Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1051
Menu

CIRCO DA NOTíCIA >

Lugar errado

Por Lúcio Flávio Pinto em 12/05/2009 na edição 537

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Velloso, disse que a transmissão ‘ao vivo’ pela televisão das sessões da corte faz mal aos seus integrantes. Alguém pode interpretar essa opinião como um ranço de autoritarismo, da época em que a corte superior da justiça brasileira estava fora do alcance do cidadão – e da imprensa. Mas não era necessariamente melhor do que a atual. Simplesmente era menos conhecida e tangível.


Ainda assim, é inegável que a vitrine da TV colocou as vaidades fora de controle, como ficou demonstrado no bate-boca entre os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa. Eles se comportaram de olho na câmera, para impressionar quem assistia, e não como ponderados julgadores e equilibrados homens públicos. Barbosa interpretou na sua intervenção o que muito brasileiro gostaria de dizer para o presidente do STF, o papel negativo que ele tem desempenhado para erodir a credibilidade da justiça. Mas, ao retrucar, Barbosa trocou o plenário do Supremo pelo ringue, a rua ou a geral de estádio de futebol.


Um espetáculo inesperado, triste e negativo. O Brasil apenas empobreceu mais ao assisti-lo pela TV do STF.

******

Jornalista, editor do Jornal Pessoal (Belém, PA)

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem