Domingo, 23 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

CIRCO DA NOTíCIA > MANCHETE FURADA

Diário de S.Paulo estava errado

Por Luiz Antonio Magalhães em 16/04/2008 na edição 481

A se confirmar a versão da Polícia Civil de São Paulo sobre o que aconteceu
no edifício London na noite de 29 de março, estava mesmo errada a manchete do
Diário de S.Paulo de 1º de abril.






Segundo matéria
da Folha Online, a polícia acredita que a madrasta de Isabella Nardoni foi quem
espancou e asfixiou a menina no apartamento do pai dela. Isabella, portanto, não
poderia ter dito o que o Diário precipitadamente escolheu para a manchete
porque não era o pai quem batia na garota. Faz sentido, portanto, o depoimento
de várias testemunhas dando conta de que Isabella gritava pela ajuda de
Alexandre Nardoni: ‘Pára, pára, pára! Papai, papai!’ seria a versão correta das
últimas palavras da menina.


Sim, este caso é um show de horrores, e se restar provado que foi o pai quem
atirou a filha pela janela, os editores do Diário não vão sentir muito
remorso por terem publicado a tal manchete na capa do jornal. O signatário,
porém, reafirma o que
escreveu
em 2/4: a edição daquela primeira página foi sensacionalista e
precipitada, levando a população a acreditar desde o início na culpa do casal
Alexandre e Anna Carolina.


Para a polícia, os dois estão envolvidos e logo serão apresentados os
relatórios com as descobertas investigadores. Daí para frente é com o Ministério
Público e a Justiça, que têm uma série ritos e procedimentos que visam garantir
o amplo direito que todos devem ter à defesa. Não cabe à imprensa o papel de
indiciar, julgar e condenar quem quer que seja, por mais hediondo que tenha sido
o crime cometido.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem