comum em quem defende o céu eterno, a reencarnação, deuses quânticos, justiça universal e defender autohemoterapia e a homeopatia! Lê e não entende nada. Nem Popper lhe ajuda a colocar em prática a leitura! Desisto de mostrar ao senhor para que servem as vacinas pois levaria vários dias e não obteria exito! Mas se possui provas da luta destes homens para a liberdade científica, assunto que até agora o senhor não notou se tratar, e não eu, nos informe, pois isto mostraria que não eram obscurantistas! Veja no dicionário escolar primeiro o que é obscurantista para se situar no assunto! Não perca o sono!

  21. Comentou em 13/03/2008 Paulo Bandarra

    Caro Publicitario Marcelo Ramos , não é capaz de resistir um minuto a minha presença sem meter os pés pelas mãos! Poderia ter outros usos a Internet, mas a inveja o consome por dentro a ponto de nem mesmo ler o que está escrito! Se mostrar onde que os dois pacifistas se envolveram em defesa da ciência, do conhecimento científico nas suas lutar políticas, faria sentido a sua preocupação com a minha pessoa! A libertação da Índia e a luta pelos direitos civis não foram assuntos científicos, mas políticos! A sua sugestão de que a vacina seria indicada para a liberação da índia mostra bem como funciona a sua mente! Desconexa com o assunto que se trata. Coisa comum em quem defende o céu eterno, a reencarnação, deuses quânticos, justiça universal e defender autohemoterapia e a homeopatia! Lê e não entende nada. Nem Popper lhe ajuda a colocar em prática a leitura! Desisto de mostrar ao senhor para que servem as vacinas pois levaria vários dias e não obteria exito! Mas se possui provas da luta destes homens para a liberdade científica, assunto que até agora o senhor não notou se tratar, e não eu, nos informe, pois isto mostraria que não eram obscurantistas! Veja no dicionário escolar primeiro o que é obscurantista para se situar no assunto! Não perca o sono!

  22. Comentou em 13/03/2008 Marco Antônio Leite

    Estamos em constante confronto entre o MAL e o BEM, é a peleja do DIABO com o dono do CÉU. De um lado somos o DIABO, do outro eles são os ‘DEUS (deuses), queremos criar um outro paraíso, porém eles não permitem, isto porque são conservadores, preferem este paraíso superficial. Essa guerra entre o DIABO e o dono do CÉU é antiga, e permanecerá até a vitória final. Esperamos que ela seja do DIABO, ai sim , construiremos uma sociedade nova, se quiserem pode ser a do mago Raul, a sociedade alternativa aprovam o projeto de pesquisa de célula-tronco. Abraços socialistas à todos que freqüentam este espaço democrático que aceita COBRAS e LAGARTOS de vários tipos e tamanhos, com raras participações de alguns SAPOS com ou sem barbas.

  23. Comentou em 13/03/2008 Marcelo Dias

    Dr Paulo Bandarra, o sr ainda não respondeu às minhas questões nem às questões do Dr Marcelo Cardoso. Você classifica o seu colega de preconceituoso, mas o sr mesmo não responde com argumentos! O sr é a favor de passar por cima da ética, assassinando POSSÍVEIS vidas, sem se importar o mínimo com isso, e sem poder garantir o mínimo resultado com isso. Isso, ao meu ver, é loucura ou então problema de cognição. O debate com o sr, infelizmente, não está sendo nada proveitoso, pq o sr insiste em fugir dele. Dou por encerrada minha participação nesse tema, visto que o meu tempo poderá sendo muito melhor empregado estudando ou mesmo discutindo com alguém que saiba argumentar e contra-argumentar, o que infelizmente não acontece com o sr.
    E se ser estudante automaticamente nos coloque em uma posição mais humilde que a do sr, que já é médico, prefiro ser estudante por resto da vida do que ter essa enojável soberba e prepotência que o sr apresenta, sem a menor justificativa. Lembre-se: o sr é ‘doutor’ em medicina e não em filosofia ou moral para discursar esse seu discurso vazio com toda essa pompa. E mesmo se tivesse formação em filosofia ou moral, não teria esse direito (e aposto que nem desejaria ter). Lembre-se que o seu (ou melhor, o nosso) conhecimento tem limites!! Não os ignore! Que o sr possa ser ter melhores participações em próximas oportunidades. Um abraço definitivo, ‘dr’..

  24. Comentou em 13/03/2008 Marcelo Ramos

    FAla xará Marcelo Dias. Permita-me dar uma dica: você descobriu a essência do Bandarra. Sempre que ele não consegue argumentar, muda de assunto, ironiza, distorce, foge… e se você apertar muito, ele também mente, dizendo que você disse coisas que vc. não disse. Aí você perde um tempão replicando que vc. não disse aquilo que ele alegou… e por aí vai… com o Bandarra vc só vai perder tempo. Outra dica, se vc quer argumentar seriamente, há participantes bem mais indicados.

  25. Comentou em 13/03/2008 valdir timóteo leite timóteo

    PUXA VIDA VIU,SERÁ QUE SOMENTE EU SEI QUANDO COMEÇA A VIDA…TODOS SE ESQUECERAM QUE A VIDA COMEÇA DO BARRO ?
    BOM PELO MENOS É ISTO QUE ESTA NA BÍBLIA,DEUS FEZ O HOMEM DO BARRO,TIROU UMA COSTELA DO HOMEM E FEZ A MULHER,DEUS FOI O PRIMEIRO CIENTISTA DO MUNDO,PARTINDO DAI A IGREJA ESTA SE METENDO EM UMA FRIA DANADA,ELA PREGA ISTO,AGORA ELA QUE PROVE ISTO CIENTIFICAMENTE …POIS ATÉ HOJE NINGUÉM PROVOU QUE O HOMEM VEIO DO BARRO.
    A IGREJA QUE FIQUE COM SUAS CRENÇAS INFUNDADAS E DEIXEM OS CIENTISTAS TRABALHAREM EM BUSCA DA VERDADE E DA CURA DE DOENÇAS,POIS ATÉ HOJE A HUMANIDADE NÃO VIU A IGREJA DESENVOLVER NENHUM MEDICAMENTO E NEM DESCOBRIR A CURA PRA ABSOLUTAMENTE NADA.
    E AO MEU VER ESSA AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE ESTA PARECENDO SER UMA MANEIRA DE SE ALTO PROMOVER,E QUE INFELIZMENTE ESTA PREJUDICANDO TODA A HUMANIDADE,SERÁ QUE OS AUTORES DESTA AÇÃO PAGARÃO OS PREJUÍZOS CAUSADOS A NOSSA SOCIEDADE?POIS DEVEM SER PROCESSADOS POR ISTO,AFINAL A LEI PASSOU POR TODOS OS TRAMITES LEGAIS E QUEM ACUSA CABE PROVAR O QUE ACUSA.
    SIM AS PESQUISAS COM CÉLULAS-TRONCO EMBRIONÁRIAS ESTA É A VONTADE DA MAIORIA EM NOSSA SOCIEDADE.

  26. Comentou em 13/03/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Ao estudante Felipe Farias, que iniciou uma série sem sentido para desancar Lysenko, agradeço pela inserção do tema, cujo exemplo ressalta a compreensão dos procedimentos científicos. Aliás, como estudante, está na hora de aprender. Para quem não sabe, Lysenko foi um pesquisador soviético que difundiu a técnica de vernalização, que consiste em oferecer a determinados grupos de plantas um choque de baixíssimas temperaturas e depois colocá-las em ambientes de temperaturas mais amenas, o que daria a estes organismos a falsa impressão de chegada da primavera e, com isso, otimizaria o seu florescimento. Esta técnica foi aplicada com trigo e e arroz, especialmente, cujo intuito era aumentar a produção e transformá-las em ‘plantas do proletariado’. Ocorre que Lysenko incorreu em diversos erros, o principal foi misturar IDEOLOGIA com CIÊNCIA e os resultados foram péssimos e desanimadores. Como conseqüência ele foi banido do partido comunista soviético. Este é o mesmo erro no qual incorrem os religiosos fanáticos como este estudante e os demais: estabelecer dogmas concomitantes com a ciência. Se conhecesse os métodos científicos, caro estudante (e é hora mesmo de aprender, repito), saberia que estes procedimentos devem, sim, passar por crivos acadêmicos e não sofrer censuras de dentro de capelas emboloradas. Estude mais para não dizer bobices.

  27. Comentou em 12/03/2008 Felipe Faria

    Dr Bandarra, na sua opinião a manipulação de embriões para escolha do sexo do filho é ética?

  28. Comentou em 12/03/2008 Nilton Cavalini

    Caro Ubirajara,

    Se estamos fadados a morrer e isso justifica não deixar o embrião nascer, também justifica não utiliza-lo. Afinal de contas, se vamos morrer mesmo porque fazer experiências para prolongar a vida? Que morramos mesmo, pois como dizia o velho ditado: quem não tem remédio, remediado está.
    Mas tenho certeza de que mesmo fadado a morrer você não desejaria que alguém arbitrariamente determinasse sua morte para o bem de outros, gostaria? Nem hoje nem 9 meses antes de você nascer. Você gostaria de que pelo menos perguntassem sua opinião.

  29. Comentou em 12/03/2008 Nilton Cavalini

    Caro Ubirajara,

    Se estamos fadados a morrer e isso justifica não deixar o embrião nascer, também justifica não utiliza-lo. Afinal de contas, se vamos morrer mesmo porque fazer experiências para prolongar a vida? Que morramos mesmo, pois como dizia o velho ditado: quem não tem remédio, remediado está.
    Mas tenho certeza de que mesmo fadado a morrer você não desejaria que alguém arbitrariamente determinasse sua morte para o bem de outros, gostaria? Nem hoje nem 9 meses antes de você nascer. Você gostaria de que pelo menos perguntassem sua opinião.

  30. Comentou em 12/03/2008 Carlos Alfredo Simch da Silva

    Me parece que o interesse de religiososos por embriões é devido ao vazio lógico em que vivem. O grande embate é entre racionalismo e superstição. A verdade de um livro ‘sagrado’ é um axioma, não o produto final de um processo de raciocínio. Se as provas contradizem o livro, são as provas que devem ser rejeitadas, não o livro.
    Regras gerais:
    Você sobreviverá à propria morte;
    A fé (crença sem evidência) é uma virtude. Fiéis virtuosos que conseguem acreditar em algo muito estranho, insustentável, são especialmente recompensados:
    Existem coisas estranhas, como a Trindade, a transubstanciação, a encarnação, que não nos cabe compreender. Nem tente entendê-las, satisfaça-se chamando-as de mistérios.
    Segundo mencken, os momentos finais de um crente:
    ‘Eu, José da Silva, sob juramento, acredito que, ao morrer me tornarei um vertebrado sem substância, desprovido de peso, altura ou massa, mas conservando todos os poderes intelectuais e sensações corpóreas de um mamífero comum; e que, pelo crime e pecado de ter beijado minha cunhada ás escondidas, com má intenção, serei cozido em ácido sulfúrico durante um bilhão de anos.

  31. Comentou em 12/03/2008 João M. A. da Silva

    Srs. do site, eu fiz um comentário, não precisam aprova-lo, sei que existem uma certa tendência, mas por favor me envie por e-mail meu comentário, fiz uma pesquisa antes de escreve-lo…

    Obrigado, joao@portallivre.org

  32. Comentou em 11/03/2008 Felipe Faria

    Nelson Rodrigues dizia que gênio é aquele capaz de enxergar o óbvio.
    Estado laico não é o que abole as convicções religiosas para consagrar o ateísmo como opção única. Estado laico, porque democrático e plural, é o que garante a convivência pacífica e respeitosa dos que professam os mais variados credos, inclusive os que credo não têm.
    c.avolio

  33. Comentou em 11/03/2008 Leonardo Candido Bastos

    Não precisa ser jurista, filósofo ou cientista: leiam com ponderação e serenidade o art. 5º da Lei nº 11.105/2005 (Lei de Biossegurança – artigo que se busca a inconstitucionalidade). Não há ofensa à vida ou à dignidade humana, pelo contrário, as balizas ali estabelecidas externam a preucupação com à vida e à dignidade humana em sua plenitude. A propósito, os votos dos ministros são primorosos, por favor: leiam! Sou católico, e como católico opino: o Estado deve ser independente de todas a religiões, de todas! Sei que isso ainda esta longe da realidade, todavia sou otimista quantio a isto. Somos uma democracia jovem e aos poucos caminhamos em direção a maturidade político-institucional de um Estado efetivamente laico. Espero que os demais Ministros compreendam e acompanhem o histórico voto do brilhante Ministro Britto. Por fim, não posso esquecer de comentar, a análise da postura da mídia feita pelo Senhor Dines: excelente. Muito obrigado, LCB.

  34. Comentou em 11/03/2008 Alberto Dantas

    Sr. João M. A. da Silva, há várias incorreções em seu arrazoado. A igreja não ‘segurou a queda do império romano’ porque ele caiu mesmo em 476 DC nas mãos dos bárbaros. Não foi a igreja que ‘fundou as artes’ e muito menos a economia de livre mercado (a igreja sempre condenou o lucro). Lutas de gladiadores já haviam caído em desuso antes da queda de Roma. Quem fundou a igreja católica não foi Cristo, mas sim Constantino.

  35. Comentou em 11/03/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    O sr. arqueólogo começou bem, mas… Não entendo esse asco com o ‘ganhar’ dinheiro. Qual o problema? Quer dizer que os médicos, ao tratar de um paciente, devem dispensar o pagamento, pois a vida não é comercializável? O advogado que ganha uma causa não deve cobrar honorários, pois a justiça é para todos e um direito do cidadão? O engenheiro que constrói casas e edifícios deve fazê-los de graça, pois suas obras contribuem para o progresso da humanidade? Eu, quando dou minhas aulas, deve negar o pagamento, pois a Educação é um bem público? O senhor, quando faz suas pesquisas, consegue financiamento de quem? Qual é? Vamos deixar a hipocrisia de lado. Pode-se ganhar dinheiro, sim, com as pesquisas com CTE, sem problema algum, mas, acima de tudo, estaremos fazendo algo de produtivo para a humanidade. Esse é o ponto. Ou o senhor é adepto da política do Garotinho, do almoço grátis? A diferença será debatida em conselhos de ética. E aí é onde a porca torce o rabo. Agora, se também não acredita em cientistas éticos, não posso fazer nada.

  36. Comentou em 11/03/2008 j leal

    Onde há ‘fé’ exacerbada, existe sempre o perigo do obscurantismo, ou em outras palavras, uma tendência social para dificultar, o progresso intelectual à ciência, explorando as crendices do povo.

  37. Comentou em 11/03/2008 Ana Cecília Camargo

    O pior é a mania de perseguição que a igreja católica tem, infelizmente seguida por muitos de seus fiéis que com certeza postarão mensagens do tipo aqui. Não sabem eles que só estão fazendo o jogo de padres e bispos que representam em sua maioria o que existe de mais arcaico e obscuro em termos de pensamento.

  38. Comentou em 11/03/2008 Olímpio Nascimento

    Uma mostra disso foi o programa Canal Livre exibido no último domingo na TV Bandeirantes. Em busca de uma suposta isenção e pluralismo, o programa entrevistou o bispo auxiliar do Rio de Janeiro sobre a pesquisa com células-tronco. Ora, isso não é assunto de alçada da igreja. O religioso apenas repetiu os bordões de sempre sobre Deus e a origem da vida, etc, algo que qualquer criança aprendeu no catecismo. Não se acrescentou nada ao debate.

  39. Comentou em 11/12/2007 Marcos Antero Sóter

    Dines, por favor, estou editando um jornal da Congresso da Associação Brasileira de Rádio Comunitária (Abraço) que vai acontecer no próximo fim de semana aqui no DF. No jornal, uso um texto do Ismar Capistrano Costa Filho, publicado por vocês em 4/12/2007, e estou precisando do selo 10 anos em alta resolução. poderiam me enviar com urgência?

  40. Comentou em 14/09/2007 Paulo Viegas

    Acompnhava bastante o Observatório da Imprensa na TV e tenho um especial apreço pela sua programação. Gostaria, pois, de sugerir que discutissem (novamente, em alguns casos) os seguintes temas:
    1) a manipulação de notícias pela mídia nacional e o extremo poder que pouquíssimos veículos exercem sobre a sociedade. Ex: o acidente da TAM – se tentou culpar o Governo federal.
    2) Até onde vai a liberdade de imprensa? A Mídia pode descumprir leis? Ela pode culpar pessoas? Ela pode julgar levianamente profissionais e funcionários públicos?
    3) Ao entrevistar pessoas sobre temas de interesse público, dando-lhes a oportunidade de emitir uma opinião, a mídia não deveria perguntar publicamente ao entrevistado se ele tem algum interesse particular em defender a opinião divulgada? Isso não poderia obstaculizar intentos de manipular opiniões?
    4) Sobre a discussão de vocês de que não há mais ideologia na imprensa, o site do Paulo H. Amorim veiculou recentemente uma série de reportagens contra a manipulação de notícias (‘uníssonas’, diga-se de passagem) pelas 3 ou 4 maiores veículos de informação no Brasil. A proposta me parecia boa, pois promovia um segundo ponto de vista – praticamente uma única visão alternativa. Ocorreu então uma irada e violente critica a essa posição, e PHA teve que tirar seu ‘Fale Conosco’ do ar. A postura dos internautas não seria ideológica?

  41. Comentou em 07/07/2006 elisa machado fernandes

    Olá, gostaria de saber para qual email posso mandar sugestões de pauta e releases para o portal do observatorio da imprensa?
    grata
    Elisa

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem