Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

A banda larga é muito mais importante que TV Digital

Por Carlos Castilho em 08/11/2007 | comentários

O governo federal decidirá até o dia 12 de dezembro sobre uma proposta do Ministério das Comunicações propondo a instalação de, pelo menos, um terminal de banda larga em todos os 5.564 municípios em substituição ao plano, ainda não executado, de criação de 8.462 Postos de Serviço de Telecomunicações (PST), em todo o país.


 


É mais uma mudança de rumo nesta complicada questão da infraestrutura de telecomunicações no país, um terreno onde a opinião pública e o consumidor são tradicionalmente mantidos longe das deliberações.


 


O governo, as empresas de telecomunicação e a imprensa têm fortes interesses em jogo nesta questão, razão pela qual preferem trata-la dentro de quatro paredes, e apresentar fatos consumados aos eleitores.


 


Ainda não se sabe o que está por trás da proposta do ministério das Comunicações, uma área do governo onde o lobby corporativo é violento, mas silencioso. A proposta de mudança de estratégia dos PSTs para a banda larga é a melhor opção do ponto de vista de desenvolvimento econômico e social futuro, mas é preciso saber também o que as empresas de telecomunicações vão levar nesta jogada.


 


Há poucas dúvidas de que elas vão ganhar com a nova proposta do Ministro Helio Costa, porque se fossem perder, mesmo que pouca coisa, o lobby contra a medida já teria começado e com força.


 


O ministro pode estar tentando abrir uma nova frente de visibilidade pública depois que perdeu a guerra interna no governo pelo controle da nova rede nacional de emissoras estatais de televisão.


 


Independente do jogo político-corporativo em torno da banda larga, uma coisa é certa: a ampliação do sistema de banda larga é de importância estratégica para o país e sua relevância deveria ter ofuscado o debate sobre a televisão digital.


 


A banda larga é essencial para o ensino à distância, para a formação de clusters[1] corporativos, para a formação de comunidades online e para a disseminação da informação etc. Por ela também pode circular o sinal da televisão digital, que chegaria à casa dos usuários, como acontece com a TV a cabo.


 


Acontece que a TV digital é um negócio que interessa às redes de televisão instaladas no país, em especial à TV Globo, por isto a questão foi apresentada à opinião pública como muito mais importante do que a banda larga, num esforço das emissoras de atrair verbas públicas, evitando usar recursos próprios.


 


A criação de uma rede nacional de banda larga é estratégica porque viabiliza a inclusão de escolas, empresas e milhões de usuários domésticos, que se conectariam ao backbone (espinha dorsal) do sistema por meio de sistemas sem fio como o WiFi e WiMax, que podem ser instalados nas mesmas torres usadas para telefones celulares.


 


Dinheiro não é problema, porque o governo tem à sua disposição a bagatela de seis bilhões de reais que dormem na conta do FUST , um fundo criado em 2001 e que deveria ser usado para a universalização das comunicações telefonicas. As operadoras estão de olho grande nesta montanha de dinheiro que o governo pode agora usar para a banda larga.


 


Como as empresas de telecomunicações e as grandes redes de televisão são as maiores interessadas nesta questão, é inevitável que elas tratem de reduzir a discussão pública sobre o tema ao mínimo possível. Elas só abrirão o jogo quando seus interesses forem contrariados.


 


A transparência neste debate é, portanto, essencial para que a discussão sobre a rede nacional de banda larga realmente sirva para acelerar a inclusão digital, sem a qual nosso desenvolvimento futuro está comprometido, conforme vocês podem ler , no post anterior A Lógica da Inclusão.


 






[1] Grupos de empresas com atividades complementares que interligadas pela internet.

Todos os comentários

  1. Comentou em 27/11/2007 manifesto 21 mobile webtv

    “A internet é de fato uma tecnologia da liberdade – mas pode libertar os poderosos para oprimir os desinformados, pode levar à exclusão dos desvalorizados pelos conquistadores de valor … precisamos situar nossa ação no contexto específico de dominação e libertação em que vivemos: a sociedade de rede … as redes da internet propiciam comunicação livre e global que se torna essencial para tudo. Mas a infra-estrutura das redes pode ter donos, o acesso a elas pode ser controlado e seu uso pode ser influenciado, se não monopolizado, por interesses comerciais, ideológicos e políticos. À medida que a internet se torna infra-estrutura onipresente de nossas vidas, a questão de quem possui e controla o acesso a ela dá lugar a uma batalha essencial pela liberdade. … ser excluído é ser condenado à marginalidade … essa exclusão pode se produzir por diferentes mecanismos: falta de infra-estrutura tecnológica; obtáculos econômicos ou institucionais ao aceso às redes; capacidade educacional e cultural limitada para usar a internet de maneira autônoma … antes de começarmos a mudar a tecnologia, a reconstruir escolas, a reciclar professores, precisamos de uma nova pedagogia, baseada na interatividade, na personalização e no desenvolvimento da capacidade autônoma de aprender e pensar … [continua]

  2. Comentou em 12/11/2007 aline cardoso

    a inclusao digital apesar de ainda ser alvo de muita discussao no pais, e de suma importancia. O que nao e diferente no caso da banda larga, que da mais veocidade e, e claro, acesso direto a internet.
    com o bom uso da internet,as pessoas de classe social mais baixa e com baixa escolaridade podem manter-se informadas a respeito dos fatos no pais e dessa maneira torna-se pessoas menos vulneraveis a possiveis jogadas de politicos mal-ntencionados.

  3. Comentou em 12/11/2007 Raymundo Mendes

    Sem educação não há solução… que funcione bem. Acho justo universalizar o uso do que quer que seja, porém, deve-se investir também alto em educar para o bom uso da INTERNET. Banda larga para ficar horas e horas no ORKUT e MSN, não constroi muito, né?

  4. Comentou em 12/11/2007 Alexandre Nunes de Freitas

    Muito oportuna e adequada a sua opinião Carlos.
    Um país que históricamente toma decisões erradas,
    não pode continuar com tantos analfabetos, se realmente
    quer se elevar a categoria de ‘ primeiro mundo ‘.
    Internet é acesso a informação livre, precisamos muito
    que estas informações cheguem aos recantos do país.
    Uma nação desenvolvida, é formada por cidadãos cultos
    antes de tudo.
    TVDIGITAL 0 X 2 INTERNET BANDA LARGA PARA TODOS

  5. Comentou em 11/11/2007 marcos omag

    O grande problema para a disseminação da banda larga de internet no Brasil é a atuação da empresas de telefonia, que têm o monopólio do setor.Na Coréia Do Sul e Japão,onde existe forte concorrência no setor,os preços são baixos e a conexão é ultra-rápida (média de 61MB/s!),quem constrói infra-estrutura para internet (cabos,por exemplo) tem que deixar a concorrência usar a sua infra-estrutura (cobrando preços não proibitivos) e a internet é quase universal nesses países.No Brasil, apesar dos esforços da competente Dilma Roussef,as telefônicas impedem no Judiciário os leilões do WiMax,pois querem estender o monopólio do ADSL para o sistema sem-fio.Internet universalizada é importante para diversidade de opinião (PIG,nunca mais!),educação e até organização das cidades.Todo mundo com internet rápida em casa seria o fim dos congestionamentos nas grandes cidades, pois os serviços administrativos das empresas seriam realizados pelos seus funcionários em suas próprias residências.

  6. Comentou em 11/11/2007 Pedro Lima

    Gostei dos argumentos, mas, confesso que preciso de mais informações sobre TV Digital: 1) Qual são as Regras da TV Digital? 2) As Emissoras ficarão com o espectro de frequencia, ou seja, mais canais para as mesmas emissoras? Mais do mesmo! 3) Ou teremos mais canais (Democratização de verdadee)?

    Castilho, a imprensa não informa nada sobre isso, muito pelo contrário, desinforma. Você poderia nos informar??

    Como posso saber se a universilização da Banda Larga é mais importante do que a TV Digital se nem conheço as regras??

    As Oligarquias não gostam nada da Internet porque ela é livre. O Estado não controla a internet (ainda. Lembram da proposta do Senador Azeredo?) por isso a julgo mais importante, mas preciso de mais informações…

  7. Comentou em 11/11/2007 Gilberto Geraldo

    Creio que a banda larga seja muito mais importante para uma democratização da comunicação. O caos da internet me motiva mais que o controle da ‘tv aberta’.
    Tenho uma ideia de TV Regional por um meio nada convencional, será na minha cidade com apoio dos professores e gostaria de tocar ideias com quem se interessar. Entrar em contato: gilgeraldo@hotmail.com

  8. Comentou em 10/11/2007 joao maria fernandes

    Ainda em relação a meu comentário anterior, gostaria de informar que em Londrina-Pr, o sistema de telefonia fixa, SERCONTEL, oferece planos incluindo 500 minutos locais e Banda Larga, e outros serviços por uma média de 90 Reais ao todo por mês. Como meu telefone é da Brasil Telecom, assinei internet via rádio, 28 reais por mes. Já existe linhas disponíveis desta operadora em minha cidade que é vizinha de Londrina, solicitei uma linha para optar por este plano, mas até hoje não foi instalada. Assim que acontecer, vou me desvincular da Brasil Telecom… Espero que as operadoras pensem mais no consumidor, seus clientes, e colaborem para que possamos ter internet com maior velocidade e qualidade. Pagar 50 ou 60 reais por BL, mais 40 reais de assinatura básica, mais taxas pelas ligações extras, nem pensar.

  9. Comentou em 10/11/2007 joao maria fernandes

    Nem cheguei a ler todo o artigo, mas concordo com o autor, porém, acho que a Banda Larga é muito cara. Com o valor que pagamos de assinatura básica, BrasilTelecom 40 Reais por mês, as operadoras deveriam oferecer sem taxa a BL, ou cobrar um valor dentro da realidade da maioria dos usuários, por exemplo, até 20 Reais. É claro que isso tudo deveria ter sido privilegiado por ocasião das NEFASTAS PRIVATIZAÇÕES, que não sabemos onde tá o dinheiro. Mas, acho que se as operadoras fossem menos gananciosas, já teriam feito o que proponho. Inclusive seria um grande Marketing.

  10. Comentou em 09/11/2007 Carlos N Mendes

    Repetindo alguém muito mais inteligente e visionário, a internet é a ferramenta cultural mais importante de nosso tempo. Saber usá-la pode valer ouro. Que os interesses pe$$oai$ não se sobreponham aos planos do Governo.

  11. Comentou em 09/11/2007 Rodrigo Goulart

    Carlos, considero as tuas palavras algo de extrema importância. Temos que divulgar essas informações e o andamento desse processo. O modelo de TV Digital é polêmico, no meu entendimento, e projetos para ampliar a banda larga a toda a população são ações muito mais concretas do ponto de vista de resultados.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem