Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

CÓDIGO ABERTO >

A pirâmide invertida nos weblogs

Por Carlos Castilho em 10/05/2005 | comentários


A Internet é o reino dos textos curtos porque, entre outros limitantes, ler na tela é 25% mais cansativo do que no papel. O jornalismo online e os blogs não fogem desta regra, mas isto não quer dizer que os textos mais extensos sejam proibidos na rede.


Eles podem ser publicados na íntegra na Web para serem descarregados no computador e impressos em papel, ou serem editados, obedecendo as características específicas da Internet em matéria de leitura online. No primeiro caso, a Web funciona como uma mera transportadora de textos, no outro, ela assume a sua função de novo veículo de comunicação.


A edição de textos para publicação na Web rompe a rotina de usar a pirâmide invertida como padrão para organizar textos jornalísticos e exige do autor um ajuste na forma como ele vai redigir o seu texto.


É desaconselhável fatiar um texto que aplica a pirâmide invertida quando se pretende publicá-lo num blog porque a leitura ficará muito confusa. Se, por exemplo, uma pessoa acessar o blog no quinto dia de publicação da série, muito provavelmente ela não entenderá nada, porque o mais importante estará em último lugar. É como ler uma história do fim para o começo. Pode ser criativo na literatura, mas não no jornalismo.


As novas experiências com estruturação de textos longos na Web sugerem que o tema seja dividido em blocos antes de iniciar a redação. Cada bloco estará organizado em torno de um subtema predominante e cada parte se relaciona com as demais através de hiperlinks.


A produção de um texto mais extenso num weblog não segue nem a estrutura não linear e nem a pirâmide invertida. A sequência de leitura é cronológica: o começo ou o primeiro bloco é lido por último, pois está no final da fila depois da publicação das demais partes. Na estrutura não linear clásica, o internauta tem total liberdade para decidir como vai ler a matéria.


Para contornar esta dificuldade de ordenação dos blocos (ou postings segundo o jargão dos blogs) é necessário desenvolver cada bloco como um texto isolado. Todos os elementos do texto jornalistico são levados em conta, inclusive a pirâmide. Uma analogia com o texto escrito poderia ser a dos boxes ou quadros que num jornal ou revista funcionam como apêndices do texto principal. Só que num blog, cada box é uma matéria independente.


Ao escrever um texto jornalístico para um veículo impresso, a pirâmide invertida funciona como a estrutura mais importante na organização da idéias e na fixação de níveis de importância. Na web e nos weblogs, antes de pensarmos na pirâmide, temos que desenvolver o que se chama de arquitetura da informação, ou seja a segmentação estruturada do tema central. Só assim é possivel criar blocos de informação interligados e independentes um do outro, capazes de serem lidos em qualquer ordem.


A arquitetura da informação é o grande diferencial da web, em matéria de produção de textos. A pirâmide continua a ser usada dentro de cada bloco, mas ela perde o caráter dominante que tem no conjunto de um texto jornalístico impresso.


O próximo tema da série Redação Jornalística em Weblogs é a Leitura por Camadas.

Todos os comentários

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem