Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

A Voz do Brasil versão internet

Por Carlos Castilho em 05/03/2010 | comentários

A impopular Voz do Brasil transmitida por uma cadeia nacional de rádio, há 75 anos,  acaba de ganhar uma versão muito mais sofisticada e moderna chamada Portal Brasil, que tentará criar na Web uma comunicação direta entre o Governo e o cidadão.


 


O novo portal estreou no dia 3 de março depois de quase dois anos de preparação na Secretaria de Comunicação, do ministro Franklin Martins. A proposta é ambiciosa pois o novo portal pretende disputar a atenção do público junto outros portais de organizações jornalísticas nacionais privadas.


 


O lançamento foi ignorado olimpicamente pela mídia convencional num claro boicote à iniciativa do governo. Apenas registros burocráticos, mostrando que a imprensa privada aposta no silêncio como arma para neutralizar as tentativas da administração Lula de romper o cerco da mídia. 


 


Formalmente, o Portal Brasil adota um design muito parecido com os demais e sem grandes ousadias visuais. O grande diferencial seria o conteúdo noticioso mas os editores ainda não conseguiram se libertar do tão detestado estilo Voz do Brasil, porque os textos são formais, quase burocráticos. 


 


Para que o novo portal do governo rompa com o seu antecessor radiofônico seria necessário moldar o conteúdo informativo aos princípios da Web baseados na interatividade com o público e em redes sociais de usuários.


 


O problema é que tanto uma quanto outra tendem a alterar radicalmente o funcionamento e a estrutura de decisão no Portal Brasil. A administração dos comentários de leitores vai exigir um grande esforço dos editores e se o volume aumentar, o que é provável, a gestão descentralizada e horizontal se tornará obrigatória.


 


Como qualquer site na Web, o Portal Brasil precisará incentivar a formação de redes de usuários, porque sem elas, o site não passará de um quadro de avisos, uma página de acessos a serviços ou um boletim de noticiais oficiais. Formar redes na Web é bem diferente do que cadastrar usuários, porque implica interatividade, transparência entre outros fatores. E a administração pública, tradicionalmente, não prima pela transparência.


 


Ainda há muita coisa a ser discutida e analisada no Portal Brasil. Não dá para fazer uma avaliação definitiva porque ainda é um processo em desenvolvimento e não dá para esperar que o site esteja perfeito. É óbvio que muitos bugs ainda estão sendo corrigidos e outros ainda vão aparecer.


 


Mas o tema que merece ser debatido é o da comunicação direta entre governo e o público. Na Voz do Brasil ela não funcionou desde a criação do programa em 1935, durante o governo de Getúlio Vargas. Também não deu resultados palpáveis nas várias tentativas de implantação de uma televisão estatal.


 


As razões dos insucessos são várias, mas uma delas pode ensinar algo para o Portal. Tanto o programa radiofônico como os projetos de televisão estavam baseados na emissão unidirecional de mensagens informativas, seguindo os interesses do governo de turno. Envolvimento zero do público.


 

As redes sociais na Web abrem uma janela de participação do usuário do Portal e é através dela que o público pode se tornar um protagonista ativo na nova experiência. Não se trata de um objetivo fácil de ser alcançado porque afinal trata-se de uma página do governo e portanto o potencial e a diversidade de conflitos são enormes. Mas aí vale a máxima, ruim com eles, pior sem eles.

Todos os comentários

  1. Comentou em 08/03/2010 José Paulo Badaró

    Então vamulá: A voz do Brasil é um programa com duração de 1 hora, sendo que apenas os primeiros 25 minutos são de responsabilidade da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), através da qual – talvez quem sabe – poder-se-ia usar o programa como instrumento de propaganda deste ou daquele. Ocorre que a maior parte do programa, isto é, os 35 minutos restantes, estão sob a RESPONSABILIDADE DIRETA DOS PODERES LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO (vale dizer, aqui o Lula não tem culpa, né… Ou será que tem?!), o que por si só demonstra o quanto são absurdas, totalmente desvinculadas da realidade e verdadeiramente dignas de dó algumas das críticas feitas até aqui. É verdade que o autor do texto induz a isso, na exata medida em que tenta grudar no Portal Brasil a carga depreciativa que a Voz do Brasil acumulou durante 70 anos, atravessando duas ditaduras, mas também é verdade que as pessoas (infelizmente nem todas) possuem discernimento para não embarcar numa canoa furada dessas. Em outras palavras, o Portal Brasil nem bem chegou na internet, mas já deu de cara com alguém botando apelido e o chamando de “zé”, “baixinho” , “mané”…

  2. Comentou em 08/03/2010 Ibsen Marques

    José Paulo, faz tantos séculos que não vejo a hora do Brasil que o que você diz, para mim, é pura novidade. Não sabia que há espaço para a oposição. Vivendo e aprendendo. Preciso ver um dia desses, prá ter certeza de que o que se faz lá não é puro marketing de uma e e outra parte.

  3. Comentou em 08/03/2010 José Paulo Badaró

    Existem várias razões para se odiar a Hora do Brasil, mas creio que a maior delas, além do período em que apenas atrapalhava as novelas e os programas humorísticos, é que ao lado dela, durante a ditadura, tivemos que suportar 20 anos da Hora do Brasil da Rede Globo, isto é, o programa Amaral Neto, o repórter ou, então, a bajuladora “Semana do Presidente”, durante o Programa Silvio Santos. Hoje em dia, não! Há quem, por força de ordem judicial, sequer transmite a Hora do Brasil, feito a CBN, e há os que escolhem o melhor horário para coloca-la no ar, como faz a Band. Odiento, no entanto, foi aquele período de ditadura em que tivemos que suportar uma coisa obrigatória ao lado da censura e do puxa-saquismo dos barões da mídia. Aí realmente foi dose. De resto, e pelo menos na parte que cabe ao legislativo, o espaço na HB hoje em dia é distribuído de forma equânime entre situação e oposição, e não raras vezes ouvi no rádio do carro alguns energúmenos do DEM metendo o pau no governo – com a ausência de lógica que lhes é tão peculiar – razão pela qual não se pode reduzir o programa a mero instrumento de propaganda a serviço deste ou daquele. Há propaganda a favor e contra, dualidade que é de se duvidar que chegue ao Portal Brasil, esteja ele sobre o comando do governo do Lula, Serra, FHC, Marina, Aécio ou Dilma, mais um motivo para não se confundir alhos com bugalhos.

  4. Comentou em 08/03/2010 ibsen marques

    Bom, mais um erro: quem ‘encherga’ como eu disse no post anterior não vê, então vamos ‘enxergar’

  5. Comentou em 08/03/2010 Ibsen Marques

    Vi os comentários anteriores, há muitos a defender ‘a voz do Brasil’. Não duvido que muita gente ouvia o programa, mas eu, sempre urbano, não conheço pessoalmente um único caso. Sou de classe média baixa e minha adolecencia se deu na década de 70. Já naquela época, ‘a voz’ tinha uma formulação muito burocrática e muito pouco atraente. Imagino que, mantido o molde, a coisa ficou pior nas décadas seguintes diante da evolução das técnicas de comunicação e das mídias. Acho que outro grande fator para a tão pequena audiência é a pouca confiabilidade dos políticos e governos brasileiros. Acaba tudo parecendo um marketing governamental. A credibilidade é tão pequena que acabamos enchergando como marketing mesmo aquilo que é informação. É o preço que se paga por termos um sistema político tão corrupto. Se o portal segue esse mesmo molde, então começou mal (não conheço o portal ainda), pois era de se esperar que os teóriocos da comunicação que trabalham no governo já tivessem percebido que na NET a unilateralidade é o primeiro passo para o insucesso.

  6. Comentou em 08/03/2010 Leandro Neves

    Legal saber dessa evolução de plataforma da Voz do Brasil. Como diz Castilho, espera-se que esse histórico e emblemático formato de comunicação do governo se torne mais democrático.
    Seria um importante canal de debate em torno dos assuntos que nos dizem respeito.
    Parabéns pela pauta!

  7. Comentou em 08/03/2010 André Amaral

    Ok, entendemos que tem raízes históricas a ‘A voz do Brasil’, mas quem ouve esse programa?

    Não conheço um ser que tem paciência pra ouvir, nem os taxistas conseguem essa proeza.

    Sou apaixonado pelo rádio, e infelizmente muitas vezes um jogo de futebol, ou uma notícia importante tem que ser interrompida pra passar esse bla bla bla..

    Ainda bem que temos vários fontes de notícias, pra não ficarmos dependentes da chata A Voz do Brasil.

  8. Comentou em 08/03/2010 Moyses Nunes

    Caro Antônio Luiz, talvez se você fizesse parte da grande massa de
    pessoas que ‘trabalha’ para sustentar a sua família, que teve a
    oportunidade de lutar para não ter o seu ganha pão sendo destroçado
    e vendido a troco de banana, em troca de uma pequena… (‘PASTA
    ROSA’) você entenderia o porque da defesa. Ter coragem ou ser
    covarde, não sei, de dizer que o governo anterior teve boa intenção e
    imoral. Por mais boa vontade que se possa ter, é difícil acreditar
    nisto! Seu comentário é lamentável e pior totalmente fora do contexto
    da matéria.

  9. Comentou em 08/03/2010 Moyses Nunes

    Programa odiado?! Sou ouvinte, sempre que posso. O modelo geral
    pode até não agradar mas a quantidade de notícias divulgadas por
    este canal que não aparecem na ‘grande mídia’ não é pequena. Tive a
    oportunidade de ‘ouvir’ que o Sr Tancredo Neves estava sendo
    convocado a prestar contar por um ´pequeno´ desvio, o qual deveria
    repor aos cofres públicos(este eu só ouvi no Hora do Brasil), pela
    denuncia de um grande esquema do TRJ do Rio de Janeiro que só saiu
    poucas linhas em alguns jornais(os togados ainda continuam no
    mesmo lugar… tomara que não demore a chegar o ‘modelo’ Espírito
    Santo!) e por aí vai. Não concordo que ele atenda exclusivamente a
    interesses do governo, mas enfim: _Parabéns! Temos que agradecer
    que o sistema está se adaptando e sendo modernizado. Que mais
    brasileiros acessem e tenham um pouco mais de interesse pelos
    assuntos relacionados aos que nos governam. Talvez, quem sabe,
    teremos um número maior de eleitores melhor informados.

  10. Comentou em 07/03/2010 Antônio Luiz Calmon Teixeira Filho

    “O fascismo começa caçando tarados” (Bernardo Bertolucci) Toda a ação deste governo é sempre defendida ferozmente, desqualificando o outro. A intolerância é a principal característica dos que crêem neste governo e há um claro movimento rumo a um regime que não abraça a idéia de discordância, de oposição, de contraditório. Somos os democratas dignos de pena.

  11. Comentou em 07/03/2010 José Paulo Badaró

    A comparação com a voz do Brasil é pra lá de forçada, e as críticas, tanto as raivosas como as dissimuladas, são simplesmente absurdas. A voz do Brasil era (será que ainda é?) odiada, porque nos anos 40/50 era um dos poucos instrumentos de diversão que as pessoas tinham, e interromper a novela radiofônica ou o programa humorístico preferido, com a protofonia do Il Guarany, realmente era uma chatice. A brutal diferença entre uma coisa e outra, no entanto, é que a internet não interrompe nada nem obriga a coisa algum. Entra na ‘Voz do Brasil versão internet’ quem quiser, a hora que quiser e muito especialmente SE QUISER. Daí que, enxergar nisso um exercício de autoritarismo, é de dar pena…

  12. Comentou em 07/03/2010 Antônio Luiz Calmon Teixeira Filho

    Ao invés de por um fim à Voz do Brasil, há a ampliação desta excrescência. Antes tão odiada, agora é festejada. A defesa deste veículo, bem como a criação da Tv Brasil, comprova, mais uma vez, que o governo almeja a ausência de uma imprensa livre. É a raiz totalitária dos que estão no poder. É a natureza do escorpião.

  13. Comentou em 06/03/2010 amarildo garcia

    A Voz do Brasil só pode ser odiada pelos donos de rádios, porque lhes tira um espaço para poderem veiculando suas besteiras e faturando com propaganda. Para milhares de famílias, que vivem em lugares distantes do país, A Voz do Brasil sempre representou provavelmente o único meio de receber informações. Na década de 70, houve outro programa estatal que se chamava Projeto Minerva, que, apesar do ranço da ditadura, trazia informações sobre cultura. Hoje, as rádios, com raras exceções, se transformaram numa mesmice de idiotices e de informação rasa. Há muito lixo por aí. A Voz do Brasil precisa, com certeza, ser reformulada, mas é um projeto histórico, que tem algumas qualidades que não podem ser desprezadas.

  14. Comentou em 06/03/2010 pedro pererira pereriria

    A impopular voz do brasil, odiada pela esquerda, e massacrada pelos seus seguidores, retorna como , novamente um veiculo de divulgaçao de governo,.. sob nova roupagem… romper o cerco da midia…. No governo militar nao podia… agora pooode, principalmente com alteraçoes radicais, de preferencia com a Banda larga Popular( ressuscitando a telebras , no escandalo do Dirceu) e escrevendo o que as redes sociais querem ouvir… E depois veem me falar que nunca ouviram Gramsci…Informaçao errada Castiho!!.. A voz do brasil era o unico veiculo de informaçao existente para o mundo rural do Brasil ate a decada de oitenta,e era a unIca forma de tecnologia possivel para isso, Portanto ouvida em quase todos os lares rurais, .E so foi massacrada e considerada detestavel porque era do outro lado . Enfim para romper o cerco a midia cria-se um nova rede de televisao( sem nenhum sentido) , cria-se um Portal pela Internet, continua com a voz do brasil no mesmo horario historico,Contrata a militancia para ir formar grupos nas redes sociais e combater o inimigo.Compactua com jornalistas famosos dando-lhes a agenda do dia,massacra qualquer informaçao que for contrario as diretrizes de governo,. So falta mesmo começar fechar e multar a tal midia reacionaria.Esse governo deve ter problemas de comunicaçao pra querer tanto poder, ou muito inseguro com medo desta midiazinha e jornalecos

  15. Comentou em 06/03/2010 Dante Caleffi

    A mídia oposicionista(existe mídia de situação?),cada vez mais ousada ,requer resposta à altura. Lembram da CONFECM? Boicote que teve como resposta o convescote do Instituto Millenium,lembrava o IPES,de Golberi xifópago do IBAD,de Asslocher do Golberi, abertos ao público.Desde que esse público pagasse 500 reais,’ per capita’…
    Silêncio, é o de menos,pois já o praticam desde 2003. Fraude e ficção , presentemente são os artifícios empregados com intensidade e frequência. ‘Licenciamento ‘ de Lula, é a mais recente.
    O ano de 2010,será sem dúvidas bem mais longo do que o calendário indica…

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem