Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CIRCO DA NOTíCIA > LEITURAS DE VEJA

Punk da periferia

Por Luís Nassif em 27/11/2007 na edição 461

É patética a ‘represália’ da Veja contra o jornalista Jon Lee Anderson – que criticou a capa sobre Che Guevara. Ironiza o fato de ele ser ‘corajoso, sem medo de se indispor com seus amigos marxistas’. Acha que esse patrulhamento rastaqüera vai afetar um dos repórteres mais prestigiados de uma das revistas mais sofisticadas do planeta.

É a Freguesia do Ó (com todo respeito) contra New York.

Depois ‘prova’ que Anderson afirmou que Che ‘fedia’. Está certo que, em plena selva, o ar condicionado às vezes falhava. E comprova, com base do livro, que, durante a guerrilha, Che guerrilhava, isto é, matava os adversários. E eu que achava que ele pertencia à Cruz Vermelha.

O ‘ataque’ apenas comprova que Anderson fez uma biografia isenta de Che. O que aumenta o valor de suas críticas contra o padrão Veja de jornalismo.

******

Jornalista

Todos os comentários

  1. Comentou em 27/11/2007 Marcio de Paiva Delgado

    A revista Veja, que já alguns anos perdera toda a credibilidade, agora assinou seu atestado de panfleto barato, tacanho, mesquinho e o pior, burro. A ‘reportagem’ (as aspas aqui são obrigatórias) da Veja sbore Che Guevara e suas ‘respostas’ (xingamentos e mentiras ao estilo de Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi) são tão ridículas e patéticas que se a revista Veja ainda fosse uma revista séria, me causaria vergolha alheia. Totalmente dispensável.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem