Domingo, 25 de Junho de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº946

CIRCO DA NOTíCIA > BUSH NO BRASIL

Duas questões sobre
a visita do cowboy

Por Alberto Dines em 09/03/2007 na edição 423

Duas perguntinhas relacionadas com a visita do presidente Bush ao Brasil:


1) Por que a nossa mídia está usando a palavra etanol em vez de álcool? Se os dois nomes referem-se ao mesmo produto e se usamos o álcool nos carros desde 1975, quando começou o Pró-Álcool, por que, de repente, nossa imprensa adotou o modismo do etanol, oriundo do inglês? Para ficar mais chique? Experimentem ir a um posto de gasolina e pedir ao atendente para encher o tanque com… etanol. Justo no momento em que os Estados Unidos se curvam diante de nossa tecnologia e da nossa inventividade, a nossa mídia volta ao antigo ‘entreguismo’ e entrega-se à velha fantasia de imaginar-se americana. Pelo menos ainda não estão escrevendo etanol com o ‘h’ depois do ‘t’.


2) A outra pergunta: ‘visita de trabalho’ só pode realizar-se em São Paulo? Por acaso não se trabalha em Brasília? Todas as visitas de chefes de estado são encontros de trabalho para firmar acordos negociados com muita antecedência. A verdade que a mídia não revelou é que o Itamaraty não queria receber Bush na Capital Federal para desobrigar-se das inevitáveis pompas protocolares. Pretendia assumir uma certa superioridade diante do poderoso chefão, mas quem está pagando o pato desde ontem é o paulistano, torturado pelo caos no trânsito. Para não parecerem ‘entreguistas’ nossos diplomatas entregaram São Paulo à prefeitura de Bagdá.

Todos os comentários

  1. Comentou em 20/03/2008 RIGOBERTO BORGES

    Vocês que entendem do assunto.
    Quando os fieis da IURD se revoltaram com as matérias da FSP e foram a justiça numa ação orquestrada pela Igreja, a mídia e este Observatório se manifestaram com firmeza repudiando as referidas ações na justiça, algo como ‘litigância de má fé’. Pesquisando no TJSP verifiquei que o Grupo Abril e dois funcionários da revista veja estão movendo ações contra o jornalista Luiz Nassif, por conta de opiniões que ele tem sobre a linha da revista e publica em seu blog. Que eles tem direito de mover as ações ele tem (apesar de achar que os fieis da IURD também tinham), mas a mídia e este OI se calarem sobre isto eu não entendo.

    Não diz o ditado que roupa suja se lava em casa? Não são todos jornalistas? porquê um processar o outro? por que não se defendem através da revista ou dos blogs?

  2. Comentou em 11/03/2007 Jose Maringa

    Caro Alberto:
    Acredito que o Imperio nao esta se curvando a nossa tecnologia, mas pelo contrario, estamos servido novamente de colonia da onde se retira tudo.
    Alem do mais já pagamos em dolar pelo preço do alcool que usamos, a unica diferença é que subira mais, enquanto o governo fica subisidiando os usineiros que de vez em quando dizem estar falidos.
    Que pouca vergonha que acontece em nosso pais á decadas.

  3. Comentou em 10/03/2007 Marcelo del Questor

    Etanol… Alcool… Sei lá se tal discussão tem um valor real. Valor tem os impactos causados pela produção de cana-de-açucar. E por extensão a produção de etanol/alcool. Impactos positivos e negativos. Outra coisa que tem que ser dita, é que apesar de tudo de bom que os eua criaram ou realizaram no decorrer de sua existência, trata-se de uma das sociedades mais reacionárias, violentas e usurpadoras do mundo. Se nos deu tantas evoluções tecnológicas, os fez por interesse próprio. Lutou contra os nazistas por causa de pear harbor. Acolhe neo-nazistas sobre o manto da sua bela ‘democracia’, como também sobre esse manto acolheu e acolhe grupos como a supremacia branca, os skull bones, do qual bush é oriundo e também a kkk. Tem modos segrecacionais idênticos aos aplicados na Africa do Sul, em tempos idos. Chama a todos nós, inclusive aos seus ardorosos defensores de ‘cucarachas’. Urinam na bandeira do Brasil e persegue negros, asiáticos, latino-americanos e todos os oriundos de países sub-desenvolvidos. Usando inclusive de violência extrema, como ocorre no interior de muitos estados dos eua. Invadiram o Iraque apenas para se apossar do petróleo daquele país. Usando mentira e violência como pretexto. Nos livros de geografia de suas escolas, a Amazonia não é colocada como território brasileiro. Na invasão do Iraque, institucionalizou a tortura, em desrespeito ao acordo de Genebra.

  4. Comentou em 10/03/2007 Ivan Berger

    Não seria mais válido discutir as implicações do compromisso firmado entre os dois países,ao invés de bobagens etimológicas e logísticas da visita de Bush ? Aliás,sem querer ser desmancha-prazeres,se o grande atrativo do ambicioso projeto é incrementar a utilização do chamado combustível limpo,não vi ninguém comentar sobre os efeitos colaterais da crescente cultura da cana de açucar,principalmente no que tange as queimadas,recurso normalmente utilizado para limpar as áreas de cultivo.Não adianta ajudar a despoluir de um lado,e poluir de outro,sem falar no desgaste que esse tipo de cultura provoca no solo.

  5. Comentou em 10/03/2007 Paulo Bandarra

    Enquanto Lula quer que o Presidente baixe os impostos de importação para o Etanol, coisa que ele não tem poder, pois só o congresso americano pode legislar sobre isto, o Hugo Chaves critica duramente o programa brasileiro na Argentina, junto com as mães da praça de maio. Que os americanos devem continuar a alimentar seus carros com petróleo venezuelano e não comprar álcool! Interessante que tanto Lula e Bush posam para fotos cheirando buretas com o produto dentro! Parece que estão analisando bebidas destiladas para uso humano e não combustível para automóveis, que o cheiro é o que menos interessa! Igualam-se em gosto! Dizem as notícias que Lula visitará a Venezuela, provavelmente para se desculpar com o líder como Mussolini fazia com Hitler! Subserviência vergonhosa!

  6. Comentou em 09/03/2007 Paulo Bandarra

    Em 2006 – foram comercializados pelo Brasil US$ 39,12 bilhões com os norte-americanos.

    O Brasil tem uma diversificação de parceiros muito grande. Todos os outros países, individualmente, estão abaixo de 10%, o que nos deixa numa situação bastante confortável e pouco vulnerável”, hoje, os EUA são o único país que responde por mais de 10% de nossas exportações e importações.

    Ou seja, a culpa dos norte-americanos pelas nossas misérias é praticamente nula. Nós mesmos somos culpados pelo nosso atraso completo!

  7. Comentou em 09/03/2007 Tábhata Almeida

    Deprimente ver tantos professores, doutores e cientistas se manifestarem criticando a primeira pergunta, extremamente bem colocada e inteligente, diga-se de passagem. Fica claro que apesar de tão sábios no quesito ‘química’, são uma negação no quesito ‘português’, pois são incapazes de fazer uma interpretação de texto. Essa é a verdadeira desgraça do Brasil: a ignorância.

    Em tempo, ninguém comentou a segunda pergunda. Provalvelmente por não terem entendido a gravidade da adoção, pelo governo Lula, de uma postura ideológica no campo das relações internacionais. Acreditem: o Brasil ainda vai pagar muito caro por isso.

  8. Comentou em 09/03/2007 Fábio de Oliveira Ribeiro

    Você só se esqueceu de dizer que o Bush não está preocupado só com o fim das reservas de petróleo ou com o efeito estufa, mas principalmente com a EXTINÇÃO DO AMERICAN WAY OF LIFE (que como todos sabemos é baseado em combustíveis fósseis). Há dois anos escrevi um artigo sobre o assunto cujo endereço publico aqui para os interessados:
    http://www.midiaindependente.org/en/blue/2005/11/339082.shtml

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem