Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Desativado

A prisão do advogado e o descrédito do Congresso

Por Luiz Weis em 26/05/2006 | comentários

Foi como perder um gol feito.

A Folha com o seu pesquisismo (‘Serra perde votos, mas vence no primeiro turno’) e o Estado com o seu economicismo (‘Superávit é recorde e ajuda na recuperação dos mercados’) deixaram de dar hoje a manchete que se impunha – e que o Globo, acertando em cheio, pegou na veia do sentimento da sociedade:

”Advogado diz que deputados são malandros. E é preso”.

Dentro, provando o acerto jornalístico, 12 cartas sobre o inicidente na CPI do Tráfico de Armas que terminou com a detenção, por desacato, do advogado Sérgio Wesley da Cunha, acusado de repassar ao PCC depoimento secreto de policiais à mesma comissão.

Todas as 12 cartas condenam os deputados.

Wesley foi preso por responder “A gente aprende rápido aqui” à provocação do espalhafatoso Arnaldo Faria de Sá, do PTB paulista: “O senhor aprendeu rápido com a malandragem.”

O tom geral das cartas no Globo é o do leitor Júlio Ferreira:

”Os membros da CPI falaram grosso, foram ofensivos e rígidos quanto ao cumprimento do regimento interno, não hesistando em dar voz de prisão ao advogado […]. Infelizmente, ocorre situação inversa quando os depoentes são pessoas ligadas ao meio político […].”

Ou, por outra, segundo o leitor do Estado Paulo Boccato:

“Quando, finalmente, alguém diz uma verdade numa CPI, acaba preso”.

Ou ainda, segundo o leitor Denilson Geraldo de Luca, na Folha:

”A população brasileira inteira gostaria de ter proferido a mesma frase […]. Sorte dos políticos não haver uma lei que os puna severamente por desacato à população.”

Coincidentemente, Estado e Folha publicam hoje editoriais desancando o Congresso.

O primeiro, por terceirizar a apuração das denúncias contra o grande número de deputados citados na Operação Sanguessuga, da Polícia Federal.

O segundo, por isso e por todos os demais descalabros recentes do Legislativo, incluíndo a prisão do advogado do PCC.

O descrédito da instituição parlamentar, compartilhado por 11 em cada 10 brasileiros, é a grande realização da atual legislatura. E quem garante que a próxima será melhor?

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 10/10/2006 ana claudia. ribeiro nunes.

    quéro saber a lei de desrespeitar um funcionario publico.

  2. Comentou em 30/05/2006 Paulo Petriccioni Vizotto

    Com todo respeito ao plenário, mas quem ganhou foi a impunidade, pior deveríamos fazer um troféu e entregar ao Advogado do PCC, assim como sua facção também demonstrou coragem em ironizar o que o próprio presidente na ocasião que foi deputado federal uns ‘picaretas’ que legislam em causa própria, fica aqui registrada minha indignação com tantas pizzas e ‘habeas corpus’ da vegonha.

  3. Comentou em 30/05/2006 Maria Izabel Ladeira Silva Silva

    Bravo Humberto Guimarães e José Nogueira. Concordo 100% com os senhores. Dar voz de prisão àquele pobre diabo é mais um exibicionismo das ‘divas’ da oposição no grande circo mistico das CPIs. É cada um mais ‘macho’ do que o outro. Todavia, há que se destacar: a instituição em si, o Congresso, é parte importante e fundamental do sistema politico republicano, democratico e representativo. Não se trata de pedir o seu fechamento, como na época da ditadura militar (de triste memória). A Republica somos todos nós. Nós elegemos os politicos. Nós os colocamos lá. Nós, digo, a sociedade é responsável pelo que acontece, para o bem e para o mal. Eu acredito na nossa Republica. E daqui há uns 200 anos ela será melhor se os homens de bem continuarem tentando, insistindo, lutando para aperfeiçoar o regime. Isso leva tempo e requer a elevação da vida social e economica do povo.

  4. Comentou em 30/05/2006 Jair Viana

    Abuso de autoridade

    O advogado Sérgio Weslei da Cunha, que participava de acareação na CPI do Tráfico de Armas, foi preso por desacato pela Polícia Legislativa. Os deputados da CPI alegam que ele desrespeitou a Câmara ao responder ao deputado Arnaldo Faria de Sá.
    O parlamentar disse ao advogado: ‘você aprendeu rápido com a malandragem’. Ao que Weslei respondeu: ‘aqui a gente aprende rápido’. Ele recebeu voz de prisão por desrespeitar funcionário público em exercício e saiu algemado da sessão da CPI.
    Ele foi encaminhado para a Polícia Federal, mas liberado em seguida.
    ‘Ele já vem provocando os membros da CPI desde a última sessão. Os membros não pdem tolerar uma situação como essa. Se não tomarmos uma posição agora, ficaremos desmoralizados’, afirmou Arnaldo Faria de Sá antes da prisão.
    Que moral tem um Casa onde dezenas e dezenas de seus membros são ‘snaguessugas’ e mensaleiros? Teria a Câmara essa autoridade toda. O advgado perdeu a chance de dar voz de prisão, por ‘abuso de autoridade’, aos deputados.

  5. Comentou em 30/05/2006 x x

    Caro Sr. Weis,

    Quanto ao seu comentário de que a mensagem que circula na internet não é verdadeira, pesquisei no site do TSE sobre o assunto. Na seção de perguntas freqüentes existe uma resposta mencionando o artigo 224 do Código Eleitoral que dá sustentação à dita mensagem. (Entre em http://www.tse.gov.br e clique em Eleições / perguntas freqüentes).

    Não quero ser identificado. Apenas solicito que verifique a informação.

  6. Comentou em 30/05/2006 francisco latorre

    protesto em nome dos palhaços; não merecem a comparação.
    pensando melhor, os malandros também deveriam reclamar.
    lástima.
    ninguém merece.

  7. Comentou em 29/05/2006 alfredo sternheim

    Fiquei sabendo hoje pela rádio CBN que existe no Paraná uma ampla campanha para diminuir nosso Congresso, reduzir o número de deputados federais. Rwealmente, se todos os 513 forem trabalhar no mesmo dia, não cabem no espaço concebido por Niemeyr. Mas essa campanha não está encontrando o devido espaço na mídia do eixo Rio-SP. Deveria, porque esse congresso nos custa uma fortuna e produz pouco. Muitos dos congressistas, além de incharem seus gabinetes (e nós pagamos) adoram se exibir, serem arrogantes como foi Faria de Sá com o advogado. E levou o troco, ouviu o que não quís. A prisão por desacato foi outro tiro pela culatra já que, na opinião pública, boa parte dos deputados é que merecem voz de prisão por desacatarem o mandato popular com preguiça e peculato. Em alguns foram réus confessos. Mesmo assim foram absolvidos pelo plenário, com a ausência de votos pela condenação de deputados da própria oposição que brada, grita, mas na hora h… nem aparece. A Imprensa precisa registrar com ênfase a ausência freqüente desses congressistas e dar amplo destaque a essa campanha a favor de um congresso mais enxuto e mais barato.

  8. Comentou em 29/05/2006 João Vanderlei Eberhart

    Apesar de desacreditar da inocência do advogado, ele apenas se defendeu, dando vóz, através de suas palavras a milhares de brasileiros indignados com a forma como alguns políticos conduzem os ‘trabalhos’. Quando lhe disseram que, ‘aprendeu bem com a malandragem’, também o ofenderam. Dizia um professro meu na 8ª série, ‘a verdade dói’.

  9. Comentou em 29/05/2006 Rafaele Silva

    Realmente, o que ele ( o senhor advogado) fez foi um grande desacato , mas é como disse um leitor, hoje em dia as pessoas são presas por dizerem a verdade….

  10. Comentou em 29/05/2006 Luis Neubern

    A prisão do advogado Sérgio demonstrou o quão rigorosos os Excelentíssimos são com aqueles em que nada lhes servem. Porquê nossos senadores e deputados não utilizaram tal critério interrogatório com, por exemplo, Marcos Valério e Delúbio Soares, entre outros. De qualquer forma a prisão do advogado, ainda que teatral, foi necessária e correta. Como pode alguem chamar o Congresso Nacional de antro de escola da malandragem. É muita avacalhação deixar tal observação passar em brancas nuvens.

  11. Comentou em 29/05/2006 Leonardo Thadeu de Oliveira

    Sugiro calma e, se impossível for, doses cautelosas de lexotan a todos os brasileiros – friso, todos, já que o nosso quase perfeito sistema público de saúde lhes garantiria o acesso ao medicamento sem maiores problemas, e sem filas…
    Calma, meus amigos, muita calma, pois o que temos visto, quero crer, é, somente e tão somente, uma sucessão de homenagens póstumas ao recentemente falecido Palhaço Carequinha!
    Arvorosos consumidores de palhaçadas, desde sempre, não poderíamos estar mais felizes e tranquilos.
    O que importa se o suposto crime de injúria praticado pelo ‘adevogado’ é crime de menor potencial ofensivo, não sendo suscetível, portanto de prisão em flagrante? O que importa se o suposto autor do suposto delito se compromete à comparecer ao Juizado Especial Crminal e, ainda assim, é algemado em cadeia nacional, em procedimento flagrantemente ilegal e inconsitucional? O que importa se é pacífico o entendimento jurisprudencial de que não cabe crime de injúria contra entidades, digamos assim, como a Câmara dos Deputados? Vejam que nem toco na já batida e discutida questão da legitimidade dos seus algozes, próceres do saber democrático e arautos da moralidade. Nada disso importa coisa alguma, meus caros. Somos nós que estamos levando tudo muito a sério… E viva o Carequinha!!

  12. Comentou em 29/05/2006 Edinéa Moreira da Silva

    – Os valores estão invertidos há muito tempo, é preciso mudar a letra do samba!. Eu sou sou analfabeta! Explique-me, por favor, se advogar e receber honorários do chamado marginal o torna marginal, é crime! os advogados do juiz lalau e dos malufs trabalharam de graça, se não, estão presos?!!. Só mais uma perguntinha! se todos tém direito a defesa e se o sistema não oferece defesa gratuita para todos , porque então é crime receber do chamado marginal , só inocentes tém direito à defesa????????!!!!!!!!!!!!!.

    Edinéa

  13. Comentou em 28/05/2006 João Roberto Gullino

    Não acredito que a moralização do congresso seja fecha-lo, mas sim, cassar-lhe as benditas imunidades parlamentares. Um deputado ou senador é um cidadão comum, que não deveria usufruir de excesso de privilégios. Privilégios deveriam ser proibidos, como o concedido por Aécio Neves, no limite de despesas de 15 mil reais, que todos criticam mas se esquecem do autor. Tais atitudes não se justificam. Mas qual interesse do executivo e legislativo em suspender tais privilégios? Os impossibilitariam de suas maracutais. Mas talvez, o peso maior, seja a incompetência dos deputados e dos senadores em se posicionarem com atitudes lógicas em seus projetos e nas diversas CPIs. Os questionamentos da maioria deles demonstram total falta de estrutura para o cargo que ocupam. Agora mesmo temos Sergio Cabral como preferido para o governo do RJ. Quem é ele? Um demagogo que sabe falar muito em defesa do idoso, mas até hoje não apresentou nenhum projeto a favor deles. E quando apresentam projetos, são os mais absurdos, como da senadora (aprovado por todos) de proibir os pais de darem palmadas nos filhos. è simplesmente ridículo o que sai da cabeça desses políticos. Não encaram suas funções com seriedade. E no fim do tunel, o culpado é, mais uma vez, o povo, que nunca vota com consciencia – mas sempre com descaso ou excesso de interesse.

  14. Comentou em 28/05/2006 maria de lourdes neves vieira

    Somente agora com a prisão do advogado em questão, eu descobri porque a não cassação dos deputados que foi uma vergonha: eles receberam dinheiro de maneira ilícita e MENTIRAM que não receberam:foram liberados. o advogado falou A VERDADE ao responder a ofensa, tai no congresso a VERDADE DA CADEIA.É RIDICULO ESTE CORPORATIVISMO

  15. Comentou em 28/05/2006 Humberto Guimaraes

    Acredito que esse sentimento anti-políticos é o que está vigorando, realmente na sociedade brasileiro.
    No entanto, quando você parece concordar com a crítica do Estadão e Folha ao Congresso por remeter para a PF a apuração das denúncias contra os deputados envolvidos com a Operação Sanguessugas, eu me pergunto: não seria essa realmente a melhor solução? E digo os motivos por que acho isso:
    * Nào acredito, como se pode depreender do que você diz, que essa legislatura é a pior de quantas anteriores, pois a corrupção no Brasil, se é sistêmica, é também endêmica e vem de muito tempo atrás. O que acontece agora, é que está vindo à tona tudo o que sempre esteve escondido e não apurado.
    * Não foi o Congresso que descobriu e denunciou a Operação Sanguessuga. Foi a Polícia Federal.
    * Os próceres da oposição, como disse Ciro Gomes, tiveram facilidade de encontrar coisas a denunciar, pois conheciam os métodos que antes tinham usado para abastecerem seus partidos políticos . Não buscaram apurar e minimizar os procedimentos de corrupção. Buscaram, apenas, desestabilizar, ganhar a eleição e deixar tudo como antes para continuarem monopolisticamente fazendo uso dos mesmos métodos.
    * O que esperar, além de um SHOW grotesco do comportamento desses senhores?
    * Então, queremos mesmo que o concresso apure os Sanguessugas?
    Para quê? Para o Show continuar e os jornalista irem ao picadeiro?

  16. Comentou em 28/05/2006 SALOMÃO SOUZA FEITOSA

    OBSERVANDO O ASSUNTO E AS RIDICULAS IMAGENS, FICO LAMENTANDO QUE EM NOSSO PAIS EXISTA UM CONGRESSO QUE AO MEU VER DEVERIA SER FECHADO. E INADMISSIVEL QUE UM CONGRESSO QUE NÃO TEM FEITO NADA PARA A POPULAÇÃO PERMANÇA ABERTO, O MELHOR É GOVERNAR SEM DEPENDER DESSES QUE HOJE FAZEM O QUE QUER COM O DINHEIRO DA POPULAÇÃO. PRENDER UM ADVOGADO POR FALAR O QUE A POPULAÇÃO GOSTARIA DE FALAR É ABSURDO. PODERIAM ÁPROVEITAR-SE DAS PALAVRAS DO ADVOGAO E SOLICITAR OS NOMES DOS MALANDROS DO CONGRESSO, MAS O ADVOGADO ESTARIA ATÉ HOJE FALANDO OS NOMES. O NOSSO CONGRESSO DEVERIAS SE CHAMAR CONGRESSO DOS MALANDROS E NÃO CONGRESSO NACIONAL.

  17. Comentou em 28/05/2006 Marco Antônio Leite Costa

    O circo mambembe estabelecido no Congresso anti-nacional, mais uma vez mostrou para todo o Brasil como se faz palhaçada com o dinheiro público. O advogado simplismente falou a verdade sobre a escola da malandragem, máteria obrigatória no referido circo, foi humilhado por um bando de pseudos honestos. Vale lembrar, infelizmente, nós o povo tem uma grande parcela de culpa na escolha da maioria dos artistas que lá fazem SHOW. Outubro esta chegando, vamos trocar os artistas amadores do ponto de vista político e, eleger pessoas profissionais, as quais estejam a fim de melhorar às condições econômicas do nosso povo. Marco

  18. Comentou em 28/05/2006 Marco Antônio Leite Costa

    O circo mambembe estabelecido no Congresso anti-nacional, mais uma vez mostrou para todo o Brasil como se faz palhaçada com o dinheiro público. O advogado simplismente falou a verdade sobre a escola da malandragem, máteria obrigatória no referido circo, foi humilhado por um bando de pseudos honestos. Vale lembrar, infelizmente, nós o povo tem uma grande parcela de culpa na escolha da maioria dos artistas que lá fazem SHOW. Outubro esta chegando, vamos trocar os artistas amadores do ponto de vista político e, eleger pessoas profissionais, as quais estejam a fim de melhorar às condições econômicas do nosso povo. Marco

  19. Comentou em 28/05/2006 Leão Machado

    Quando li as manchates no indice geral, tive a certeza de que esta matéria seria a mais comentada. Fui checar e não deu outra. Alias o fato de ter ido conferir o número de comentários, mostra que também sou pesquisista. Mas tudo já foi dito, apenas gostaria de fazer referencia ao que escreveu o Denilson de Luca: ‘…sorte dos politicos não haver uma lei que os puna por desacato à população. Muito boa.

  20. Comentou em 27/05/2006 Robson da Cunha Meireles

    Olá, é com enorme prazer que escrevo estas poucas linhas, para ver se vcs me tiram uma dúvida: Já perceberam que todas as vezes que alguém se mete em confusões na Câmara, o inquisidor é o Sr. Deputado Arnaldo faria de Sá ? A forma como ele faz as perguntas realmente deixa o interrogando ‘nervoso’ no sentido estrito da palavra ! Quantas pessoas com um poquinho de honra e respeito por nosso país gostariam de estar naquela cadeira e dizendo exatamente a resposta que o mesmo deu para o Ilustre Deputado ? E ainda querem ouvir o líder do pcc aqui em SP no Fórum Criminal… Já pensou, que algazarra !

  21. Comentou em 27/05/2006 walter tabax

    lembro-me, em 1970, quando estava no primeiro ano do segundo gráu. Perguntávamo-nos o que cada um queria ser na vida adulta. Não me esqueço quando o pior – mas o pior mesmo (várias repetições de ano…) – aluno da classe, disse do alto de seu ego: ‘vou ser político’ e ficamos quietos.

  22. Comentou em 27/05/2006 Eduardo peixoto Araujo Peixoto Araujo

    Se é verdade que há interesse público em coibir a criminalidade, não é menos evidente que há o mesmo interesse na observância do respeito e da dignidade da pessoa humana, requisito essencial a manutenção do Estado Democrático de Direito, que encontra respaldo na negação do arbítrio. Infelizmente nosso Estado e seus agentes nem sempre primam pela faceta democrática, pois quando se tem parlamentares dispostos a se esconder atrás de sua imunidade para dirigir ofensas a pessoas que sequer foram julgadas, têm-se o triunfo do arbitrio e da covardia.

  23. Comentou em 27/05/2006 josé Nogueira

    Como se constrói o descrédito
    Chega a ser cômico o fato dos jornais e parlamentares lançarem mão de todo o tipo de ofensas para desestabilizar seus adversários políticos e depois lamentarem o descrédito das instituições. E, para completar, a resposta do advogado não foi uma agressão direta, foi apenas uma ironia para mostrar que quem o ofendia não tinha moral para isso.

  24. Comentou em 27/05/2006 Kleber Silva

    Interessante o episódio do suposto ‘desacato’ e consequente prisão do advogado do PCC . Comprova que para o exercício da crítica , investigação e sobretudo arbitragem é necessário que se tenha como pré-requisitos : idoneidade , honestidade , credibilidade e acima de tudo confiança das partes envolvidas , algo que o Congresso Nacional não dispõe no momento em virtude da crise de confiança por que passa a instituição . Para dar sua contribuição no combate ao crime organizado , o legislativo terá que primeiro fazer uma grande ‘faxina’ nas suas proprias fileiras para em seguida conquistar credibilidade e se tornar um mecanismo de defesa dos interesses dos cidadãos e de proteção da sociedade e das leis . Do contrario será um mero balcão de negócios e circo para demagogos pousarem para os holofotes da mídia . Na visão do povo : ‘ o sujo falando do mal lavado ‘ .

  25. Comentou em 26/05/2006 Isabel Couri

    PARABÉNS AO ADVOGADO POR DIZER A FRASE QUE TODOS OS BRASILEIROS GOSTARIAM DE TER DITO PARA OS MALANDROS.
    SÓ ESTRANHO ELE SER PRESO.QUANDO CRIANÇA MEUS PAIS E PROFESSORES ENSINARAM-ME QUE QUEM DIZ A VERDADE NÃO MERECE CASTIGO.ENTÃO ELE NÃO PODER SER CASTIGADO. EM QUE OUTRO LUGAR OUVIMOS OS DEPOENTES DIZEREM:VOU USAR DO DIREITO DE FICAR CALADO?NO CONGRESSO LÓGICO,NUNCA VI EM OUTRO LOCAL.DISSERAM QUE FORAM AGREDIDOS EM SERVIÇO.FAÇA-ME RIR.E O QUE ELES AGRIDEM AOS CIDADÃO QUANDO ESTÃO EM SERVIÇO ASSIM:ACEITANDO MENSALÕES,SUPERFATURANDO AMBULÂNCIAS,COMPRANDO VOTOS,FAZENDO CONCHAVOS QUE SÓ NOS PREJUDICAM,VOTANDO LEIS EM BENEFÍCIO PRÓPRIO,PRATICANDO NEPOTISMO,RECEBENDO SEM TRABALHAR O MÊS TODO,VOTANDO VERBAS PARA AUMENTAREM SEUS SALÁRIOS ETC,ETC.
    PORTANTO JUNTO COM O ADVOGADO DEVERIAM TER SAÍDO DE LÁ ALGEMADOS TODOS OS MALANDROA QUE OCUPAM AS CADEIRAS DAQUELA CASA.FALTARIA ESPAÇO NOS PRESÍDIOS DE bRASÍLIA MAS SE É PARA PUNIR QUEM FOI OFENDIDO COMECEMOS LIMPANDO O CONGRESSO E O SENADO QUE SÓ ANDAM OFENDENDO AOS CIDADÃOS BRASILEIROS COM SUAS ARTIMANHAS E FALCATRUAS.QUE ELES FAÇAM COMPANHIA AO NOBRE COLEGA MALANDRO.AFINAL UM GAMBÁ CHEIRA O OUTRO.

  26. Comentou em 26/05/2006 Swamoro Songhay

    O assustador é o descrédito nas instituições. Pode levar ao voto nulo, aspecto pior da manifestação do eleitor. Depois, ele próprio será o acusado de não saber escolher. Além de continuar a pagar impostos elevados e a ter, em troca, serviços públicos de péssima qualidade.

  27. Comentou em 26/05/2006 Humberto Bley Menezes

    Enfim foi dita uma verdade. A impáfia de inquizidores mal educados, que inquirem como se a testemunha já houvesse sido julgado e condenada com o único intuito de aparecer na mádia, pousando de quardadores de todas as virtudes.

  28. Comentou em 26/05/2006 jose claudio assale

    Uéé! Mas o menos pior não seria o melhor ?

  29. Comentou em 26/05/2006 Fabio Martins

    ‘Poderes Legislativos’!… Há uns 20 anos, um cidadão íntegro e culto, participante dos incentivadores da criação da Faculdade de Filosofia de S.Bento, do alto de seus lúcidos 80 anos,em conversa comigo ,desabafou que desde os 17 começara a crer na importância dos Legislativos. Mas, confessava-se desiludido.
    O que afirmar portanto deles no presente? Que tipo de antolhos oculares, mentais e morais usariam, para afrontarem o bom senso até do mais simples freguez de botequim e encenarem, entre rabulices e patacoadas, a pantomima tragi-cômica , narcisicista de suas sessões inquisicionais, justiceiras e democráticas, regiamente custeadas com excesso dos dinheiros, pagos por nós contribuintes. Mas, que são eternamente precários, quando urge serem empregados para o Bem de Todos e menor Infelicidade Geral da Nação, quer se trate ou não de ‘matéria constitucional’. E´imperioso, sem quaisquer eufemismos, expo-los na tela da execração pública, o mais poderoso trunfo pacifico e civilizado em posse dos eleitores conscientes e realistas.

  30. Comentou em 26/05/2006 Tom Paine

    Arnaldo Madeira, prá vc o melhor é esta frase aquí:
    Tomou?????
    Os deputados precisam respeitar as pessoas que vão depor.
    Eles comentamuma série de ilegalidades. Sem falar na roubalheira.

  31. Comentou em 26/05/2006 Célio Mendes

    O mais grave é que esta correndo pela internet uma campanha pelo voto nulo, que a meu ver só fara piorar o quadro legislativo, a eleição legislativa sempre tem um menor destaque, quem se lembra em quem votou na ultima eleição? o voto nulo facilitara mais ainda a vida dos picaretas que almejam um cargo no congresso, ou alguem acha que eles estão preocupados com essa manifestação de repudio da população?, por isso sou de opinião que voce deve engolir em seco, tampar o nariz, escolher o que acha ‘menos pior’ e guardar o nome junto ao titulo para cobrar dele durante o exercicio do seu mandato.

  32. Comentou em 26/05/2006 luzete pereira

    Eh verdade que temos muitos parlamentares ‘malandros’ (e nos dois sentidos), mas a observacao do advogado deveria nos chocar porque ela parte de um cidadao que nao tem um minimo de credibilidade para fazer tal comentario (ele eh um sujeito corrupto, que mentiu na CPI e eh advogado de um traficante perigoso). Enfim, ele nao tem a minima autoridade para fazer tal comentario e isto me indigna porque muitos acabam aplaudindo o mais bandido… luzete

  33. Comentou em 26/05/2006 Leandro Benetti

    Olá Weis,

    Está circulando na Internet um texto em defesa do voto nulo. Nele, diz o autor que se o número de votos nulos for maior que 50% mais 1 voto, nova eleição será convocada. Neste caso, nenhum dos candidatos inscritos poderão concorrer novamente. Ou seja, haveria uma renovação de 100% das cadeiras do Congresso. Não sei se esta é uma solução, mas que dá no que pensar, isto dá.

  34. Comentou em 26/05/2006 MCostaSantos Santos

    Segundo o Dicionário Aurélio, uma das definições de malandro é:
    AQUELE QUE ABUSA DA CONFIANÇA DOS OUTROS OU QUE NÃO TRABALHA E VIVE DE EXPEDIENTES.
    Assistimos a mais uma peça BBB onde a maioria querem ser o ARTISTA PRINCIPAL perante ao público.
    Se o advogado praticou um delito ele é um criminoso, mas que no Congresso tem muito malandro, isso é uma verdade.
    Mais uma vez verificamos como se pratica no Congresso o CORPORATIVISMO E O PROTECIONISMO COVARDE SEM ESCRÚPULOS.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem