Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Anatomia de um assalto

Por Luiz Weis em 08/05/2006 | comentários

Reportagem de Jailton de Carvalho, no Globo de hoje, intitulada ‘Sanguessuga: propina da quadrilha chegava a 30%’ – o link é http://oglobo.globo.com/jornal/pais/247092462.asp – é o primeiro passo importante da mídia na direção certa: explicar como funcionava a sucção do dinheiro público.

‘Relatório reservado da Polícia Federal sobre a Operação Sanguessuga revela como era feita a partilha de dinheiro desviado do Orçamento da União pela quadrilha acusada de vender ambulâncias superfaturadas’, informa o jornal. ‘Segundo o documento, obtido pelo Globo, os recursos eram repartidos entre os empresários, prefeitos, assessores e parlamentares’.

Sábado, na nota ‘É a sucção que interessa’, sugeri que mais vale ir atrás das engrenagens desse outro ataque aos cofres federais do que publicar listas de políticos sem poder dizer qual a parte de cada um na lambança.

Mesmo porque, fazendo a anatomia do assalto se terá mais dados objetivos para identificar os seus perpetradores.

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 19/07/2006 paulo inacio inacio

    divulguem a lista,que eu naõ encontrei ,quem for culpado deve ir pra cadeia,acho muito dificil isso acontecer num pais chamado brasil
    onde so se prende ladraõ de galinha preto e pobre.isso e uma vergonha.!!

  2. Comentou em 18/07/2006 Dalton Mattos

    Prezado Weis. Fica a minha pergunta. Com o situação atual dos presídios brasileiros, será que teremos cadeia para todo mundo ? Uma vez os presídios contruídos, o próximo presidente resolveria três problemas: 1) controle da violência urbana; 2) a crise do emprego vai acabar, pois não faltará emprego para carcereiro; 3) controle da população de rua.

  3. Comentou em 10/05/2006 Leandro Benetti

    Caro Weis,

    Vc tem toda razão quando diz que ‘mais vale ir atrás das engrenagens …’ Escândalo após escândalo, poucos são os casos em que os mecanismos de controle contra desvios e malandragens são ajustados.

    Em São Paulo, temos um bom exemplo de governo eletrônico eficiente. Pode, muito bem, ser aplicado no governo federal com resultados relevantes para os cofres públicos.

    Aliás, estou pensando seriamente em lançar um movimento a favor da substituição do governo por um software. Este processo começaria pelo Copom … O que vc acha?

    Saudações corintianas,
    Lelê.

  4. Comentou em 09/05/2006 MCostaSantos CostaSantos

    Nada como ter uma imprensa livre e mal ou bem, está fazendo seu papel. Na Justiça ( PF, MP, TCU, CGU etc) ainda há homens de caráter firme e fazem jus ao que ganham. O que é lamentável são os poderes executivo e legislativo totalmente corrompidos e podres, usurpando descaradamente, há décadas, os direitos civis do povo.
    O povo já não aguenta mais, precisamos de justiça e contamos com a OAB, ABI, CREA, CRM, CRO, CRA etc para exigir do Congresso que siga a nossa Constituição que tem sido desrespeitada há décadas.
    O povo clama por seus direitos civis.
    SOCOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOORRO!!!

  5. Comentou em 09/05/2006 Jedeão Carneiro

    Podem ameaçar, bater, xingar, impitichar, fazer o diabo com o Presidente, mas um dos ovos de ouro que gera o desvio do dinheiro público tá mesmo é no Congresso e se chama Emenda Parlamentar. Os presidentes passam, mas os 300 picaretas, os 100 sanguessugas, os anões do orçamento, etc, etc, etc, permanecem para sempre.

  6. Comentou em 08/05/2006 Giovanni Carvalho

    Concordo com a Claudia Rodrigues , a crise é Institucional , não sejamos nós hipócritas também… Todos sabemos o que ocorre na cena política brasileira , mas nos enganamos e ignoramos por entender não estar diretamente ligado ao nosso problema pessoal , todos torcemos por um conhecido poderoso que nos dê bênção, o resto que se dane , até que sua mãe ou pai nao receba aumento da aposentadoria e vc acaba avaliando que poderia ser diferente , se não houvessem desvios, dentre outros problemas dos outros… Os Partidos políticos parecem quadrilhas oficiais , os políticos ladrões profissionais …Sinceramente sinto falta de um Hino Nacional ao amanhecer…!!!!!!!!!!!

  7. Comentou em 08/05/2006 Ruy Acquaviva

    Sua posição a respeito do tratamento a ser dado aos parlamentares da lista dos sanguessugas é diametralmente oposta à posição que você externou em relação à lista de parlamentares produzida pela CPI dos Correios e ao apoio que deu à pirotecnia da CPI dos Bingos. Por que tal mudança de posição? Por que quer preservar o nome dos parlamentares denunciados no escândalo dos sanguessugas, enquanto faz o oposto com os denunciados no escândalo do mensalão. Seria por que não há nenhum deputado do PT na lista dos sanguessugas? Seria porque parlamentares de oposição como ACM Neto e Denise Frossard estão nessa mesma lista? Em suma, o Sr. Weis não está sendo parcial quando propões atitudes diferentes para ambas as listas de denunciados????? A mim parece que sim. E me parece também que a ilustre jornalista cabe responder esse questionamento que é bastante natural diante de tal diferença de comportamento.

  8. Comentou em 08/05/2006 Claudia Rodrigues

    Tudo isso é cortina de fumaça que a imprensa está criando por incompetência.Os jornalistas são os primeiros patos a atuar como massa de manobra desses grupos corporativos, radicais roxos do estatismo.Estão atrás de denunciar a corrupção endêmica(que sempre caracterizou a política em qualquer lugar do mundo,que dizer numa nhaca de país dominado por uma população de analfabetos que evidentemente não tem como não se refletir na classe política) perdendo de vista o que deveria concentrar todas as atenções por uma questão de prioridade: a corrupção sistêmica.A verdade é que somos um país de instituições ainda frágeis,pela própria precariedade educacional, e que, como tal, está sujeito a embarcar no proselitismo político mais rasteiro. É uma tragédia a mentalidade de nosso eleitorado. No Orkut, encontro pessoas dizendo, já não sei se voto mais no Alckmin por causa dessa história da Nossa Caixa. Ou seja, as pessoas não têm capacidade para estabelecer a diferenciação necessária entre uma coisa e outra e a imprensa presta um desservido com sua ânsia denuncista que faz tudo parecer igual aos olhos do povo. O debate tá todo errado. A imprensa não assume seu papel de instituição responsável pela divulgação qualificada, pela tomada de posição em prol do país e, a cada pancada que dá de um lado, tenta equilibrar batendo no outro. Pq? Porque estamos muito sujeitos às lideranças corporativas.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem