Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1066
Menu

CIRCO DA NOTíCIA >

A transparência que falta

Por Carlos Brickmann em 15/06/2004 na edição 281

O apresentador Jorge Kajuru foi tirado do ar no dia 2: chamou os comerciais do seu programa Esporte Total e não voltou. Aparentemente, o motivo pelo qual o afastaram foi a crítica ao número de convidados do governo mineiro e da CBF ao jogo da Seleção brasileira em Belo Horizonte.

OK: cada emissora decide quem vai ao ar, quem fica no ar, quem sai do ar. Mas o público, imaginemos, também tem alguns direitos – no mínimo, o direito de saber por que alguém saiu do ar sem prévio aviso, no meio de um programa. E, tantos dias após os fatos, até agora ninguém publicou a versão da emissora sobre o afastamento de Jorge Kajuru.

Mas esta nota não trata apenas do relacionamento do empregador com o empregado. Gostaríamos todos de saber, isto sim, por que a imprensa não investigou o fato. Soltemos a imaginação: é possível pensar que o afastamento abrupto do profissional tivesse algo a ver com o que ele acabara de falar. Neste caso, terá havido pressão do governo mineiro, ou da CBF? Teria a emissora se antecipado à pressão e tomado providências antes que alguém telefonasse? A propósito, por que o governo mineiro ou a CBF teriam este poder de pressão?

São muitas dúvidas. E, se não é para esclarecê-las, para que imprensa?



Informação completa

A propósito, que ninguém diga que há problema para divulgar notícias de um veículo de comunicação por causa da concorrência. Basta parar em frente a uma banca para saber quem está namorando com quem, quem namora fulana mas flerta com outra, quem está trocando de parceiro. Se o ‘quem come quem’ funciona com perfeição, por que as outras informações teriam dificuldades para circular?



Piada revisitada

De acordo com a anedota, enlouquecer um dinamarquês é simples. Basta trancá-lo num quarto redondo e dizer ‘Joakinsson, fique no canto’.

Enlouquecer um leitor brasileiro também não deve ser difícil. Este colunista viu, num grande jornal, as fotos da passagem de Vênus entre o Sol e a Terra. A legenda esclarecia que Vênus estava no canto direito do Sol.



Vôo voado

A notícia de que foi criado em São Paulo um serviço de supervisão dos vôos de helicópteros valeu notícias maravilhosas: frases como ‘supervisão dos vôos para sobrevôos’ rechearam rádio, TV e jornais. E a grande dúvida não foi esclarecida: informaram-nos que este serviço é pioneiro, só existe em São Paulo. Se Nova York, que tem mais helicópteros, não precisa deste serviço, por que é que nós gastamos dinheiro com ele?



Cadê o convite?

Todo mundo falou da festa de 30 anos de casamento do presidente Lula, comemorada no Dia dos Namorados. Todo mundo falou da fotomontagem, com Lula e sua esposa Marisa vestidos de caipiras, convidando para a ‘Festa no Arraia do Torto’. Mas ninguém mostrou o convite.

Será que o público não teria mesmo nenhum interesse em ver o convite para a festa presidencial? E, só para implicar um pouco, saber quantos convites foram feitos, por quem, a que custo e pagos por quem?



Governo é cultura

Na imortal frase de José Dirceu, a respeito de sua ‘fidelidade canina’ ao presidente Lula, faltou a imprensa trazer aquela pitadinha de cultura. Lembrar, digamos, a famosa inscrição de Pompéia: ‘Cave Canem’. Em latim, ‘cuidado com o cão’.



Propaganda é informação

Na propaganda de TV do PPS, em que políticos do partido perguntam a pessoas comuns se sua vida melhorou ou não e todos respondem que piorou, faltou também aquele toque que só a imprensa poderia dar: lembrar que o PPS é aliado de Lula e tem ministro no governo federal – Ciro Gomes, da Integração Regional.



Cazuza, o filme

Alguém poderia fazer a gentileza de informar qual o custo de publicidade do lançamento do filme O tempo não pára, sobre a vida do cantor e compositor Cazuza? São dezenas de anúncios em página nobre, caríssimos. Há algum esquema de parceria entre jornais e produtores do filme? Se há, isso pode ter alguma influência nas abundantes reportagens sobre a obra?

******

Jornalista, diretor da Brickmann&Associados Comunicação; endereço eletrônico (carlos@brickmann.com.br)

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem