Domingo, 15 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1067
Menu

CIRCO DA NOTíCIA >

Os espelhos que auxiliam a resgatar a cidadania

Por Alcy Belizário de Souza em 12/10/2009 na edição 559

Quando passo pelas áreas da Grande Vitória – nobre; periférica e rural – observo que o nosso espaço geográfico é um grande ‘espelho’: reflete o universo do cotidiano pluralista, edificando uma nova comunidade com uma visão de diversos ângulos, auxiliando-a no resgate a cidadania.

Os vários espelhos espalhados neste universo geográfico mostram como as transformações culturais de uma sociedade modificam o discurso do indivíduo durante a criação de sua identidade e a formação de valores. O reflexo do espelho mostra muitas distorções entre as regiões. O contexto central do espelho é mostrar que o processo de identificação do espaço é diferenciado pelo fato de não existir uma identidade cultural, em virtude da metamorfose cotidiana. O personagem ‘espelho’ tem a sua imagem desfocada e focada por vários ângulos; a imagem é refletida e exibida mostrando a realidade da produção cultural (sujeito, subjetividade, criação de valores, verdade, normas, ritos, desconstrução, instituição concreta e não concreta, negociação, questionamento, comunidade, sindicatos, empírica, científica, pretensão da sociologia funcionalista) – questões que produzem e indicam a demarcação das fronteiras do real e da ficção.

Um dos questionamentos nas entrelinhas ao ‘espelho’ são os pequenos momentos da estética e de humor, quando exibem e explicam que a realidade é uma ficção onde todos colaboram para a construção da realidade, possibilitando o enquadramento das diferenças na sociedade que vive de adequações e negociações no controle e nas mudanças tecnológica social, cultural e instrumental.

Cotidiano é presente e permanente

Atos como estes são vistos no cotidiano da nossa sociedade ‘espelho’ com os excluídos (diferentes). Reflexos que reforçam a visão realista dos espelhos da sociedade, a fim de auxiliar no aprendizado e juntar os fragmentos da nossa comunidade, tanto como receptora e produtora do nosso cotidiano na construção e desconstrução da realidade.

Na exibição da imagem, o espelho ajuda-nos a forjarmos a certeza de que a mutação é um jogo onde todos participam, mas esperamos que as instituições e o Estado que produzem e regulamentem a realidade. Instalem vários espelhos voltados para o desenvolvimento social e educacional dos brasileiros, ajudando assim a entender e fixar em sua memória a verdadeira realidade brasileira. Agora! O cotidiano é uma coisa presente e permanente que reflete em nossa vida.

******

Graduado em Comunicação Social e aluno do curso de especialização em Políticas e Gestão em Segurança Pública/Faesa/Vitória, ES

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem