Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

CIRCO DA NOTíCIA > ENTREVERO NA BOLÍVIA

Ponha-se no meu lugar

Por Marinilda Carvalho em 02/05/2006 na edição 317

Como se comporta a imprensa de um país explorado há 500 anos por nações e corporações estrangeiras quando um vizinho nacionaliza sua principal transnacional?




La empresa estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) se hará cargo de los campos, mientras las compañías extranjeras que los operaban deberán regularizar su situación con nuevos contratos en un plazo de 180 días, de acuerdo al anuncio. (AFP)


‘En ejercicio de la soberanía nacional, obedeciendo el mandato del pueblo expresado en el referendum vinculante del 18 de julio de 2004 y en aplicación estricta de los preceptos constitucionales, se nacionalizan los recursos naturales hidrocarburíferos del país’, señala el decreto leído por Morales. ‘El estado recupera la propiedad, la posesión y el control total y absoluto de estos recursos’, advirtió la nueva norma legal.’ (jornal El Deber, de Santa Cruz de la Sierra, 1º e 2/5/06)


Vai se calar, como faz em seu próprio território? Vai considerar um direito do vizinho? Vai protestar, como bom porta-voz do mercado? Mas aí estará defendendo o governo atual… Ou considerará o governo atual culpado da situação? O Jornal da Globo da madrugada de terça-feira (2/5) estava meio que pisando em ovos…


Que sinuca de bico, minha gente!

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem