Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CIRCO DA NOTíCIA > QUINTA-FEIRA, 3/08

Vazamentos desmoralizam governo
e oposição, diz Tereza Cruvinel

Por Luiz Antonio Magalhães em 03/08/2007 na edição 444


Leia abaixo os textos de sexta-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


************


O Globo


Sexta-feira, 3 de agosto de 2007


CRISE AÉREA
Tereza Cruvinel


Eu vazo, tu vazas….


‘O brigadeiro Jorge Kersul Filho está deprimido. Acha que o serviço que dirige, o Cenipa (Centro de Prevenção de Acidentes Aéreos), esta desmoralizado lá fora. A divulgação das informações contidas na caixa-preta de avião acidentado, com as investigações ainda em curso, é coisa que não se vê no mundo. Aqui, aconteceu por conta da politização do acidente com o avião da TAM. De um lado, um governo acuado, querendo mostrar que as causas do acidente foram autônomas – apesar de sua alienação e incompetência na gestão do setor aéreo e de uma crise que, ontem, Lula admitiu não conhecer em toda a extensão antes do acidente. De outro, uma oposição ávida pela nova chance de golpeá-lo. O desejo do governo de sair das cordas deve ter produzido o vazamento para a Folha de S. Paulo. Isso irritou imensamente os integrantes da CPI do Apagão na Câmara, onde se acredita que a fonte do Executivo teve a intenção de atribuir o vazamento à CPI. Pois, em CPIs, tudo vaza mesmo. Uma maioria que juntou governistas e oposicionistas decidiu pelo deslacramento público do material recebido pela Aeronáutica, e pela leitura da transcrição dos diálogos finais entre os pilotos.


Mas não é só neste ramo que o Brasil vem rasgando convenções internacionais. Em 2005, a procuradora Waninne Lima, então diretora do DRCI, órgão do Ministério da Justiça que combate a lavagem de dinheiro, a duras penas negociou com autoridades suíças a revelação das contas de Paulo Maluf. Sob garantia de sigilo, de que os dados só seriam usados pela Justiça. Mas, em menos de três dias, a informação repassada ao Ministério Público vazou. Esta foi uma das razões para Waninne deixar o cargo. Como voltar à Suíça, perguntou ela na época, para negociar informações?’


************


Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 3 de agosto de 2007


POLÍTICA & MÍDIA
Folha de S. Paulo


Na televisão, PT se diz ‘do povo’ e do ‘Brasil real’


‘Sob o refrão ‘O PT é nosso; o PT é do povo’, o Partido dos Trabalhadores levou ontem ao ar programa em que se apresenta como comprometido com ‘as lutas sociais e populares’, com o ‘Brasil real’.


Estrela maior do partido, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não apareceu no programa. Ele deu lugar a filiados ligados aos movimentos sociais, como os presidentes da CUT, Arthur Henrique, e da Contag, Manoel Serra. Além do presidente do PT, Ricardo Berzoini, potenciais candidatos na eleição municipal de 2008 apareceram: Arlindo Chinaglia (SP), a prefeita de Fortaleza, Luzianne Lins, e o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social), que pode concorrer em Belo Horizonte. ‘Permanecemos fiéis a nossa política preferencial pelos pobres’, disse ele.


Produzido por Edson Barbosa, da Link Comunicação, o programa foi encerrado com uma nota em que, sem citar nomes, o partido repudia o uso político do acidente da TAM.’


***


MÍDIA: ONG INTERNACIONAL ATACA TEXTO DA EXECUTIVA DO PT


‘Em nota dirigida a Lula e a Ricardo Berzoini, o secretário geral da Repórteres sem Fronteiras, Robert Ménard, considera ‘em desacordo com um partido democrático’ a decisão que convoca ‘militância e detentores de mandato’ a mobilizar-se contra ‘setores da mídia’. Lembrando que a resolução saiu pouco depois do acidente, pergunta: ‘É possível responsabilizar a mídia pela insatisfação (…) decorrente da tragédia de Congonhas?’’


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


O TUMULTO


‘A Folha Online deu a estação da Luz no alto da home, ‘Urgente’. E a Band entrou com Luiz Datena, ‘reivindiquem, o que não pode é parar a cidade’; ‘vocês’, sindicato e governador, que ‘se entendam’. Serra entrou ao vivo logo depois.


De volta à rotina


Anteontem na escalada do ‘Jornal Nacional’, ‘O Rio se assusta com a volta da violência depois do Pan’. E ontem, em intervalo da Globo, ‘operação na Rocinha contou com 300 homens e ajuda de blindados, houve tiroteio’ etc.


A nova ‘Economist’ também voltou ao tema, pós-Pan, dizendo que Sérgio Cabral ‘parece mais determinado’ que governadores anteriores para combater a violência no Rio, ‘mas a polícia é a metade do problema’. Estaria ‘entre as mais brutais no mundo’ e seria mais um obstáculo para a ‘cidade segura’ que os cariocas vislumbraram, em oportunidade rara, durante o Pan.


De sua parte, o jornal francês ‘Le Figaro’ destacou que ‘O mercado da segurança particular explode no Brasil’, país que ‘já conta com mais vigilantes privados que militares’. Mais um ‘sintoma da paranóia’.


ESCAPANDO


Foi a manchete no site do ‘Guardian’ e destaque nos de ‘Daily Telegraph’, ‘Times’, ‘Independent’ e ‘Financial Times’, todos londrinos. Os enunciados se fixaram na acusação, por um relatório, de que a principal autoridade antiterror do país ‘enganou’ (misled) o chefe de polícia da cidade sobre a identidade de Jean Charles de Menezes, morto há dois anos. Mas nas análises de ‘Guardian’ e ‘Times’ a suposta inocência do chefe de polícia, Ian Blair, foi questionada com mais do que ironia, sob títulos como ‘Getting away with murder’, escapando com assassinato.


‘SIR IAN’


Nos mais popularescos, a pouca atenção foi para ‘Sir Ian inocentado’, no dizer do ‘Sun’ -que na reportagem reproduziu ‘comentários’ de internautas, como o de que a morte de Menezes ‘manda mensagem clara a todos os terroristas’. E o brasileiro era um ‘imigrante ilegal que não deveria estar aqui mesmo’.


MORTAL


A londrina ‘Economist’ também deu texto, ontem mesmo, sem tomar posição. Mas dizendo que será difícil ampliar os poderes antiterror, como quer o governo, diante da lembrança de que ‘em uma ocasião os policiais fizeram uma bagunça mortal com os poderes que tinham, e depois ainda tentaram fraudá-la’.


TÃO PERTO


Alheio à histeria na cena política, o site do ‘Wall Street Journal’ deu em título que, segundo a Standard & Poor’s, o ‘Brasil nunca esteve tão perto da nota de investimento’. A agência nem cobra mais nenhuma ‘reforma específica’.’


TELECOMUNICAÇÕES
Elvira Lobato e Ney Hayashi da Cruz


Governo quer viabilizar megatele nacional


‘O ministro das Comunicações, Hélio Costa, voltou a defender ontem que o governo atue para viabilizar a fusão entre a Brasil Telecom e a Oi (antiga Telemar) para formar uma grande tele de capital nacional.


‘Está na hora de o governo trabalhar para que a gente possa ter uma empresa privada de capital nacional para fazer frente a essas grandes empresas [estrangeiras]’, disse em entrevista à Radiobrás.


Procurada, a assessoria de imprensa do Ministério das Comunicações não confirmou informação publicada em jornais ontem de que foi criada uma comissão interministerial para estudar o processo de fusão entre as teles nacionais.


A legislação em vigor impede a fusão entre as duas teles, já que, na privatização da Telebrás, ficou definido que cada empresa seria responsável por uma área específica de cobertura, sendo vetada a união de duas ou mais concessionárias. O ministro não deu detalhes das ações que o governo pode tomar para favorecer a transação entre Oi e Brasil Telecom.


‘Eu vejo isso como uma oportunidade que o Brasil tem de não ficar nas mãos de dois grupos internacionais’, afirmou. A preocupação, segundo Costa, é construir uma empresa nacional que possa enfrentar multinacionais como a Telefônica (que opera a telefonia fixa em São Paulo) e a Telmex (que comanda a Claro e a Embratel).


O ministro disse ainda que defende que a nova empresa resultante da possível fusão seja controlada pelo setor privado, mas o governo teria poder de veto para impedir uma futura venda da companhia para investidores estrangeiros.


Surpresa


O anúncio da criação de um grupo de trabalho, dentro do governo, para examinar a possibilidade de fusão apanhou as próprias empresas de surpresa. A Oi informou, por meio de um fato relevante divulgado ontem, que ‘não está tomando parte de qualquer iniciativa no sentido de reestruturar o sistema de telefonia privada’.


Os acionistas da empresa avaliaram que o anúncio veio em má hora, pois a Telemar está no meio de um processo de oferta de compra das ações preferenciais de sua controlada Tele Norte Leste Participações existentes no mercado (leia texto nesta página). A notícia, na avaliação deles, pode desestimular os investidores a aceitar a oferta da empresa.


Acionistas da Oi afirmam que nunca trataram oficialmente com o governo federal sobre uma hipotética aquisição ou fusão com a Brasil Telecom, embora tenham examinado a idéia internamente.


‘Golden share’


Também foi mal recebida pelas teles a proposta defendida pelo ministro de criação de uma ação especial (‘golden share’), que dê ao Estado poder de vetar mudança de controle acionário na nova empresa.


Segundo um executivo, a ‘golden share’ seria catastrófica para os investidores, pois a empresa ficaria sujeita à intervenção de um terceiro -no caso o governo- que não é acionista e que não investe nela.


A ‘golden share’ foi defendida por Costa como um mecanismo para evitar que se repita na telefonia o ocorrido com a Ambev, que foi desnacionalizada após se tornar uma gigante.


A fusão da Oi (ex-Telemar) com a Brasil Telecom já foi defendida publicamente por executivos das duas empresas, com o argumento de que se trata de uma tendência mundial e que elas precisam de escala para serem mais competitivas.


Para executivos do setor, a proposta deveria partir Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e ser discutida em consulta pública. A idéia de uma grande operadora de capital nacional também ganhou apoio de parlamentares.


Mas se espera uma reação por parte da Telefônica e do grupo Telmex (controlador da Telefônica). A Telefônica já declarou que, se for permitida a aquisição e fusão entre concessionárias de telefonia local, ela gostaria de participar da oportunidade do negócio.’


TV DIGITAL
Folha de S. Paulo


Costa anuncia cronograma na TV digital


‘Depois da estréia prevista para o final do ano, em São Paulo, as transmissões de TV digital devem chegar às cidades de Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte em janeiro de 2008, de acordo com o ministro das Comunicações, Hélio Costa.


‘A partir de janeiro, estamos também com a obrigatoriedade de entrar em Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Em julho do ano que vem, chegamos às demais capitais’, afirmou o ministro, em entrevista à Radiobrás. Em 2009, as transmissões devem chegar a todo o país.


O ministro das Comunicações disse que as emissoras já podem iniciar os testes da TV digital nessas três cidades -basta, para isso, encaminhar um pedido oficial ao ministério. Testes já estão sendo feitos em São Paulo, onde as transmissões com sinal digital devem começar em 2 de dezembro.’


TELEVISÃO
Daniel Castro


Após Pan, Band e Record enxugam esporte


‘A Band demitiu anteontem 21 profissionais de sua área de esporte. Na Record, uma reunião de cúpula hoje vai discutir o futuro de seu departamento esportivo, que, após o Pan, só conta com torneios europeus.


Alguns profissionais da Record estão sendo assediados pela Band, que agora divide com a Globo os campeonatos nacionais. A emissora, que ontem demitiu o ex-jogador Muller, negocia com o comentarista Osmar de Oliveira.


A Band também tem interesse em Milton Neves. A emissora extinguiu em julho sua mesa-redonda dominical, comandada por José Luiz Datena, e reduziu a semanal o antes diário ‘Band Esporte Clube’.


Neves seria o nome ideal para a emissora retomar uma mesa-redonda. O jornalista tem contrato com a Record até 2010, mas a rede de Edir Macedo estaria disposta a renegociar, uma vez que Neves, apesar de dar audiência e faturamento, não se enquadra em seu projeto de ‘modernização’.


A Band diz que as demissões foram quase todas de profissionais contratados apenas para o Pan. Informa que seu departamento de esportes, que tinha 62 funcionários em dezembro, cresceu para 104 em junho.


A Record ainda não decidiu o que fazer com 60 profissionais. Parte deles poderá migrar para o novo canal de notícias. Especula-se até que o departamento de esportes poderá ser incorporado pelo de jornalismo.


LEÃO 1Às vésperas do Criança Esperança, voltou a circular e-mail que acusa a Globo de tirar proveito fiscal da campanha, que arrecada dinheiro para projetos sociais. Diz o e-mail que quem doa ao Criança Esperança ajuda a Globo a pagar menos Imposto de Renda, porque a TV deduziria o arrecadado.


LEÃO 2Em comunicado conjunto, Globo e Unesco afirmam que o dinheiro nem passa pelas contas da emissora (vai direto para a Unesco). Além disso, as doações são indedutíveis por ser a Unesco órgão internacional.


LINE-UPA partir de hoje, os canais públicos, como a TV Senado, estarão na programação digital da Net em São Paulo. A operadora só iria fazer isso em dezembro.


SOBE, DESCE 1Embora o Pan não tenha sido nada sensacional para a Band e a Record, as duas foram as emissoras que mais cresceram no Ibope em julho.


SOBE, DESCE 2A audiência da Band cresceu 34% em relação a julho de 2006 e a da Record, 22%. A TV Globo (-12%) e o SBT (-11%) registraram queda na média diária (7h/0h) na Grande São Paulo.


PODEROSAA Natura emplacou mais uma personagem em novela das oito da Globo: assim como Irene Ravache (Katina) em ‘Belíssima’ (2005/06), Débora Duarte (Hermínia) também virou ‘consultora’ da marca de cosméticos em ‘Paraíso Tropical’ _que anteontem voltou a marcar 50 pontos no Ibope da Grande São Paulo.’


************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 3 de agosto de 2007


MÍDIA & POLÍTICA
Andrei Netto


Repórteres sem Fronteiras critica ataque do PT à mídia


‘PARIS – A maior organização não-governamental de defesa da liberdade de imprensa do mundo, a Repórteres Sem Fronteiras (RSF), divulgou ontem, em Paris, uma carta aberta ao presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e ao presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Berzoini, na qual critica a postura beligerante de líderes da sigla contra a imprensa do País.


A ONG classifica o documento do partido como ‘inoportuno e infundado’. A manifestação da entidade, assinada por seu secretário-geral, Robert Ménard, veio a público dois dias após a reunião da Executiva do PT na qual seus dirigentes denunciaram o que, em seu entender, é um ‘aproveitamento indevido’ do acidente do vôo 3054 da TAM, em São Paulo, que fez 199 vítimas no dia 17 de julho. Segundo Valter Pomar, secretário de Relações Internacionais do PT, há uma tentativa da oposição de rearticular ataques ao governo’ e a ‘grande imprensa’ estaria abordando o acidente de acordo com os interesses dessa oposição.


O texto do PT também se solidariza com o assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, criticado pelos gestos obscenos que fez – e que foram filmados por um jornalista – ao ouvir uma informação que, em tese, absolveria o governo de culpa na tragédia da TAM.


Na sua nota, a RSF se mostrou preocupada com as conseqüências da resolução petista, que ‘vem a público após o grande eco midiático dado às manifestações que se seguiram à catástrofe aérea no Aeroporto de Congonhas e às vaias endereçadas ao presidente Lula quando da abertura dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro’, afirma o autor, que depois pergunta: ‘Este eco deve ser entendido como uma crítica sistemática ao governo? A mídia deveria deixar esses eventos passarem despercebidos?’.


O texto pede calma ao presidente Lula e a Berzoini e diz contar com ‘a sabedoria’ de ambos. ‘A resolução do PT é um mau sinal, indigno de um partido democrático. Ela não faz nada além de alimentar os rancores. Ela deve ser reconsiderada.’ À noite, o diretor do Escritório para Américas da RSF, Benoît Hervieu, reforçou a posição apartidária da ONG e lembrou ao Estado a responsabilidade do Brasil na manutenção da liberdade de imprensa na América Latina. ‘O Brasil é um exemplo importante no continente, mas que enfrenta tensão entre o poder político e a imprensa. Depois do acidente, vive-se um momento de calor emocional, e os meios de comunicação ecoam as preocupações públicas sobre o fato’, ressaltou.


Para Hervieu, a resolução ‘não é uma boa idéia se falamos de um partido que está no poder’. E acrescentou: ‘Um país não pode se apresentar como democrático e livre se pedir à imprensa que não reverbere os problemas do País.’


TRECHOS DA CARTA


Robert Ménard


Secretário-Geral da RSF


‘Esta decisão nos parece inoportuna e sem fundamento’


‘Ela não pode senão alimentar o rancor e deve ser reconsiderada’


‘Deveria a imprensa se calar? É possível responsabilizar a mídia pela insatisfação provocada pela emoção coletiva decorrente da tragédia?’’


Clarissa Oliveira


Na TV, legenda diz repudiar disputa sobre caso TAM


‘Na mesma semana em que disse ser vítima de uma ‘articulação’ da imprensa e da oposição contra o governo, o PT aproveitou seu programa partidário na televisão para tratar do acidente ocorrido com o avião da TAM no último dia 17 e dizer que ‘repudia’ tentativas de abrir uma disputa política em torno do caso.


A mensagem, postada sobre um fundo preto ao final da transmissão, dizia que o partido manifestava seu pesar às vítimas do acidente e seus familiares e completava: ‘Em respeito à dor dos atingidos, o PT repudia qualquer tentativa de transformar o trágico episódio em um elemento de disputa política.’


Dizia ainda que o partido ‘não medirá esforços, através de seus representantes no governo federal e no Parlamento’, para que as causas do acidente sejam rapidamente esclarecidas.


A mensagem final do programa seguiu um tom semelhante à da resolução aprovada pela Executiva petista no início da semana. Após uma reunião em São Paulo, a direção partidária divulgou um documento convocando a militância a reagir a uma ofensiva que seria arquitetada pela oposição e pela mídia. ‘A oposição, articulada com setores da mídia, está ‘subindo o tom’ nos ataques ao governo e ao PT, tendo em vista tanto as eleições de 2008 quanto as eleições de 2010.’


No restante do programa, ao som de uma música que dizia ‘O PT é nosso, o PT é do povo’, o partido alternou depoimentos de suas lideranças com o de pessoas comuns, vendendo a mensagem de que trabalha em benefício dos excluídos. Até o encerramento do programa, o acidente da TAM sequer havia sido mencionado.


PAC


O presidente do PT, Ricardo Berzoini (SP), fez um depoimento sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal aposta do segundo mandato de Lula. ‘Nosso trabalho parlamentar viabilizou os investimentos de R$ 500 bilhões em infra-estrutura’, disse o petista.


O partido aproveitou para dar espaço a lideranças como o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), e o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique.’


DOW JONES VENDIDA
O Estado de S. Paulo


Proteção do ‘Wall Street’ sob suspeita


‘Reuters – A Dow Jones & Co Inc. afirmou ontem que não sabia que uma das pessoas nomeadas para proteger sua independência editorial após a compra pela News Corp dirige uma fundação que recebeu uma promessa de doação de US$ 2,5 milhões da News Corp.


O conglomerado do magnata Rupert Murdoch escolheu o professor Nicholas Negroponte, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), para participar da comissão especial de cinco membros que vai supervisionar a independência editorial das operações jornalísticas da Dow Jones, que incluem o Wall Street Journal.


A criação da comissão e a definição de seus integrantes constava no contrato de venda da Dow Jones à News Corp, por US$ 5,6 bilhões.


Questionada sobre se a doação compromete a independência de Negroponte como membro do comitê, Linda Dunbar, assessora da Dow Jones, negou. ‘Estamos confiantes na capacidade de os indivíduos tomarem decisões independentes’.


Em entrevista por email à Reuters, em maio, Negroponte se referiu a Murdoch como um amigo pessoal e um importante apoiador da sua fundação Um Laptop por Criança (OLPC, na sigla em inglês), cujo objetivo é fabricar computadores baratos para crianças pobres.


Onze empresas, incluindo a News Corp, prometeram US$ 2,5 milhões cada à OLPC, disse Negroponte em maio. ‘Se é verdade que a fundação de Nicholas está recebendo dinheiro da News Corp, isso cria um conflito’, disse Louis Ureneck, chefe do Departamento de Jornalismo da Universidade de Boston. ‘Uma pessoa é realmente independente se uma decisão que toma coloca em risco uma verba significativa para sua fundação?’, disse Ureneck.


Bob Steele, que pesquisa a ética jornalística no Instituto Poynter, da Flórida, disse que será complicado para Negroponte equilibrar suas ligações empresariais com Murdoch e as responsabilidades no comitê. ‘Mas é possível’, afirmou.


Não está claro se a família Bancroft, que controlava a Dow Jones e negociou a formação da comissão, sabia da doação. Alguns membros da família, que não quiseram comentar o caso, se opunham à aquisição da Dow Jones por Murdoch, por temer interferências em sua operação jornalística.


A News Corp disse não haver conflito de interesses. ‘Negroponte desfruta de respeito em toda mídia. A Dow Jones e a News Corp se orgulham de tê-lo como membro independente da comissão especial’, disse um assessor. ‘A OLPC é uma entidade beneficente respeitada, com amplo apoio corporativo.’


Negroponte não quis se pronunciar.Ele está de licença no MIT para se dedicar integralmente ao lançamento do XO PC, um laptop de US$175 que deve começar a ser fabricado em outubro.’


TELEVISÃO
Etienne Jacintho


Sky lança 6 canais


‘A Sky lança hoje mais seis canais em seu line-up e novos combos com descontos para a base de assinantes. Entre as novidades, os dois principais produtos são o canal Sci-Fi, da NBC/Universal, que está sendo distribuído pelo grupo Fox, e a Fashion TV Brasil, do grupo Turner, que já entra no ar com três produções nacionais. O Sci-Fi traz séries originais como Eureka e filmes blockbusters de ficção científica.


O novo line-up da Sky ainda é composto por outros dois canais da Fox, o Speed e o FoxLife – que já estão na Net -, além da ManagemenTV, voltada para business e também com produção nacional, e o Sex Zone, para o público adulto. Outra mudança na grade privilegia as crianças: o Disney Channel está agora disponível no pacote básico. Entre as estréias do canal infantil este ano está High School Musical 2, marcada para outubro.


Para ter acesso aos novos canais, o público terá de desembolsar R$ 103,90 na aquisição do Sky Digital Plus 2008. Já o Disney Channel está acessível a partir do pacote básico que custa R$ 88,90. A operadora disponibiliza ainda seis pacotes que variam de R$ 119,90 a R$ 189,90.


entre-linhas


A tão esperada cena de Paraíso Tropical em que Daniel (Fábio Assunção) descobre a troca das gêmeas bombou a audiência da novela. No capítulo de quarta-feira, a trama registrou 50 pontos de média e 69% de share (participação da Globo no total de aparelhos ligados).


Famosa pelo vídeo Tapa na Pantera, sucesso no YouTube, a atriz Maria Alice Vergueiro deve em breve ganhar seu espaço na Globo. Seu nome é cogitado para o elenco de O Sistema, novo seriado da emissora.


O Metrópolis volta a ter apenas uma edição diária, em horário nobre, na TV Cultura. A edição de meia hora exibida às 13 h sairá de cena. A da noite, hoje em 10 minutos, passa a ter 30 minutos a partir desta segunda-feira, às 19h30.


A propósito, a Cultura informa que sua linguagem visual virá toda reformada a partir de segunda-feira, com novas vozes e cores. A meta é reduzir os elementos gráficos e priorizar a informação.


Renato Teixeira estará no Ritmo Brasil, da RedeTV!, amanhã, às 14h30.


A inquieta Dani Monteiro ganhou novo programa no Sportv, o Oi Momento de Aventura.


O diretor Jacques Lagoa anunciou que deixa a direção de novelas no SBT para dirigir o programa humorístico Câmera Café. Ordem de Silvio Santos. Amigas e Rivais, próxima novela da casa, terá direção de Ana Maria Dias e Lucas Bueno.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem